Governo engana em cartilha sobre maconha medicinal

Documento diz que não existe maconha medicinal

Este texto faz parte da nossa newsletter do dia 16 de dezembro. Leia a edição inteira.
Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

Os ministérios da Cidadania e da Mulher, Família e Direitos Humanos publicaram uma cartilha sobre os riscos do uso da maconha. Vindo de onde vem, não se poderia esperar um documento recheado de informações confiáveis, mas ele consegue superar as expectativas. Diz que “NÃO existe ‘maconha medicinal’” , com este ‘não’ assim mesmo, em letras garrafais, em destaque em um ‘box’ verde. Faz também alegações sem referências que as sustentem, como a de que houve aumento da “homicídios, criminalidade e violência” nos locais onde a substância foi legalizada. 

Ao contrário da cartilha, a reportagem da Folha elenca uma série de evidências que já existem tanto sobre o potencial quanto sobre riscos do uso dessa droga. E também resume o deprimente evento online de apresentação do documento: “O que está atrás da maconha é o utilitarismo, não é o uso terapêutico. É como eu ganho dinheiro com o narcotráfico“, afirmou Angela Gandra, secretária Nacional da Família. Quirino Cordeiro, secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, fez uma fala já corriqueira, argumentando que a aprovação da cannabis medicinal é o primeiro “passo” de um grande plano para chegar à liberação do uso recreativo….

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos