Bares populares da era socialista resistem na Polônia

Baratos e tradicionais, são relíquias gastronômicos, remontam ao fim do século XIX e multiplicaram-se após II Guerra

Por Roberto Almeida, no Opera Mundi

Baratos e tradicionais, são relíquias gastronômicos, remontam ao fim do século XIX e multiplicaram-se após II Guerra 

Por Roberto Almeida, no Opera Mundi

Todo em madeira, o Bar Mleczny Familijny, ou Milk Bar Familiar, contrasta com os restaurantes caros da Avenida Nowy Swiat, a mais badalada e cosmopolita de Varsóvia. Um passo adentro e o cardápio todo em polonês só deixa entrever que há, sim, pierogi, os pasteizinhos cozidos com vários recheios, entre outras dezenas de pratos – ilegíveis sem um dicionário no bolso – com preços em torno de um euro.

O caminho para o caixa, primeira parada antes de pegar a comida, mais parece uma trilha rumo ao confessionário. A operadora fica atrás de uma tela de madeira e só fala o básico em polonês. O pedido é para ser feito rápido, porque o prato sai um passo à frente, sem demora. Na fila, tente contar com a ajuda de alguém solidário para fazer o pedido. Na dúvida, tente bigos (repolho com carne de porco desfiada e purê de batata). Não tem como errar na dicção.

Os milk bars são uma instituição polonesa do final do século XIX. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, em que 80% de Varsóvia foi destruída, e a adoção do comunismo soviético, eles se mantiveram na ativa como os restaurantes do trabalhador – baratos e de comida caseira. Depois de 1989, muitos fecharam e os remanescentes são mantidos com subsídio do governo. Vivem lotados.

Roberto Almeida/Opera Mundi

O nome milk bar, ou “bar de leite”, vem do uso de derivados do leite e de farinha para fazer a maioria dos produtos que eram servidos, como a massa do pierogi. Hoje o cardápio é muito mais farto. No Bar Mleczny Familijny há vários tipos de sopa e carnes em tantas variações quanto o dicionário comporta.

No Mleczarnia, na Avenida Jerozolimskie, há um cardápio em inglês que pode ajudar e um serviço “modernizado”, em que você chega a ver com quem está falando para fazer o pedido. Mas o anúncio de que seu prato está pronto ainda é um grito bem dado.

Os preços, porém, também são mais altos, mas nada que faça coceira no bolso. Uma sopa de tomate ou de pepino custa um euro (R$ 2,50). O flaki, ou sopa de tripas, sai a 1,50 euro (R$ 4,25), enquanto um prato com nove gordos pierogis recheados com cogumelos e repolho custa apenas 3 euros (R$ 7,50). As porções são enormes.

Abaixo, algumas dicas para visitar um milk bar e se divertir com a experiência:

– Quando ouvir Prosze? (ou Procha, que quer dizer ‘posso te ajudar?’) é sua vez.

– Sorria, mas nem tanto, para ganhar alguma paciência das atendentes.

– Treine a dicção dos pratos em casa: pierogi = pierogui; barcscz = borscht; e por aí vai.

– Se achar algum cardápio em papel, use-o para apontar o que quer. Aponte dizendo “to”, que quer dizer “isso”.

– Se o prato não sair na hora, espere na mesa até alguém chamá-lo. Preste atenção aos gritos.

– Coma muito e pague pouco.

Boas escolhas no cardápio:

– Flaki, ou sopa de tripas

– Zurek, ou sopa de trigo azedo

– Pierogis, ou pasteizinhos recheados e cozidos

– Gulasz, a carne de panela

– Bigos, ou chucrute com carne de porco desfiada

Os preços variam de 4 zlotys (um euro) até 12 zlotys (3 euros). Há também bons bar mleczny (lê-se bar mléchni) em Cracóvia, outro destino turístico bastante procurado.

Serviço:

– Mleczarnia Jerozolimska – Aleje Jerozolimskie 32, Varsóvia

http://www.facebook.com/Mleczarnia.Jerozolimska

Aberto das 10h às 20h

– Familijny Bar Mleczny – Nowy Świat 39, Varsóvia

Aberto das 10h às 20h

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *