O Walmart e sua aposta na saúde

Crédito: Walmart

O Walmart negocia a compra da seguradora de saúde americana Humana, segundo “pessoas próximas ao negócio”, diz o Wall Street Journal, citado pela Forbes…

Essa e outras notícias você confere aqui embaixo, onde publicamos todo o conteúdo da newsletter de hoje. Ela traz os temas mais importantes dos principais veículos nacionais e internacionais. Espia só.

(Quer se inscrever e receber de manhã cedinho por e-mail? Clique aqui)

Se inscreveu e não recebeu? Dá uma olhada na sua caixa de e-mail. A news tem ido parar na aba “promoções”.

É HOJE

Gilberto Occhi, atual presidente da Caixa, vai assumir o Ministério da Saúde no lugar de Ricardo Barros, que saiu para disputar as eleições para deputado federal.

UM VERDADEIRO MERCADO DE SAÚDE

Por enquanto, tem muito disse-me-disse, mas… o Walmart negocia a compra da seguradora de saúde americana Humana, segundo “pessoas próximas ao negócio”, diz o Wall Street Journal, citado pela Forbes. A Humana tem valor de mercado de US$ 37 bilhões e é a segunda maior fornecedora de planos privados Medicare, destinados a idosos. Com a compra, o Walmart, que já tem tem 4,7 mil farmácias, poderia abocanhar a população dessa faixa etária.

E vem da Espanha uma notícia sobre freios na privatização: a gestão do departamento de saúde de Alzira (em Valência) voltou a ser estatal ontem. Isso já era esperado, porque o contrato com a organização que a administrava (em voga desde 2003) estava prestes a terminar e o governo já havia anunciado que não pretendia renová-lo. Segundo o El país, a reversão acontece depois de um ano de transição marcado pelo “enfrentamento” entre a concessionária Ribera Salud e o poder público.

GRANDE TRAMA

A American Pain Society introduz o conceito de que a dor deve ser avaliada em consultas como sinal vital; médicos começam a checar rotineiramente o grau de dor de seus pacientes; a empresa Purdue Pharma começa a fazer propaganda ostensiva de seu medicamento contra dor OxyContin, alegando que ele gera menos dependência do que a morfina. Tudo isso ao mesmo tempo, 22 anos atrás, criando o cenário perfeito para a epidemia de opiáceos que mata 60 mil americanos por ano. Está no Guardian e vale a leitura.

FALAR SOBRE AUTISMO

Livros, filmes e séries: o El país espanhol traz, no Dia Internacional de Conscientização do Autismo, recomendações para conhecê-lo melhor. Os boatos sobre autismo – como sua relação com vacinas – também são discutidos pelo jornal.

Estima-se que 70 milhões de pessoas no mundo (e 2 milhões no Brasil) tenham autismo, e a BBC traz histórias de sete britânicas que só o descobriram depois de adultas.

Aqui no Brasil, mil familiares de pessoas autistas vão receber capacitação do governo federal, trabalhando sociabilidade, comunicação e controle de agressividade, entre outras coisas.

“CRESCENTE GRITO DE AJUDA”

Estudantes de pós-graduação têm seis vezes mais chances de apresentar depressão e ansiedade do que a população geral, diz um artigo publicado em março na Nature e repercutido pelo Nexo nesta reportagem. Foram entrevistados mais de dois mil estudantes em 26 países.

OUTROS OLHARES

Desenvolver uma boa vacina contra o câncer é objetivo de cientistas há muito tempo e, em São Paulo, uma nova estratégia foi testada com sucesso em camundongos. Agora, vão ser feitos os primeiros ensaios com células humanas.

Enquanto isso,  o fato de que cânceres de adolescentes e jovens adultos têm semelhanças com os infantis leva alguns hospitais a relacioná-los à área pediátrica – isso tem melhorado as taxas de sobrevivência para vários pacientes.

TEVE QUE PARAR

Depois de dois vazamentos seguidos em menos de 20 dias, a Anglo American recebeu determinação do Ibama para que suas atividades fossem paralisadas. Ela também deve entregar um laudo com a descrição dos danos provocados (no primeiro destes vazamentos, foram 300 toneladas de minério de ferro, mas a empresa ainda não disse o quanto foi despejado no segundo).

E, mais de dois anos depois do acidente da Samarco em Mariana (MG), todas as 11 pessoas examinadas na cidade de Barra Longa apresentaram altos níveis de níquel, 3 têm arsênio acima do limite, 5 o têm justo no limite e 10 têm zinco abaixo do necessário. Diante dos resultados, os atingidos querem exames em 100% do município.

MORTE SILENCIOSA

Uma reportagem da Folha aborda um problema importante: quase metade da população urbana do país não tem esgoto tratado e, quem tem, não necessariamente tem água limpa. Isso porque, quando há tratamento, ele deve remover só 60% da carga orgânica do esgoto, e mesmo assim só 769 dos mais de cinco mil municípios brasileiros conseguem isso. No caso dos 100 maiores municípios, apenas 31 atingem o nível satisfatório.

O jornal destaca destaca dois casos. Em São Paulo,  tentativas de despoluir o Tietê rolam desde 1992, já foram gastos R$ 8,8 bilhões desde então e o rio continua morto em 130 quilômetros – quase o dobro da mancha em 2014. No Rio, um projeto de despoluição da baía de Guanabara aconteceu de 1994 a 2006 e criou estações de tratamento… mas não tubulações suficientes que levassem o esgoto a elas. Em 2012, começou um programa de saneamento ambiental, mas, com a crise econômica, projetos foram interrompidos.

DE OLHO NO PRATO DO VIZINHO

Os Estados Unidos tentam impedir que México e Canadá coloquem sinais de advertência nos rótulos de alimentos ultraprocessados com muito sal, açúcar e gordura, diz O joio e o trigo. O alerta veio de uma coalizão de ONGs mexicanas, e o instrumento para o controle seria uma cláusula no Nafta (tratado de livre comércio entre esses países) que os EUA querem impor.

SARAMPO TAMBÉM POLÍTICO

Mais de 70 crianças já morreram com sarampo em Papua, na Indonésia. Desnutridas e sem assistência médica periódica, as crianças afetadas pela doença pertencem a uma tribo nômade e passam grande parte do tempo nas florestas. Mas a dificuldade de acesso dos profissionais de saúde não é a única razão para o problema, segundo especialistas ouvidos pelo El país. Há grande atividade mineradora na região, com muitos trabalhadores vindo de longe e trazendo doenças antes inexistentes ali. E, enquanto crescem os investimentos para a exploração das minas de cobre, há poucos em serviços públicos de assistência.

A matéria destaca ainda a existência de uma política de isolamento em relação a esta província, que tem ocupação militar e onde desde os anos 1960 há um movimento de descolonização. Até 2015 a presença de jornalistas estrangeiros era proibida e hoje ainda há obstáculos; também não é permitida a atuação de ONGs e a entrada de estrangeiros em geral é limitada.

NÃO É COISA DO PASSADO

A tuberculose é muito comum nas prisões. E muito: mais de 30 vezes mais comum dentro delas do que fora. A matéria do Globo informa ainda que a doença está entre as dez principais causas de morte no mundo, e 95% dos casos acontecem em países de baixa renda ou em desenvolvimento.

BRANCOS DE OLHOS AZUIS

O Brasil é um dos países que mais importam sêmen norte-americano (foram 500 tubos no ano passado, contra 16 em 2011) e o perfil do doador desejado é bem… branco: pele branca, olhos azuis e cabelos castanhos. As informações são do El país.

MORTE SÚBITA

Ninguém sabe por que isso acontece, mas o fenômeno da morte súbita leva bebês aparentemente saudáveis à morte enquanto dormem. Agora, um estudo publicado no Lancet indica que pode haver uma razão genética: uma mutação que afeta os músculos respiratórios.

SUBERBACTÉRIAS

Aconteceu no Reino Unido. Um homem foi diagnosticado com gonorreia e recebeu o tratamento convencional contra a doença (antibióticos), mas nenhuma resposta aconteceu. Não é o primeiro caso de resistência a antibióticos na gonorreia, mas médicos britânicos dizem que esse é caso mais grave já detectado no mundo e o alerta vermelho foi aceso.

PICADAS PERIGOSAS

Os escorpiões estão mais adaptados ao meio urbano, diz a BBC, e o número de picadas aumentou 628,8% entre o ano 2000 e 2016 (de 12,5 mil para 91,4 mil). As mortes passaram de 13 para 124, um aumento de 853,8%. Nas cidades, os escorpiões têm abrigo, comida e poucos inimigos naturais, o que leva sua população a aumentar.

FEBRE AMARELA

Em São Paulo, o número de cidades com casos confirmados quadruplicou este ano: eram 14 municípios até dezembro de 2017, e agora são 54. Na capital, foram confirmados mais duas mortes, totalizando seis.

E justo nesse último ano despencou o número de casas que passaram pelo processo de prevenção na capital: foi uma diminuição de 42% em relação ao ano passado.

Macacos também estão morrendo, e a reintrodução desses animais na natureza foi parada em São Paulo para preservá-los. A Folha conta que foi até formado um grupo de ‘back up’ no zoológico, com macacos que serão resguardados para permitir a perpetuação da espécie.

EM BRASÍLIA

Agentes comunitários de saúde e de endemias de todo o país se encaminham para Brasília, onde acontece amanhã uma sessão do Congresso para derrubar os vetos à lei Ruth Brilhante.

MAIS CAROS

Desde sábado, remédios podem ter aumento de até 2,8% no preço, conforme anunciou o governo federal.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos