Resenha Semanal

1 a 8 de novembro 2019. A soltura de Lula é iminente depois de decisão do Supremo Tribunal. Reposicionam-se as peças no tabuleiro político. Enquanto isso, mobilizações no Chile redundam em novas formas de deliberação popular.

Demorou!

A semana fechou com a agitação em torno do julgamento no Supremo Tribunal Federal, que derrubou a prisão depois da segunda instância, um instrumento da Lava Jato que manteve Lula encarcerado por mais de 500 dias.

Decifre o texto seguindo as instruções e descubra a
indagação hipertbólica da semana
Aquela sensação de desastre iminente…

Hoje, sexta-feira, começam as reações ao veredito. Ainda não está claro se a validade é imediata, se haverão “modulações” ou o exame “caso a caso” para cada preso.

Ordem dada é ordem cumprida!

Há muita agitação e histeria das redes direitistas, uma enxurrada de memes e vídeos indignados. Vi uma chamada para manifestação anti-Lula para hoje, no MASP em São Paulo. Tem outra marcada pelo VemPraRua no mesmo local, mas amanhã dia 9. Há um consenso geral de que a volta de Lula vai reacender a oposição política do país.

Cortar a carne para produzir superávit…

Avalia-se que Bolsonaro ganha com isso, pois consegue reanimar a sua militância, um tanto perplexa com os rumos do governo, mudando o foco do noticiário econômico. As divisões na direita e extrema-direita têm tido muita visibilidade no noticiário, como a implosão do PSL. Parece haver, ainda, certa separação entre moristas e bolsonaristas. Já a Lava Jato foi humilhada e continua a perder poder. O procurador Deltan Dallagnol, por exemplo, vai ser alvo de inquérito disciplinar no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O ministro da Justiça Sérgio Moro ainda poderia ganhar pessoalmente se também se polarizar com Lula. Mas precisa combinar com Jair.

Quem perde é o dito centro e tucanos, pois sua fraca atuação atual vai ser varrida pelo protagonismo lulista. Eles continuam prisioneiros de um projeto autoritário que eles sabem que vai devorá-los, mas que também contempla a sua pauta econômica liberal. Tudo o que podem declarar, como escreveu FHC esta semana, é “mãos lavadas”, como zumbis na fila da execução.

Relaxa, gata: todo mundo já sabe!

As ruas serão boa oportunidade de verificar como anda o apoio real da população ao governo. Pode ser que nem bombe, a despeito das declarações inflamadas de comentaristas e youtubers. Mas, como o voto decisivo foi do ministro Dias Tofolli, que tem um general alocado em seu gabinete, dificilmente o contexto de agora não foi previamente discutido e aprovado. Não creio que haverá um levante coxinha (com militares, Globo e tudo) para já.

Há quem afirme que os generais estão conspirando com a Globo e Moro contra o clã Bolsonaro

De qualquer forma, Lula solto ajudaria a reorganizar a oposição ao governo, um tanto paralisada e atônita. Suas chances eleitorais pessoais são bem baixas – ele está inelegível e há outros processos correndo, mas o contraste com a estatura do atual presidente é tamanho que Lula representa perigo real para o bolsonarismo. Lula saiu da prisão agigantado e projetará sua sombra sobre o Brasil.

Anagrama: desembaralhe as letras e descubra o resultado do fechamento que é o único cenário possível da “agenda Guedes”, que não vai produzir o crescimento de arrastão que antes era possível

Mas prossegue o projeto autoritário de atrito e desgaste das instituições. O presidente da hungria Viktor Orbán tem trilhado este caminho, assim como o líder da Turquia, Erdogan. Intensa propaganda, impacto e recuo, testando as reações e mapeando impulsos defensivos dos inimigos (nós).

Capa de publicação real de Maurício de Souza, de 2018. Por essa e por outras insistimos em falar em “Ditadura Civil Militar”…

Há crucial legislação em tramitação nas comissões do Senado que dão poderes inéditos ao Gabinete de Segurança Institucional, como o monitoramento em tempo real de mídias sociais (como o Whatsapp), que essencialmente colocam o movimento social sob a definição de terrorismo. Trata-se da PL 2.418/2019, já apelidada de “Patriot Act Tabajara” – em referência à legislação americana implementada depois do 11 de Setembro, efetivamente lei de exceção – e “AI-5 Digital”. As declarações de Eduardo Bolsonaro em favor de um AI-5 caso “a esquerda radicalize”, mas tal legislação realiza exatamente um tal fechamento, iniciativa do general Heleno.

Em breve na sua telinha

O caso do porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro deixou um cheiro ruim muito forte, ficaram mal a polícia civil carioca, a procuradoria, Augusto Aras, Sérgio Moro, os Bolsonaro… claramente a investigação sobre o assassinato de Marielle está bichada e envolve enormes interesses escusos. A revista Veja achou o porteiro em sua casa no rio de Janeiro e conseguiu fotografá-lo, fazendo também imagens de sua casa, revelando o bairro onde mora. Teme-se que ele possa ser morto a qualquer momento.

A imprensa assumiu estranha forma de vida…

O leilão do Pré-Sal foi um fracasso para o governo: teve que recorrer à própria Petrobrás e à China para que houvesse lances. Tal fato acentua uma percepção que alivia a agonia melancólica que está no ar: o projeto destrutivo da extrema-direita não é invencível. A hesitação das empresas estrangeiras seria resultado da instabilidade atual e potencial do país. Em outras palavras, o risco Bolsonaro está sendo fatorado no cálculo de lucro…Mesmo assim, o ministro Paulo Guede quer “reformar o estado brasileiro” e propõe mudanças profundas na estrutura administrativa e fiscal do país, mas sem consulta geral ao país…

Lembrei da anedota dos dois dois amigos na floresta, que ilustra como os tucanos e liberais acreditam que vão se safar da extrema-direita, sacrificando a esquerda. Perdidos na mata, os amigos encontram um urso que começa a perseguí-los. “Vamos correr!”, diz um. “Vamos correr mais do que ele?” pergunta o outro. “Não, eu vou correr mais do que você!”.

“Os primeiros 500 anos são os mais difíceis…”

Mas a sombra do Chile permanece sobre nós. No país vizinho, as mobilizações continuam fortes, e há interessante e potente movimento de assembleias populares locais. Frente à paralisia do parlamento e do Executivo, capilariza-se a auto-organização na sociedade. Uma assembleia nacional constituinte está nas cartas.

Já na Bolívia, fortes e violentos confrontos entre apoiadores governistas e oposicionistas.

Glenn Greenwald foi agredido por Augusto Nunes em programa de rádio na Jovem Pan, o odioso Pânico. Nunes foi e é muito escroto, atacando os filhos de Glenn de maneira muito baixa, e chegou a atingir o americano fisicamente com um soco. A atitude da Jovem Pan foi péssima, lançando nota anódina e não demitindo Nunes.

Anagrama: desembaralhe as letras e descubra a figura que continua reverberando na política do Brasil
Achando que a esta altura teríamos propiciado outro
E a gente discutindo pedalada…

A deputada bolsonarista Joice Hasselmann chorou em plenário por causa dos ataques que vem sofrendo das milícias digitais de Carlos Bolsonaro. Não tenho nenhuma pena e não defendo. Ela se serviu do mesmo expediente contra Dilma, Lula e a esquerda. Como também o deputado Alexandre Frota, que agora posa de democrata. Achei um post dele que guardei no calor dos ataques contra Lula.

Pode ser, mas ele não conversa com bola de vôlei…
Democratas de todo o Brasil, deixai cair!

Respostas do enigma e dos anagramas:

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *