Dunga y nosotros

Somos o riso posto na cara, o futebol-poesia. Dunga, se louco, é expressão da loucura internalizada, a serviço da mesmice

(Por Tadeu dos Santos)

Por toda a parte ocorreu a depuração do futebol.  Veja o caso inglês. As bolas já não são mais alçadas à área durante chatos 90 minutos.

Dunga, por outro lado, é a europeização do Brasil. É a ordem e progresso positivista colocada na ordem do dia. É a negação da história que ao longo do tempo construímos. Não é a história a contrapelo de que nos falava Marilena Chauí no prefácio do Livro O Silêncio dos vencidos. Ali o autor (Edgard De Decca) conferia luz e dava voz aos vencidos da história. Aqui, Dunga mergulha-nos no breu da caverna de Platão. Parafraseando Caetano eu diria que onde queres ordem, somos Garrinchas.

Millôr Fernandes diz que coerente é o cara que não consegue ter uma outra ideia. Tive uma professora que dizia não haver qualquer problema na mudança de ideias; eis que apenas aos loucos era dado tê-las (as ideias) fixas.

Dunga, porém, não é louco. Ao menos não no seu sentido trangressor de que nos falava Foucault. Dunga, se louco, é insano ou é a expressão da loucura má, já enquadrada e internalizada, é a loucura-funcional, viabiliza o perfeito funcionamento do sistema, está a serviço da mesmice. Dunga prima pela ausência de molejo, é a cintura dura, é o brucutu.

Nosostros somos todos Garrinchas. Somos o riso posto na cara, somos o futebol-poesia, estamos a dois passos do futebol-deboche e a um do paraíso. Se a alguns míopes é dado pensar que perdemos em 82, é porque suas retinas deixaram de captar o essencial, a beleza.

No mais, coerência não tem o condão de atrair a si todo um panteão de coisas boas. Ela sequer é intrinsecamente inteligente. Dunga é o exemplo da coerência burra. É fato, podemos ser coerentemente tapados, podemos coerentemente dizer não à novidade, podemos coerentemente ser conservadores. E Dunga o é, com todas as letras e desacertos.”

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

13 comentários para "Dunga y nosotros"

  1. Lucas disse:

    Isso tudo só porque vocês queriam que levassem o Neymar e o ganso pra copa?? O ganso eu até concordo, mas o Neymar? Ele é o proximo Robinho: pura enganação e fantasia da mídia. Se eu fosse o Dunga nem o Robinho levaria.

  2. Danilo Vilaça disse:

    concordo com a crítica ao Dunga. Ele reflete como treinador aquilo que era quando jogador. Ele acredita que a seleção de 94 tem mais “importância” que a de 82. Eu prefiro acreditar na beleza, em Cerezo, Falcão, Zico, Sócrates, Júnior fazendo a bola rolar.
    Viva a beleza no futebol, viva a beleza na vida!!
    parabéns pelo texto, muito bom !!

  3. Vitor Feitosa disse:

    Por que não choveu todas estas críticas quando o Dunga assumiu? Por que não se criticou quando Dunga ganhou a Copa América? Aliás se bem me lembro as pessoas aplaudiram, já que a última Copa do Mundo o futebol dito alegre falhou.
    Copa de 94 é mais importante que a de 82, em 94 fomos campeões. Não gosto do Dunga técnico mas o acho um exagero esse excesso de cobranças numa equipe que tem ganhado tudo quem tem disputado e além de tudo é a nº 1 no ranking da FIFA.

  4. leo badaro disse:

    gostei de ver ser defendido a evolução da mente humana e do ser humana na pratica do futebol. sempre deparamos com a mediocridade de dizer que a sleção de 1994 ganhou e portanto mazinho foi mais importante do que socrates ou falcão (quase uma aberração). parabens pela materia chegando à lenha no travado do duga.

  5. cla disse:

    O Dunga só ganhou alguma coisa porque os outros eram piores e não o time dele o melhor. É sovina, mesquinho e com visão estreita. Agora anda dizendo que vai embora para a Itália. Já devia ter ido. Futebol não existe mais. O que existe são “jogos” de interesses e não de futebol. Nunca torci pra Seleção e essa do Dunga menos ainda.

  6. Leandro Parejo disse:

    Concordo em numero, genero e grau contigo.
    Por isso sempre admirei a seleção holandesa, jogando bem ou mal, eles sempre jogaram pra frente, mesmo não tendo as habilidades individuais do Brasil.
    Futebol do Brasil é o futebol arte, futebol muleque que o Santos vem mostrando.
    E não aquele futebol apático, truncado da clássica seleção Italiana.
    Mas infelizmente o que vale são os resultados, vencer ou vencer, não importando como. O que nos resta é torcer pela nossa seleção.
    Avante Brasil!

  7. Diegueza disse:

    Pois é. A gurizada está em peso contra a Seleção. Todo mundo reclama porque queria ser técnico… E NÃO É! hahah
    O Dunga não convocou a Seleça dos meus sonhos, podem crer, mas isso não quer dizer que tenha deixado de convocar uma seleção competitiva e que, principalmente, está pronta para uma final de copa. Essas aves (gansos, patos, ronaldinho gaúcho e neymar – pavão e pintinho) poderiam estar na Seleção… do Parreira! Ele que é que convoca quem a mídia (e o povo sob influência da mídia) quer. Y nosotros, que hacemos? Torcemos para ter um técnico que promove festinhas e convoca os “caras que sabem se balançar” e malhamos o técnico que tem CERTEZA que essa é a Seleção certa para ELE!
    Tchê… é impressionante a capacidade que temos de não ficarmos satisfeitos com a porcaria da Seleção. Nunca. Só quero dizer mais uma coisa: com Neymar e Ganso (só com o Parreira como técnico) eu não sei se venceríamos, mas com o Josué (espero que ele nem entre em campo) “a copa do mundo é nossa, com brasileiro não há quem possa!”

  8. ArabeAlli disse:

    Interessante…, se solicitarmos a qualquer adimirador de futebol no mundo para que cite seleções que fizeram história, observaremos que não serão citadas as seleções que efetivamente ganharam uma copa, mas sim aquelas que encantaram o mundo jogando um futebol arte, bonito, harmonioso e eficiente. Hungria 54, Brasil 70 e 82, Holanda 74 (carrocel), Dinamarca 86 (dinamáquina), Nígéria e Camarões (que surpresa!), Argentina de Maradona, França de Platini, Alemanha de Beckenbauer e outras tantas mais…., mas nunca um Brasil de Parreira.
    Oxalá possamos um dia também citar a de Dunga.

  9. Caju Br disse:

    Uma vez que a seleção de 82 não funcionou; que novamente quase a mesma seleção, com o mesmo técnico perdeu para a Fraça, em 86; que Telê mais tarde com um São Paulo mais técnico, mais europeu foi bi-campeão; que a seleção de 94 usou da mesma tática que os europeus e foi vitóriosa; que em 2006 perdemos para um frança organizada; é provado que o futebol mundial evoluiu e que não se pode atacar sempre e ganhar sempre. A França de 2006 não era um grande time, mais acertou a marcação. Assim como só os idiotas acreditam que em 1998 vendemos a copa. O último jogo contra a Argentina provou isto: Argentina 1-3 Brasil (em Rosário). Ou por que será que a seleção feminina (futebol arte) não venceu as americanas? E por que a seleção masculina (disciplina tática) virou um jogo quase perdido contra os americanos? Por que os americanos chegaram à final da Copa das Conferações e não os espanhois ou italianos? Hoje é mais importante ter um time organizado do que habilidoso. Vide as últimas duas décadas. Eis o Brasil campeão mundial de 1998 e 2002; campeão da copa das confederações 2005 e 2009; campeão de 4 das últimas 5 edições da copa américa (1997-2007). Dunga está certo: este é um grupo vencedor.

  10. Jamille disse:

    Faz-me rir! Fala sério cara, você viajou na maionese!!!!! Total!!
    E digo, Dunga levará a seleção para a final! Há!

  11. Henrique disse:

    É Tadeu, vc vai precisar de Sócrates (o filósofo) para lhe defender. Você passeou em um terreno movediço e dificilmente conseguirá se salvar. Contra fatos não há argumentos, já dizia…quem?! Não me lembro.

  12. Wilson Mousinho disse:

    Nos programas de televisão o que mais aparece são malabaristas fazendo suas acrobacias com a bola. Robinho, Ronaldinho – Gaúcho, claro, não o ”Fenômeno ( que aparece uma vez e, adeus) dentre outros e, os resultados apresentados são pífios se considerarmos a quantidade de jogos, torneios e outras competições que disputaram pela seleção brasileira. Com certeza, aqueles que foram convocados tiveram sua recompensa pelos serviços prestados á Seleção – exceto o caso do Grafite, pois lembro que num dos torneios que a seleção participou, não lembro se foi a Copa América ou Copa das Confederações o Ronaldinho Gaúcho pediu para não ser convocado para prestar serviço à seleção, na certeza de se achar o melhor de todos. E, agora, reclama por querer prestar serviços à seleção? Dá licença!
    Robinho e Adriano. Adriano havia dito que tinha perdido a alegria de jogar. Volta para o Rio de Janeiro pelo Flamengo, se envolve em situações complicadas e queria ser premiado com convocação à seleção?
    Robinho à exemplo de Adriano, não estava jogando nada na Europa e decide voltar ao Brasil via Santos, mas conseguiu se redimir na Vila Belmiro ao lado dos meninos. Resta saber se o Santos irá sentir falta de seu futebol ou se ele jogará na seleção o que vinha jogando no Santos e, assim premiar Dunga pela sua convocação.

  13. Moacyr disse:

    Futebol arte ou futebol força?
    Há gosto para tudo. Beleza ou contabilidade? Cada qual que se satisfaça com seu prazer.
    Hoje não se dão mais espaços ou antigamente criavam-se espaços espaços onde não existiam? Quem viveu viu. Quem não viveu pode achar que o fillminho aí foi criado nos estúdios de hollywood:
    http://www.youtube.com/watch?v=kq4S31oFHEA&feature=related
    Os contabilistas gostam de contar, pois que contem quantos eram os adversários em cada jogada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *