Primavera Brasileira ou golpe de direita? (1)

130623-ManifsRio

Perguntas e respostas sobre um movimento que está mudando a cena do país – e cujo futuro, aberto, será decidido também por você

Por Antonio Martins | Imagem: Ninja

“O Brasil não é para principiantes”, disse certa vez o compositor Tom Jobim. A sabedoria destas palavras está ecoando de novo a cada dia, nas duas últimas semanas. Entre 6 e 19 de junho, uma onda avassaladora de protestos de rua resgatou a ideia de que as lutas sociais valem a pena e marcou a emergência de uma cultura política de autonomia, redes sociais e horizontalidade. Um dia depois, as manifestações que deveriam celebrar este resgate foram em parte capturadas. Resvalaram para episódios de autoritarismo e intolerância, depois que a crítica às injustiças e à ausência de direitos foi direcionada contra os governos de esquerda e seus limites (vale ler este texto do repórter Tadeu Breda). Muitos dos que haviam se manifestado desde o início chocaram-se e recuaram. Foi inteligente, mas é hora de um novo passo. As ruas não se calarão, se quem luta por justiça estiver afastado delas. É preciso – e é possível – disputá-las. Este texto tentará explicar por quê e como, na forma urgente e imperfeita das perguntas e respostas.

1. É possível falar em Primavera Brasileira?

Ainda não, mas há sinais muito animadores de uma grande onda de mobilizações por direitos sociais, capaz de expandir em muito as conquistas – importantes, porém limitadas – dos dez anos de governos de esquerda. Em torno de um tema catalizador (os transportes urbanos e sua tarifa), claramente associado às desigualdades e a um modelo de metrópoles cada vez mais rejeitado, milhões de pessoas foram às ruas, em centenas de cidades. Outras reivindicações do mesma natureza, como o direito à moradia, emergiram.

Uma das grandes novidades das manifestações é que tiveram perfil completamente distinto do que marcava as lutas sociais brasileiras. Não foram convocadas nem pelos partidos de esquerda, nem pelos movimentos sociais tradicionais. A partir do chamado de um pequeno grupo, o Movimento Passe Livre (MPL), as multidões autoconvocaram-se, usando as redes sociais. Esta cultura política de autonomia não é inteiramente nova. Foi ela que suscitou, no início do século, grandes eventos, como os Fóruns Sociais Mundiais. Porém, é a primeira vez que se torna realmente popular, praticada por multidões. Este fato pode ter enorme importância. Sacode um cenário político que tende à estagnação, já que esquerda no governo tem grandes compromissos com o poder econômico e avança muito devagar; mas a alternativa institucional viável a ela é muito pior: os partidos conservadores e neoliberais.

A partir de 15 de junho, este movimento sofreu uma interferência que pode paralisá-lo ou inverter seu sentido. A mídia e os partidos à direita do PT, que até então o demonizavam e reprimiam, fizeram um grande giro tático. Passaram a turbiná-lo, ao mesmo tempo em que tentam capturá-lo. Procuram esvaziar a reivindicação de direitos e igualdade (ou seja, seu caráter “perigoso” de crítica social) e suscitar, em seu lugar, a luta genérica “contra a corrupção”. Ao fazê-lo tentam, ao mesmo tempo, voltar o movimento contra os governos de esquerda. Tirá-los do poder, seja de que modo for, é algo que, nos últimos dez anos, nunca saiu da agenda da direita.

Esta tentativa de captura é poderosa, porque a mídia de massas, embora desgastada e em declínio, ainda tem enorme influência no Brasil. Por isso, o futuro do movimento está em aberto. Vai depender de nossa capacidade de compreender o cenário e agir com sagacidade.

Leia também:

2. Há no ar uma tentativa de golpe antidemocrático?

3. Como foi possível converter manifestações autônomas por direitos em territórios de preconceitos e violência?

4. Por que a tentativa de capturar os protestos é frágil e pode ser vencida?

5. Que temas permitem retomar uma pauta de direitos e transformações?

6. Que são as Assembleias Populares e como elas podem preparar uma nova fase da mobilização?

7. Que revela a postura de Dilma e como os movimentos podem tirar proveito dela?

8. Por que o Brasil estará diante de uma encruzilhada, nos próximos meses? Que papel jogará a mobilização social ?

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

22 comentários para "Primavera Brasileira ou golpe de direita? (1)"

  1. Achei que o texto citado destoa um pouco de seu raciocínio…Esquerda e direita estão envolvidos na mesma coisa e por isso o movimento tem repudiado a presença deles…Discordo de bandeiras, ideologias e partidos sejam eles de esquerda ou direita em qualquer grau… Sonho um mundo em que o único governo sejam os comunitários, única maneira de voltarmos a viver em paz na periferia…E não espero a compreensão dos intelectuais da classe média desse país e seus partidos…

  2. karem calvette disse:

    Grata.

  3. Adavilso disse:

    Não sei quem é Antonio Martins, mas gostaria de saber. É incrível quanta besteira foi escrita num espaço tão pequeno. Golpe de direita???? Esse é o argumento mais idiota que eu já vi pra tentar minimizar a indignação das pessoas. O PT não é corrupto? E quem foi CONDENADO pelo mensalão? E essa divisão de esquerda e direita que insiste em marcar o texto, há muito não existe. E o povo está sim revoltado contra a inércia, a opacidade, e a roubalheira que se instalou e se endemizou nos 10 anos do governo do PT. Já vinha antes, mas o PT fez questão de institucionalizar a maracutaia com o mensalão, e ainda premia os condenados. Seu Antonio Martins, não sei quem é você, mas só não digo pra você voltar pra escola por que os 10 anos de governo “esquerdista” destruiu com ela.

  4. Ricardo disse:

    Adavilso,voce não conhece e já critica né?
    Antonio Martins é um jornalista respeitado e conhecido.
    Adavilso, os seus argumentos são generalizadores e expressam exatamente um pensamento raso e preconceituoso, que não consegue distinguir, raciocinar e dialogar. è uma pena, e exatamente esse raciocínio que pode nos levar ao desgoverno, ao caos, a uma intolerância típica da direita (como a sua) e que favorecería um golpe de direita. Os naziFacistas se aproveitaram desse sentimento acrítico como o seu para mobilizar as massas e implantarem regimes totalitários. Pense nissopor favor tá?

    • JoCaTag disse:

      O autor defende o atual governo por ser de esquerda e por ter, portanto, compromisso com essa ideologia. Ocorre que na prática os governos dos últimos dez anos no país, desde o primeiro mandato de Lula, foram mais de direita do que a própria direita. As chamadas conquistas sociais que em pouco, ou nada, se ampliam, são frutos, ainda, do governo de Fernando Henrique Cardoso, taxado de neoliberal, mas muito mais de esquerda do que os da década de PT, comprometido com o grande capital,. Zé Dirceu e Lula hoje são lobistas de luxo, viajando o mundo em jatinhos do grande capital e, pior, interferindo dentro do atual governo, chamado pelo autor como sendo de esquerda. Evidentemente tanto esquerda quanto direita tentam se apropriar do movimento espontâneo das massas, mas não têm conseguido e nem conseguirão, pois estão sendo sistematicamente repelidos. Lula, por exemplo, chamou as Centrais Sindicais para mandá-las se adonarem do movimento. Lá comparecendo, foram expulsos. Certamente a direita também tenta tirar suas vantagens, mas pelo menos por enquanto igualmente sem chances, felizmente.

    • Fabricio disse:

      O que o Duda fez pro PT em 2002? Favorecer o golpe? Quem cavou essa cova, foi um movimento da tal esqueda, o que vc viu ali, foi um desespero, sufocado, eh esse o sentimento que eu tenho! Essa esquerda ajudadora de pobre, nao chega onde eu estou. Desgoverno, caos? onde vc vive? Falando cheio de razao embaixo do braco, parece um discurso de ‘playboy de periferia”. vem aqui ver qual que eh, trabalhar pra comer e ver a vida passar.. Direita ou esquerda, tem que fazer direito! Nao falta dinheiro! O Lula se prostituiu! a oposicao, morreu qdo o PT virou situacao, lamentavel! O serra e resto, tbem nao rola! mas o lula veio aqui falar que iria ser diferente, so nao entendi que ia ficar diferente pra ele e pros companheiros.. ditadura nao volta! Dilma nao sai! mas nao vem me chama de analfabeto politico, ou reclama do fanatismo do inFeliciano. desculpa brother, mas o que eu ja ralei.. virei estatistica..

    • Adavilso disse:

      Ricardo, eu não argumentei, apenas citei fatos, simplesmente por que não havia o que argumentar porque o texo simplesmente não provoca discussão, tanto que, se você usar o teu comentário e substituir a palavra direita, por esquerda, ele serve de crítica para o texto. Mas não serve para discussão do que eu comentei, porque fatos não são preconceituosos ou ideológicos, são simplesmente fatos. No mais, leia os outros comentário, faço dos demais comentários a minha defesa para a sua acusação. Um abraço

  5. Vitória disse:

    Jornalista conhecido??kkkk , quem é esse cara??
    Acorda, brother, tá todo mundo metendo o pau nesse cara pois ele só falou besteira nessa matéria.
    Direita, esquerda, vc com seu medozinho de “nazifacismo” , que direita e esquerda, meu filho? Dera tivesse direita no Brasil pra massacrar esses petralhas que arrombaram os cofres públicos desde que tomaram o poder.
    Esse texto está totalmente fora da realidade, você e esse jornalistazinho devem ser comunistas de gabinete, as “zelites” que o Lula tanto fala, que vão para New York gastar seus salários de funcionários públicos na 5 Avenida.
    Quero ver ele manter esse discursozinho quando o filho dele for abordado por um cano na cabeça para roubar o I Phone, que ele deve com certeza ter.
    Chega, nem tenho mais paciência.

