Em alta, de novo

Rio de Janeiro tem primeira alta nas mortes de idosos por covid-19 desde fevereiro, aponta estudo da Fiocruz

Foto: Danie Franco / Unsplashed

Esta nota faz parte da nossa newsletter do dia 16 de agosto. Leia a edição inteira. Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

A Fiocruz identificou a primeira alta nos óbitos de idosos por covid-19 desde fevereiro, e aqueles com mais de 80 anos estão na pior situação. Não se trata ainda dos registros oficiais, mas de estimativas do momento atual feitas a partir dos números da pandemia, compensando o atraso das notificações – um método que tem conseguido retratar cenários com bastante fidelidade desde o ano passado. Menos de duas semanas atrás, os mesmos autores haviam observado o aumento das internações por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) entre os mais velhos. “Era questão de tempo até que os óbitos aumentassem, infelizmente”, constata Leonardo Bastos, um dos pesquisadores, n’O Globo

O município vai testar a terceira dose em idosos na Ilha de Paquetá, onde já está em curso uma pesquisa sobre a vacinação em larga escala, conduzida pela Fiocruz. A previsão é começar a aplicar as terceiras doses no próximo dia 29. Segundo a secretaria de Saúde, a maior parte dos idosos recebeu o imunizante da CoronaVac, e agora receberá os da Pfizer ou da AstraZeneca.

Em tempo: as internações e óbitos em idosos refletem um problema mais geral, que é o da transmissão altíssima do coronavírus na cidade. O prefeito Eduardo Paes chegou a afirmar que a capital é hoje o epicentro da pandemia no Brasil; hospitais federais devem reabrir 90 leitos na próxima semana.

Esta nota faz parte da nossa newsletter do dia 16 de agosto. Leia a edição inteira. Para receber a news toda manhã em seu e-mail, de graça, clique aqui.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: