Há futuro para o Trabalho? — Pochmann debate na Fiocruz

No primeiro dos seminários preparatórios para o IX Congresso Interno da fundação, que acontece nesta quarta-feira às 14h, o economista debate o cenário atual de precarização, informalidade, reprimarização e seus impactos à Saúde

Seminários preparatórios do IX Congresso Interno da Fiocruz
Desafios do Trabalho e a Fiocruz do futuro
Conferencista: Marcio Pochmann
Debatedoras: Andréa da Luz (Cogepe/Fiocruz) e Maria Helena Machado (Ensp e CEE/Fiocruz)
Data: 15/9/2021
Hora: 14h às 17h
Transmissão: YouTube VídeoSaúde Distribuidora da Fiocruz
bit.ly/1seminarioCongresso 

Os impactos econômico, social e político das transformações em curso no mundo do trabalho, envolvendo questões como proteção social, direitos, novas tecnologias, automação, acesso ao conhecimento e relações humanas na sociedade digital, estarão em debate no seminário Desafios do Trabalho e a Fiocruz do futuro, que terá como conferencista o economista e professor da Unicamp Marcio Pochmann.

O seminário será realizado em 15/9/2021, das 14h às 17h, e faz parte do conjunto de quatro eventos preparatórios do IX Congresso Interno da Fundação Oswaldo Cruz, instância máxima de representação da Fiocruz, que definirá as grandes teses e diretrizes para os próximos quatro anos da instituição. A transmissão será pelo canal da Vídeo Saúde no Youtube e qualquer pessoa pode se conectar e acompanhar.

O evento terá como debatedoras à exposição de Marcio Pochmann, a coordenadora geral da Coordenação Geral de Gestão de Pessoas, Andréa da Luz Carvalho, e a pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública e do CEE-Fiocruz Maria Helena Machado. A mediação será do coordenador do Centro, Carlos Gadelha.

Até 10 de novembro de 2021 serão realizados os outros três seminários com os temas: Desafios da Saúde e a Fiocruz do futuro; Desafios da Mudança climática e do ambiente e a Fiocruz do futuro; e Desafios da Ciência e da Inovação e a Fiocruz do futuro. A organização é do Centro de Estudos Estratégicos Antonio Ivo de Carvalho (CEE-Fiocruz).

No processo de realização seminários preparatórios do IX Congresso Interno, formuladas, progressivamente, as teses e diretrizes para os próximos quatro anos da Fiocruz.

“A ousadia desses seminários consiste em articular a reflexão de grandes pensadores sobre o contexto atual, com propostas concretas para a Fiocruz do futuro, tornando o conhecimento produzido em instrumento de transformação e de inovação da Instituição”, destaca Carlos Gadelha, à frente da organização dos seminários e da produção de sumários sobre os pontos fundamentais de cada uma das discussões, para subsidiar a definição de estratégias para a inserção da Fiocruz em um projeto nacional de desenvolvimento. 

Os sumários servirão de suporte para o documento de referência do IX Congresso Interno, que termina com a realização da plenária, dias 8, 9 e 10 de dezembro de 2021. 

Trabalho na sociedade pós-industrial

Apesar de grandes possibilidades tecnológicas que se abrem na sociedade pós-industrial (digital), o futuro do trabalho aponta para aspectos que preocupam. Precarização do emprego, flexibilidade das jornadas de trabalho, ampliação da informalidade, diferentes formas de remuneração e de entendimento sobre os “direitos laborais” e ampliação da desproteção, com geração de vulnerabilidade e consequentemente insegurança, medo, estresse e ansiedade, diretamente ligados à saúde do trabalhador, são alguns desses aspectos.

No enfrentamento desse cenário, é necessário levar em conta também a democratização do acesso ao conhecimento e a definição de um projeto político capaz de deixar para trás a condição do pais de economia especializada na produção e exportação de bens primários, de baixo valor agregado e conteúdo tecnológico, rumo à apropriação crescente de saberes, ampliando-se o investimento em ciência, tecnologia e inovação.

Congresso Interno da Fiocruz

A cada quatro anos, desde 1988, na gestão do sanitarista Sergio Arouca, delegados eleitos pelas diferentes unidades da Fiocruz reúnem-se no Congresso Interno da instituição, para deliberar sobre o regimento interno, propostas de alteração do estatuto e assuntos estratégicos relacionados ao projeto institucional.

A realização do Congresso Interno na Fiocruz orienta-se pela afirmação de valores humanistas, dos direitos sociais e trabalhistas, traduzidos na frase democracia é saúde, que pautou a histórica 8ª Conferência Nacional de Saúde, em 1986.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *