Nova esperança para os leões Índia

130417-leoes

Governo de Nova Délhi cria segunda reserva para felinos raros, amplia chances de sua sobrevivência e demonstra que garantia da biodiversidade é possível

Por Gabriela Leite

No imaginário coletivo, os leões estão associados à África, suas savanas e os documentários da National Geographic. Este clichê esconde uma realidade muito mais complexa. Antes de ser perseguida pelo homo sapiens, a espécie habitou também a Ásia e Europa. Um grupo remanescente, de algumas centenas, existe e está protegido na Índia — cujo governo acaba de adotar importante medida em sua defesa, segundo relata o Wall Street Journal.

A providência consiste em dividir a população de leões indianos, constituída de 411 indivíduos. Hoje, vivem no parque ecológico da floresta de Gir, no estado de Gujarat, perto da costa Oeste. Com a mudança, alguns passarão a habitar o Santuário de Vida Selvagem Kuno Palpur, no estado de Madhya Pradesh, mais ao leste do país. O mapa a seguir mostra o trajeto que farão. Segundo conservacionistas, além de ampliar o espaço para os sobreviventes, a criação de dois grupos é garantia contra eventual extinção, que ocorreria, por exemplo, em caso de uma epidemia grave.

Ver mapa maior | Mudança de alguns leões da floresta Gir (A) para Kuno Palpur (B)

O leão asiático originou-se provavelmente no sudeste da África, dizem os estudos a respeito do grupo. Há cerca de 20 mil anos, atravessou a Península Arábica e estabeleceu-se na Ásia, Turquia e outras partes da Europa. Apesar de já ter vivido nos Bálcãs, Macedônia e até na Grécia, desapareceram destes locais há alguns séculos.

Há registros deste leão em moedas e esculturas em pedra datadas até do século VII a.C, e sua figura foi historicamente significante na formação da cultura da região da Índia, sendo um grande símbolo local. Os animais são responsáveis por boa parte do turismo atual ao estado de Gujarat.

130417-leoes2

Leão em cena de caça – século VII a.C – Nínive, cidade da antiga Mesopotâmia

Apesar de sua população ter sido dizimada em séculos passados, seu número atual é mais que o dobro do que havia nos anos 1970. A transferência de parte do grupo é mais uma tentativa de preservar a espécie histórica. Alguns biólogos defendem, aliás, a criação de um terceiro habitat. Não há tanta preocupação com a caça aos leões, severamente restrita — mas sim com as de veados e antílopes. Estes animais são o principal alimento do felino, que corre o risco de ficar sem comida. Quanto à devastação dos habitats dos animais selvagens em geral, há grande preocupação na Organização Internacional pela Proteção Animal, afiliada à ONU, segundo seu representante indiano Naresh Kadyan.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

2 comentários para "Nova esperança para os leões Índia"

  1. Pingback: URL
  2. luiz carlos de souza coutinho disse:

    Muito boa a reportagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *