Que propõe o primeiro restaurante parceiro de Outras Palavras

Captura de tela de 2015-11-24 23-05-50

Além de oferecer comida natural sofisticada, “Hoje Tem” articula rede de fornecedores orgânicos e debate avanços e percalços da luta por segurança alimentar. Novas parcerias em breve


MAIS
Hoje Tem, comida natural, orgânica e integral por quilo
Rua da Consolação, 3391 – São Paulo-SP (veja
mapa) – (11) 3086.4055
De 2 a 6ª, das 11h30 às 17h. Sábados, das 12h às 17h

www.hojetemfood.com

Criado em 2013 e denominado Outros Quinhentos, o programa de sustentação autônoma de Outras Palavras está se transformando. Em breve, ele poderá converter-se, também, numa rede para circulação não-mercantil de produtos culturais e da Economia Solidária. A primeira parceria firmada com um restaurante – o Hoje Tem, em São Paulo – revela as bases em que funcionará este circuito alternativo.

Situado na Rua da Consolação (veja mapa), o restaurante vai muito além de preparar e servir comida. Busca a comensalidade – um conceito apresentado, no texto a seguir, por seus criadores. Significa oferece, sempre, opções naturais, orgânicas e integrais de comida (embora sem eliminar as carnes do cardápio). Mas envolve também outras escolhas.

Para abastecer-se, Hoje Tem, que funciona no sistema por quilo, apoiou-se numa rede de pequenos agricultores. Estimula-os ativamente a adotar técnicas 100% orgânicas. E mantém, num blog específico, informação constantemente atualizada sobre a luta por segurança alimentar – um projeto de produção agrícola oposto ao dos “desertos verdes” propostos pelo agronegócio.

Hoje Tem anuncia em Outras Palavras. Quer entrar em contato com leitores que buscam espírito crítico e profundidade. Beneficia-se de um programa especial, voltado para produtores com este perfil. Não paga nada, em dinheiro, por esta (anti-)publicidade. Mas oferece descontos (10% para todos os leitores do site) e gratuidades (dois almoços completos grátis por semana, sorteados entre os participantes de Outros Quinhentos.

Em seu terceiro ano, Outros Quinhentos procurará multiplicar parcerias deste tipo. Convidará os leitores, nos próximos dias, a participar ativamente desta construção. Queremos divulgar a existência de dezenas de empreendimentos alternativos, em todo o Brasil, estabelecendo vínculos com eles. Pretendemos mostrar que, em tempos de crise, nada melhor do que fugir dos mecanismos que nos atrelam à produção hegemônica. Aguarde nossa proposta. Fique enquanto isso, a seguir, com o texto de apresentação de Hoje Tem.

151124-HojeTem

HOJE TEM – Comida, Comensalidade, Paz

Hoje tem é um restaurante de comida caseira a quilo na região dos Jardins, em São Paulo –na rua da Consolação, 3391. É, na verdade, um projeto voltado à alimentação que pensa comida, comensalidade e paz como um todo articulado. Para isso, baseia-se no tripé orgânico, natural e integral.

O projeto entende que há duas propostas claramente definidas em relação à alimentação e à vida, com algumas nuances e possibilidades:

  1. O que tem hoje… uma lógica da vida e da alimentação que se integra ao movimento do planeta, ao direito do outro, seja pessoa humana ou animal, vegetal, oceano ou ar, à busca do equilíbrio com o universo e do caminho do bem e da partilha.

  2. A lógica da alimentação e da vida que se rege pela dinâmica da indústria dos agrotóxicos, da conquista e submissão do planeta, das pessoas, animais e vegetais, que rompe o equilíbrio do universo e busca o caminho da acumulação a qualquer preço. Lógica de ter todas as vontades satisfeitas o tempo todo, porque, afinal, dinheiro compra tudo, não é? Mas compra com agrotóxicos e desequilíbrio e agressão (você pode ler sobre isso no blog Hoje Tem: http://www.hojetemfood.com/hoje-tem-blog/)

O tema da alimentação está no centro da vida individual das pessoas, das famílias, comunidades, países, de toda a sociedade. Há uma emergência global: nos países ricos, especialmente no Ocidente, uma epidemia de obesidade e a proliferação de doenças vinculadas ao envenenamento por agrotóxicos e comida processada; nos países da periferia, ainda grassa a fome, apesar de a produção mundial de alimentos ser capaz de alimentar todo o planeta duas vezes; há um conjunto de países, no qual se destaca o Brasil, no quais há um misto das duas situações limite; e poucas nações, especialmente no Oriente, nas quais o tema, por condicionantes culturais/históricas tem um caminho mais saudável e de integração.

Se você quer saber sobre a condição da agricultura brasileira hoje e dos danos causados à população do país que mais consome agrotóxicos no mundo, não pode deixar de ler o mais relevante e completo levantamento sobre isso, o dossiê da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, conhecido como Dossiê Abrasco: http://bit.ly/abrasco2015.

O cenário não é só desolação e de atentados contra a vida.

A cada dia emerge a consciência dos males causados às pessoas e a todo o planeta por uma alimentação e estilo de vida baseados no tripé de comida envenenada por agrotóxicos e processada + sedentarismo + stress. Este tripé alimenta outra engrenagem do mesmo sistema: a indústria farmacêutica. Outro projeto é o de uma vida que busque alimentação natural, integral e orgânica + atividade física + práticas de meditação e espiritualidade.

Há iniciativas ao redor do mundo para modificar o cenário engendrado pelo sistema do hipercapitalismo no qual números e gráficos e lucro são a prioridade. Algumas delas são:

Escócia e Irlanda do Norte  – no dia 9 de agosto de 2015, a Escócia país anunciou a proibição completa do cultivo de produtos geneticamente modificados, os transgênicos. Segundo o ministro dos Assuntos Rurais, Richard Lochhead, a decisão tem como objetivo preservar o país “verde e limpo”. Em outubro, a Irlanda do Norte seguiu o mesmo caminho. Outros países europeus, como França e Alemanha, têm severas restrições aos transgênicos, na contramão da política do governo brasileiro. Não é à toa que as mesmas multinacionais que vendem no Brasil produtos contaminados por agrotóxicos agressivos ou modificados geneticamente, na Europa comercializam apenas produtos “verdes e limpos”, para usar a expressão do ministro escocês.

Dinamarca – o país prepara-se para ter uma agricultura 100% orgânica.  O governo determinou que até 2020 seja duplicada a área de terra cultivada organicamente. Só este ano estão sendo investidos mais de 53 milhões de euros para ampliar a agricultura biológica. O caminho dinamarquês indica como os governos podem estimular o consumo de orgânicos e disseminar saúde: escolas, cantinas e hospitais deverão ter nos próximos anos 60% de alimentos de origem orgânica. Atualmente essas instituições públicas nacionais servem 800 mil refeições por dia. Na educação já está sendo prevista uma reforma do sistema atual para incluir cursos de nutrição, alimentação saudável e agricultura natural

Butão – a notícia não é nova. Desde 2007 este pequeno país da Ásia, situado entre os gigantes China e Índia, anunciou que, como a Dinamarca, terá 100% de sua agricultura orgânica em 2020. É um país pequeno, de apenas 750 mil habitantes, mas um bom exemplo de como é possível caminhar, mesmo sem ser uma potência mundial.

Estados Unidos – o sucesso da cadeia de supermercados Whole Foods, com mais de 400 lojas nos Estados Unidos e em franca expansão na Inglaterra e a explosão dos pequenos restaurantes e lanchonetes de comida orgânica e natural atestam uma mudança profunda que está acontecendo na pátria do fast food.

Chile – o país aprovou em outubro de 2015 lei que Projeto de Lei que regulamenta a publicidade de alimentos destinada ao público com menos de 14 anos. A legislação visa estabelecer a regulamentação específica da publicidade de alimentos dirigida às crianças que apresentam altos teores de certos nutrientes, como sódio, gordura e açúcar. O projeto aprovado proíbe qualquer publicidade que induza crianças a consumir comidas classificadas como “junk food“. A publicidade desses produtos também não pode afirmar que satisfaz as necessidades nutricionais de uma pessoa. Ele também impede a distribuição gratuita deste tipo de alimento a pessoas com menos de 14 anos. Outra restrição está no uso da violência ou agressividade e a associação de crianças com o consumo de bebidas alcoólicas e tabaco. A veiculação das publicidades desses produtos, para os maiores de 14 anos, será feita entre 22h e 6h.

Brasil – há um sem número de iniciativas da sociedade, de articulação entre pequenos produtores e consumidores ou pequenas empresas (como é o nosso caso). O mercado brasileiro de orgânicos tem crescido a taxas anuais de 35% a 40%. A área de orgânicos no Brasil é de cerca de 750 mil hectares, contando com mais de 10 mil produtores e aproximadamente 13 mil unidades de produção –é pouco, mas cresce a cada dia. E há algumas iniciativas governamentais que estimulam a produção, o consumo e a educação alimentar: a Prefeitura de São Paulo aprovou em março lei que determina que alimentos da agricultura familiar e produtos orgânicos ou agroecológicos sejam usados na alimentação de crianças e adolescentes da rede pública de ensino. Todos os dias, mais de 2 milhões de refeições são ofertadas na capital paulista. O Paraná e o município de Pouso Alegre (MG) também adotaram a mesma medida para garantir alimentos mais saudáveis para os alunos com a compra de alimentos orgânicos. Falta ainda uma adesão mais significativa do governo federal, mas as alianças com o agronegócio e a influência da indústria do agrotóxico e dos transgênicos têm limitado as ações em escala nacional.

Mudanças globais – há iniciativas globais que têm avançado bastante. Existe um movimento global chamado CSA – Community Supported Agriculture (Comunidade que Sustenta a Agricultura).  Neste modelo o agricultor deixa de vender seus produtos através de intermediários e conta para a organização e financiamento de sua produção com a participação de membros consumidores, colaborando para o desenvolvimento sustentável da região, estimulando o comércio justo. A iniciativa surgiu na década de 1980 nos Estados Unidos e Europa, chegou rapidamente ao Japão e existe também no Brasil (veja:http://csabrasil.org/). Está espalhado por mais de 30 cidades, sobretudo no Estado de São Paulo.

Há também milhares de pequenas iniciativas que articulam pessoas, famílias e comunidades, que buscam um novo caminho. Se você quer quiser e puder, assista um vídeo essencial sobre isso, da iniciativa Food Matters (http://www.foodmatters.tv/). Eles produziram um documentário sobre as duas lógicas de alimentação e vida que está disponível no site em inglês, mas há uma versão legendada no Netflix. Outra iniciativa que vale a pena acompanhar –e quem sabe, participar!- é a da permacultura, que busca abrir espaços no cotidiano da vida urbana para esta dinâmica de vida que se abre à vida. Há um documentário sensível sobre a proposta, no YouTube: http://bit.ly/permacidade.

Hoje tem… o que a natureza nos presenteia hoje e recebemos em alegria e gratidão! Nossa oferta se apresenta assim:

1. Hoje Tem restaurante – um restaurante de comida caseira gostosa a quilo nos Jardins em São Paulo. Logo mais, teremos outros formatos além da comida a quilo.

2. Hoje Tem entregas – levar às pessoas boa comida, no trabalho ou em casa. Temos um serviço de entrega de refeições, bolos, doces e sucos, que funciona nas proximidades do restaurante, a pé.

3. Hoje Tem coisa boa – produtos que gostamos de fazer ou de partilhar, feitos por [email protected] que pensam comida do mesmo jeito: doces caseiros, molhos pães, cookies, geleias e o que mais vier.

4. Hoje Tem conversa – uma plataforma de conteúdo articulada em nosso site (www.hojetemfoood.com), em nosso blog, hospedado no site,), em nossas páginas no Facebook (https://www.facebook.com/restauranteviaaugusta/) e Instagram (@hojetemfood), em eventos, palestras, conversas, e experimentações que dialoguem com o tema da alimentação-vida.

Guiamo-nos pela ideia da comensalidade, palavra ainda pouco conhecida. Significa comer juntos ao redor da mesa. Comer boa comida feita com amor. Comer e partilhar a vida. Comer e fazer, na família ou entre amigos e amigas nosso caminho comum de humanidade. Fazemos comida para que ela se torne convergência de sabor e saúde -e vida.

Buscamos todos os dias o melhor caminho para uma comida Simples, Saudável e Saborosa.

Hoje Tem.

TEXTO-FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *