Habitar o mundo, iluminando todos

Movimentos de luta por moradia realizam 12 ocupações simultâneas em São Paulo. A reivindicação é a mesma de sempre, sempre necessária: há muita gente sem casa pra tanta casa vazia

Por Márcio Ramos

Do dia 6 para o dia 7 de novembro, mais de 3 mil pessoas ocuparam 12 prédios no centro de São Paulo. Até o Estadão se preocupou. A manifestação se deu à meia noite e, apesar de alguns erros estratégicos, todos os prédios abandonados do centro de São Paulo alvos dos manifestantes foram ocupados.

Mulheres em sua maioria, homens e crianças — cujos pais não tinham com quem deixá-las — participaram das ocupações. A maioria era jovens. A maioria das pessoas envolvidas moram em favelas e no subúrbio e ganham até 3 salarios mínimos. De forma organizada, agem politicamente para denunciar a falta de políticas habitacionais no Brasil e principalmente na cidade de São Paulo.

Simpatizantes a causa, estudantes, artistas e muitos jovens bem morados participam das manifestações ativamente. Eu mesmo já encontrei pessoas de diversos países. Os prédios ocupados estão abertos à visitação. A Frente de Luta por Moradia (FLM) e o Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC) insistem com muita propriedade na urgencia do diálogo e ações rápidas para acabar com o deficit de habitação.

Quem quiser saber mais olha aqui.

Com o protesto, denunciam o descaso histórico que os sucessivos governos dispensam ao bem-estar social, ignorando que para viver com dignidade devemos habitar um espaço limpo, onde todos tenham, entre outras reivindicações, moradia saudável.

Todas as ocupações do último 6-7 de novembro foram feitas de forma pacífica, como atesta a própria Policia Militar, mas isto não quer dizer que a PM não tenha agido de forma abusiva.

De qualquer forma a policia continua impedindo a entrada e saída dos manifestantes e assim as condições dentro dos prédios começa a ficar precária, pois ocupantes são seres humanos e precisam de comida, produtos de higiene, água etc. Eu acompanho e registro as ocupações.

As fotos acima são de amigos e amigas que participaram das ocupações e esperam por sua casa própria.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Habitar o mundo, iluminando todos"

  1. Rose disse:

    Não é justo que o aluguel leve 50% do nosso suado salário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *