A inovadora vila solar da Alemanha

Em Friburgo, bairro tem painéis coletores em todas as casas, casas multifamiliares e automóveis compartilhados. Habitantes produzem quatro vezes mais energia do que consomem

No Petroleiro Anistiado

O condomínio é capaz de produzir quatro vezes mais energia do que consome.

Em Friburgo, bairro tem painéis coletores em todas as casas, casas multifamiliares e automóveis compartilhados. Habitantes produzem quatro vezes mais energia do que consomem

No blog Petroleiro Anistiado

O bairro solar Schlierberg, em Friburgo, Alemanha, é capaz de produzir quatro vezes mais energia do que consome, provando que uma construção ecológica pode ser muito lucrativa.

O condomínio é autossuficiente em energia e atinge isso através do seu projeto de energia solar, que utiliza painéis fotovoltaicos dispostos na direção correta. Parece uma estratégia simples mas, geralmente, os projetistas pensam nas instalações solares tardiamente, e dessa forma os painéis perdem parte de sua eficiência.

A vila, projetada pelo arquiteto alemão Rolf Disch, enfatiza a construção de casas que planejam as instalações solares desde o início do projeto, incorporando inteligentemente uma série de grandes painéis solares sobre os telhados. Os edifícios também foram construídos dentro das normas de arquitetura passiva, o que o permite produzir quatro vezes a quantidade de energia que consome.

O condomínio, com cerca de 11 mil m2, possui densidade média, tamanho balanceado, acessibilidade, espaços verdes e exposição solar.

Ao todo são 59 residências e um grande edifício comercial, chamado Solar Ship, que criam uma região habitável com o menor impacto ambiental possível. Nove das residências são apartamentos localizados na cobertura do edifício comercial. As residências multifamiliares possuem entre 75 e 162 m2.

Todas as casas são de madeira e construídas apenas com materiais de construção ecológicos. O conceito de cores foi desenvolvido por um artista de Berlim, Erich Wiesner.

As casas têm grande acesso ao aquecimento solar passivo e utilizam a luminosidade natural. Cada casa possui uma cobertura simples, com beirais largos, que permitem a presença do sol durante o inverno e protegem as casas durante o verão. Tecnologias avançadas como o isolamento a vácuo, aumentam o desempenho térmico do sistema da construção.

As coberturas possuem sistemas de captação de água da chuva. A água é utilizada na irrigação de jardins e nas descargas de vasos sanitários. Os edifícios também utilizam lascas de madeiras para o aquecimento no inverno, diminuindo ainda mais o impacto no ambiente.

As instalações permanecem livres de carros, graças à garagem abaixo do edifício comercial, onde é organizado um sistema de compartilhamento de automóveis.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

4 comentários para "A inovadora vila solar da Alemanha"

  1. LUIZ FERNANDES disse:

    INFELIZMENTE QUE NÓS VIMOS POR AQUI É O INCENTIVO A EXPLORAÇÃO DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS E A DEGRADAÇÃO DA NATUREZA PARA CONSTRUÇÃO DE HIDROELÉTRICA. COM UM IMENSO POTENCIAL NATURAL, O BRASIL, PODERIA SER O LÍDER EM ENERGIA RENOVÁVEL, POIS FAZ SOL PRATICAMENTE O ANO INTEIRO NO NORDESTE SEM CITAR A POSSIBILIDADE DE EXPLORAR A ENERGIA EÓLICA EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL. PARABÉNS PELA INICIATIVA ALEMÃ E MOSTRAR QUE É POSSÍVEL E VIÁVEL UM MUNDO SEM COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS. SÓ NOS RESTA SABER SE AS GRANDES PETROLÍFERAS DEIXARÃO ISSO ACONTECER E QUANDO.

  2. Bernd Eckenbach disse:

    A verdadeira situação no Brasil é muito pior. Por enquanto temos desenvolvido novas tecnologias de construção em termos de materiais, processos de fabricação e ligação, muito melhor em qualidade, e ….. muito mais barato que qualquer construção existente no Brasil. Mas, no Brasil não há interesse nenhum no nível político. Já conversei muitas vezes ate no nível de governadores, oferendo a reduzir os custos de qualquer construção até 50%, tbm no programa MCMV.
    O resultado: simplesmente ZERO. E, acreditais ou não, tbm quando a oferta foi construir escolas em própria responsabilidade. A misericórdia no Brasil não é o visível, pode ser encontrado melhor no nível político!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *