šŸŽ™ļø A educaĆ§Ć£o na pandemia e a construĆ§Ć£o do futuro

O ensino Ć  distĆ¢ncia frente Ć s desigualdades brutais do paĆ­s. A convivĆŖncia cotidiana com a morte e seus impactos. A tecnologia nesse processo, e como incorporĆ”-la sem ceder Ć  mercantilizaĆ§Ć£o. Professores apontam caminhos

[Acompanhe o Tibungo em seu tocador de podcast preferido]

AndrƩ Luis Ramalho Francisco, FlƔvia Arruda, Roberto Rafael Dias da Silva e Vivian Reis entrevistados por Gabriela Leite, no Tibungo

Ricardo VĆ©lez, Abraham Weintraub, Carlos Decotelli. Em um ano e seis meses o ministĆ©rio da EducaĆ§Ć£o do governo Bolsonaro jĆ” teve trĆŖs nomes Ć  sua frente, mas quase nada de polĆ­tica pĆŗblica real. E se um governo inepto em tempos normais jĆ” causa estragos o suficiente, sob uma pandemia ele se torna efetivamente destruidor. Quando falamos de EducaĆ§Ć£o, Ć© o futuro do paĆ­s e das pessoas que estĆ” em jogo.

Escolas pĆŗblicas e particulares de todo o paĆ­s fecharam as portas pouco tempo apĆ³s o inĆ­cio do ano letivo, com a chegada da pandemia. Em muito pouco tempo e na marra, educadores precisaram aprender a dar aulas Ć  distĆ¢ncia, com todos os desafios que aparecem com essa mudanƧa. A tecnologia Ć© complexa, a internet muitas vezes falha, o cansaƧo aumenta. Os estados e as prefeituras muitas vezes nĆ£o oferecem a estrutura necessĆ”ria. Como Ć© prĆ³prio da desigualdade brasileira, os estudantes estĆ£o em situaƧƵes muito distintas entre si, e em condiƧƵes muito diferentes de estudo.

Este episĆ³dio de Tibungo dividido em duas partes. Na primeira, AndrĆ© Luis Ramalho Francisco, FlĆ”via Arruda e Vivian Reis, professores da rede pĆŗblica (municipal, estadual e federal), relatam suas experiĆŖncias e visƵes.

Na segunda parte, entrevistamos Roberto Rafael Dias da Silva, autor que escreve sobre educaĆ§Ć£o em Outras Palavras. Leia, abaixo, o texto a que ele se refere no episĆ³dio:

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia TambƩm: