Eleições: a possível Geringonça Brasileira

Novas pesquisas indicam uma eleição extremamente arriscada. Mas e se Lula, Ciro, Boulos e Haddad fechassem um programa comum e um compromisso de compor, juntos, um governo sem a direita?
Por Antonio Martins | Vídeo: Gabriela Leite

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

5 comentários para "Eleições: a possível Geringonça Brasileira"

  1. Adir de Jesus Cardoso disse:

    O grande problema que enfrentamos é que ao PT foi dada todas as condições para termos um País mais justo, progressista e atendendo as prioridades dos menos favorecidos. Porém, não satisfeitos com o voto de confiança dos brasileiros, entregaram o ouro para os bandidos, se misturando com o que de mais repudiável existe na sociedade brasileira. É difícil o resgate da credibilidade perdida.

  2. caio disse:

    Total apoio à proposta, em todos os seus aspectos, particularmente o nome do pacto “Marielle Franco”. Mas receio que tenha vindo um pouco tarde. Pior ainda, penso que o PT vai manter a sua política suicida de não se somar aos outros candidatos do campo da esquerda, o que compromete seriamente a própria sobrevivência deste campo.

  3. Helmut Thielen disse:

    Caro Antônio,
    a tua perspectiva de uma frente única das esquerdas para as eleições não está já superada pelo sectarismo do PT perante o Ciro?
    Helmut Thielen

    • Antonio Martins disse:

      Caro Helmut:
      Infelizmente, como chapa única, no primeiro turno, sim. Mas acho que a necessidade de unidade é tão grande — tanto nas eleições quanto na longuíssima tarefa de reconstruir o país, em caso de vitória de uma das candidaturas antigolpe — que vale muito lutar por ela.
      Abração

  4. Sonia Diemer disse:

    Penso que não se trata de esquerda ou de direita, mas sim de Ideal, de Foco, de Ética, no que se refere a VIDA e seu VALOR, INESTIMÁVEL, POSTA, diante da miséria capitalista e sem nenhum VALOR em HUMANISMO, posto que, é o TER e não o SER , que é priorizado. Enquanto esquerda ou direita, enquanto partidário de interesses, nunca nos constituiremos como Humanistas e sim “humanóides”, como podemos assistir no palco, do atual circo de horrores dos “ns” interesses individuais…

Os comentários estão desabilitados.