Ressarcimento dos planos ao SUS cai em 2020

Como justificativa, ANS cita medida provisória editada em março

Este texto faz parte da nossa newsletter do dia 13 de outubro. Leia a edição inteira.
Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

Uma medida provisória editada em março acabou prejudicando o ressarcimento das empresas de planos de saúde ao SUS. Ou, pelo menos, essa é a justificativa da ANS para a redução do repasse, que entre e janeiro e junho do ano passado chegou a  R$ 522,31 milhões e no mesmo período deste ano ficou em R$ 491 milhões. Segundo a agência, a cobrança ficou prejudicada porque a MP 928 alterou prazos administrativos durante a vigência do estado de calamidade. Quem percebeu o problema foi o repórter Wanderley Preite Sobrinho, do UOL, que estranhou o fato de a agência não divulgar os dados de ressarcimento no boletim que deveria informar sobre o assunto. Teve que pedi-los à ANS…

O total já ressarcido pelas operadoras ao SUS é de R$ 6,32 bilhões, sendo que R$ 1,1 bi foi cobrado no ano passado. Ao longo do tempo, foram ressarcidos pouco mais de quatro milhões de atendimentos do Sistema Único a quem tem plano de saúde. Os mais comuns são transplante de rim, outras cirurgias, hemodiálise e radioterapia. 

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: