Protestos no Kuait expõem hipocrisia do Ocidente

130416-Kuait

Milhares nas ruas revivem Primavera Árabe, após condenação de oposicionista por criticar monarquia e reivindicar reformas. Governo é grande aliado nos EUA, em região estratégica

Um novo eco da Primavera Árabe foi ouvido ontem (15/4) em Kuait City, capital de um dos emirados mais despóticos do Oriente Médio. Milhares de pessoas manifestaram-se contra decisão judicial que condenou a cinco anos de cadeia o líder oposicionista e ex-deputado Mussallam al-Barrak. 

As circunstâncias da condenação são grotescas. Al-Barrak foi encarcerado (sem direito a recorrer em liberdade) pelo fato de ter advertido o emir Sabah al-Ahmad al-Sabah, monarca do Kuait, a evitar um governo ditatorial, durante uma manifestação em outubro. O objetivo do ato era pedir reforma na legislação eleitoral, criada para manter o país sob domínio permanente da dinastia real.

Segundo o New York Times, tanto Kuait quanto Arábia Saudita, dois aliados muito próximos dos EUA no Oriente Médio, estão aprisionando grande número de oposicionistas nos últimos seis meses meses, por “delitos” de opinião. As monarquias parecem amedrontadas pelo aumento da dissidência, e reagem com repressão. A Ong internacional Human Rights Watch relatou diversas condenações de ativistas, simplesmente por posts publicados em seus blogs ou mesmo no Twitter. Mas a condição de apoiador da política externa norte-americana tem poupado o emir de pressões e sanções internacionais como as que atingem outro regime ditatorial da região: o da Síria.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Protestos no Kuait expõem hipocrisia do Ocidente"

  1. E aqui, pouco ou nada se falou do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *