Não peçam o fim dos levantes, diz Alexandria Ocasio-Cortez

Deputada rebelde, ligada aos movimentos que propõem o Green New Deal e sustentaram Sanders, protesta: Deixem a hipocrisia. Enfrentem a desigualdade, o descaso com a pandemia e o racismo da polícia. É o caminho para a paz

Por Alexandria Ocasio-Cortez | Tradução: Simone Paz

Se você deseja o fim dos levantes, mas não acredita que o acesso à saúde seja um direito humano, se você tem medo de dizer que vidas negras importam, se você tem medo demais para denunciar a brutalidade da polícia, então você não quer o fim das revoltas.

Você quer que a injustiça continue e que os seus continuem a apoiar a violência da pobreza, a violência da falta de acesso a moradia, a violência da brutalidade policial e que não se fale mais sobre isso.

É isso o que você quer.

Então, se você pede por um fim do conflito, é bom você também exigir o acesso à saúde como um direito humano, que você peça mais responsabilidade do nosso sistema policial, é bom você começar a apoiar os conselhos de avaliação da sua comunidade, é bom você apoiar o fim da discriminação habitacional, é melhor você se posicionar contra as imobiliárias — que, com seus fins lucrativos, intimidam pessoas para expulsá-las de suas casas.

É melhor você pedir tudo isso. Porque se você não exige essas coisas, mas quer o fim do conflito, tudo o que você quer é a continuação de uma opressão silenciosa.

Eu não consigo lidar com pessoas que dizem “precisamos acabar com o conflito, precisamos acabar com essa violência”, como se cobrar mil dólares por mês de uma pessoa que precisa de insulina para sobreviver não fosse violento.

Isso é violência. E deixar que as pessoas morram dentro desses sistemas é muito errado.

Se você não sentia a urgência em relação a essas questões até ver uma propriedade danificada, então precisamos nos perguntar: “por que tantas pessoas estavam tranquilas, ignorando esses problemas, até que viram uma janela ser quebrada?”

Por que isso precisa acontecer para as pessoas prestarem atenção?

Não deveria ser assim. E o que precisamos é de um compromisso para que esses problemas sejam resolvidos antes de que cheguem a tal ponto. Quando a nossa sociedade conseguir fazer isso, viveremos num mundo melhor.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

2 comentários para "Não peçam o fim dos levantes, diz Alexandria Ocasio-Cortez"

  1. josé mário ferraz disse:

    No tocante à prodigalidade da carência de evolução social, é extraordinário o fato de terem frequentadores de igreja, axé e futebola alcançado a letra A do ABC da alfabetização política. De referência ao avanço da civilização o passo de gigante da humanidade não foi dado na lua, mas aqui, no momento em que até desconhecedores do que seja pão e circo começam a se interessar por política. O historiador Edward Mc Nall Burns descreveu a Revolução Francesa como o clímax da insatisfação que pouco a pouco tomou corpo contra a injusta supremacia de uma aristocracia perdulária e decadente. Pouco a pouco também está a tomar corpo a noção da injustiça do sistema político vigente no mundo, dominado pela supremacia dos agiotas parasitários do sistema financeiro. Faz-se necessário, contudo, que a correção de tais injustiças não seja orientada pela mesma violência dos revolucionários franceses, mesmo porque daquele movimento apenas resultou a substituição de injustiça daquela época pela injustiça atual, ainda maior por incidir sobre mais pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *