Esfriando os ânimos

União Europeia e AstraZeneca chega a acordo sobre entrega de vacinas

Este texto faz parte da nossa newsletter do dia 2 de fevereiro. Leia a edição inteira. Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

Depois de muita briga entre a União Europeia e o Reino Unido envolvendo a AstraZeneca (leia aqui), a farmacêutica concordou em aumentar suas entregas de vacinas contra a covid-19 para o bloco europeu em 30%. O cronograma estava com um atraso de dois meses, mas agora ficou acordado que as remessas começarão a chegar na segunda semana de fevereiro. Ao todo, serão 40 milhões de doses até março – ainda é um número pequeno, mas, segundo o Health Policy Watch, “a resolução parece ter acalmado as tensões”. Ao mesmo tempo, a Pfizer anunciou a expansão de suas remessas, com 75 milhões de doses adicionais no segundo semestre.

Como já dissemos, a briga levou a União Europeia a estabelecer medidas que podem restringir a exportação de doses fabricadas lá a outras nações. Vários países tem contestado a decisão e ameaçado retaliar; ontem, os diretores-adjuntos da OMC publicaram um comunicado que, mesmo sem mencionar textualmente a UE, vem como uma reação à medida do bloco. “A pandemia é um problema global. Esse desafio exige maior cooperação internacional”, diz a nota. 

Este texto faz parte da nossa newsletter do dia 2 de fevereiro. Leia a edição inteira. Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos