Como o Yahoo viola os seus emails

Ex-funcionários denunciam: empresa invade e vasculha contas de usuários para atender pedidos da NSA. Questionado, Yahoo confirma, implicitamente, que “cumpre as leis dos Estados Unidos”

Por Altamiro Borges, em seu blog

3046778-poster-p-1-this-is-yahoos-preposterous-excuse-for-spying-on-user-emails

Ex-funcionários denunciam: empresa invade e vasculha contas de usuários para atender pedidos da NSA. Questionado, Yahoo confirma, implicitamente, que “cumpre as leis dos Estados Unidos”

Por Altamiro Borges, em seu blog

A agência de notícias britânica Reuters publicou na última quarta-feira (5) uma denúncia gravíssima, que comprova mais uma vez a postura agressiva do governo dos EUA. Na era da internet, os falcões imperialistas estão hiperativos na espionagem, desrespeitando a privacidade individual e a soberania das nações. Não dá para ter qualquer ilusão sobre a segurança com as novas tecnologias da informação. Segundo a reportagem, “o Yahoo criou secretamente um software personalizado para pesquisar todos os e-mails recebidos por usuários de seus serviços. O programa buscava informações específicas requeridas por autoridades de inteligência dos Estados Unidos, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto”.

Ainda de acordo com a matéria, a empresa cumpriu uma diretriz secreta do governo, pesquisando centenas de milhões de contas do Yahoo Mail por ordem da Agência Nacional de Segurança e da polícia federal dos EUA, o FBI. A ilegalidade foi revelada por dois ex-funcionários da empresa. “Especialistas em vigilância disseram que isto representa o surgimento do primeiro caso de uma empresa de internet norte-americana a concordar com exigência da agência de espionagem para pesquisar todas as novas mensagens, em vez de analisar e-mails armazenados ou um pequeno número de contas em tempo real”.

A Reuters informa que não se sabe quais as informações as autoridades de inteligência dos EUA estavam procurando, apenas que elas queriam que o Yahoo pesquisasse um conjunto de caracteres. “Isto pode significar uma frase em um e-mail ou um anexo, disseram as fontes, que não quiseram ser identificadas”. De acordo com os dois ex-funcionários, a decisão da presidente-executiva do Yahoo, Marissa Mayer, de obedecer a diretriz irritou alguns executivos e levou à saída, em junho de 2015, do diretor de segurança de informações, Alex Stamos, que agora detém o principal cargo de segurança do Facebook.

“O Yahoo é uma empresa que obedece a legislação e cumpre com as leis dos Estados Unidos”, confirmou a empresa em resposta às perguntas da Reuters. Já a famigerada NSA, denunciada pela presidenta Dilma Rousseff na assembleia da ONU por suas práticas criminosas, não quis responder ao questionamento da agência britânica. A Reuters revela ainda que “as empresas de telefonia e Internet dos EUA entregaram dados de usuários para agências de inteligência, mas alguns ex-oficiais do governo dos EUA e especialistas em vigilância particulares disseram que não viram anteriormente uma diretriz tão ampla para a coleta de dados em tempo real ou uma que exigisse a criação de um novo programa de computador para isso”.

Especialistas disseram à agência que é provável que a NSA e o FBI tenham abordado outras empresas com o mesmo pedido. “A Reuters não pode confirmar se a exigência de 2015 foi feita a outras empresas, ou se alguma cumpriu a ordem. Google e Microsoft, duas das maiores provedoras de e-mail dos EUA, não responderam aos pedidos de esclarecimento”. Não faz muito tempo, Edward Snowden, ex-funcionário da NSA, revelou ao mundo o gigantesco esquema de espionagem dos EUA. A reportagem da Reuters confirma que o esquema permanece ativo e atinge extensões ainda maiores. É bom ficar esperto!

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *