I. A pandemia e as entranhas de um mundo desigual

II. O ano em que as estátuas racistas tombaram

III. Desemprego. Pobreza. E o 0,1% enriquece um pouco mais

IV. Metrópoles, possíveis novos quilombos

V. O futuro do Trabalho estará no precariado?

VI. O mundo que arde sob as chamas

VII. A distopia do individualismo e da competição infinita

VIII. O novo mundo demora a nascer. Mas já desponta

IX. América Latina: à esquerda, outra vez?

X. Feminismo rima com Pós-Capitalismo

XI. Poderá o dinheiro tornar-se Bem Comum?

XII. A resistível ascensão da “nova” direita

XIII. Brasil: como interromper o desmonte?

XIV. A grande disputa pelo futuro da Tecnociência

XV. Brasil: A defesa dos direitos e da democracia

XVI. Nunca fomos tão pouco eurocêntricos

XVII. Em busca de outros rumos para a esquerda