  6. nila madhava disse:

    me perguntei sobre isso tabm, mas to achando isso papo de pt, porq se não seria a direita da Turquia tabm né? pois acredito que esta mobilização surgiu por causa da Turquia o povo acordou inspirados pelos manifestos da Turquia devemos se manifestar seja direita ou seja esquerda tem que sair todos os corruptos do poder.
    há ± um minuto · Curtir
    Nila Madhava Maré Mantra cuidado o poder politico tabm esta usando faceboock pra criar estas historias pro povo desanimar nas manifestações.

  7. João Britto disse:

    Os imbecis sustentam que não existe esquerda nem direita , aconselham o estudo e lamentam “não haver direita” no Brasil. A direita late, não coragem nem de morder, os capitalistas faturam.

    • Vitória disse:

      Ainda bem que faturam, né? Assim você pode usufruir de seu salário, o país rodar a economia e não ir pro buraco. Não gostou? Vá pra Cuba!

  8. Paulo Fradinho disse:

    Avaliação perfeita! agora, é constrangedor observar a quantidade de pessoas com dificuldade para interpretar…textos! nota-se pelos comentários sem lógica, fundamento, completo desconhecimento da história (já não tão) recente do Brasil!
    o gigante acordou…mas não lembra o que passou na noite passada!
    sigamos assim mesmo, pois é que temos!

  9. Rodolfo Segabinazzi disse:

    Antônio, você escreveu:
    “Procuram esvaziar a reivindicação de direitos e igualdade (ou seja, seu caráter “perigoso” de crítica social) e suscitar, em seu lugar, a luta genérica “contra a corrupção”. Ao fazê-lo tentam, ao mesmo tempo, voltar o movimento contra os governos de esquerda.”
    Ou eu sou analfabeto ou eu entendi que lutar contra a corrupção é lutar contra os governos de “esquerda”.
    Ou pior. A corrupção é prerrogativa da “esquerda”.

    • Alini disse:

      Primeiramente, creio que não cabe a nenhum de nós esse tratamento hostil que presencio no momento e, quanto ao texto (que teve sua infeliz introdução ignorada por mim ao detectar a falta de embasamento teórico da parte do autor) creio eu, que um autor que desconfia que existe algum partido mais além-direita do que o PT não tem capacidade para questionar os acontecimentos com coerência, mas prossigamos. Se tem algo de que a mídia pode ser acusada, é de ser vendida, no entanto na extremidade oposta, temos uma tentativa de implantação de uma ideologia comunista, tremendamente assustadora quando propagada por idiotas empolgados sem conhecimento suficiente. Eu, que sou defensora convicta dos ideais esquerdistas, e posso afirmar que nenhum comunista/socialista em sã consciência sequer se orgulha do fato do pt ter se proclamado partido da esquerda um dia e não é nada complexo entender porque. O único medo que pesa em mim, é que o mundo seja tomado por pessoas como o autor acima, que julgam qualquer acontecimento sem senso crítico, baseando-se somente em sua ideologia, se esquecendo de dar aquele F5 básico na realidade social vigente e as mesmas transformem nosso país em uma cadeia anarquista sem fim. A mídia, reafirmo, é vendida e está do lado que paga mais, quando viu que o povo estava aderindo aos movimentos, viu na adesão uma forma de lucro. Ter olhar crítico é necessário, mas o texto assim como os comentários me lembrou facilmente os antigos sofistas, que se achavam cheios de razão e no fundo não sabiam de nada

      • Rodolfo Segabinazzi disse:

        Concordo inteiramente com você e me desculpo com aqueles que guardam suas convicções de esquerda. Eu também. Mas não pude aguentar minha indignação com as assertivas do Sr. Antônio e sofismei mesmo, até para destacar o absurdo a que chegam na sua cegueira fundamentalista.

    • Rob disse:

      Lutar contra a corrupção não é lutar contra os governos de esquerda. Usar uma genérica “luta contra a corrupção” pode ser contra qualquer governo. De corrupção até o antigo Cícero falava, e desde sempre a “luta conta a corrupção” foi usada para fins úteis aos poderes conservadores e capitalistas.
      No caso do artigo, precisa atenção (e conhecimento) às “…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *