Você enxerga o mundo na internet? Ou ela pesquisa você?

130731-Now

Já estão ativos, em seu celular, mecanismos de busca premonitória. Escolhem por você, pois convidam à rotina letárgica de viver sem refletir. Mas problema não é tecnologia

Antes que você pense em perguntar, seu telefone, conectado à internet, avisa que precisa sair de casa mais cedo e se agasalhar. O trânsito, até o local de seu próximo compromisso, está congestionado: você levará uma hora e dez, de carro. Faz mais frio do que previa a meteorologia na noite anterior. Em compensação, sorria: há uma promoção para a viagem a Paris que você queria fazer com sua namorada. Clique aqui, para reservar duas passagens, ou aqui para incluir, na compra, cinco diárias de hotel, com desconto, em Montmartre.

Novas descobertas tecnológicas estão tornando as buscas na internet muito mais sofisticadas. Diversas empresas — Google, obviamente, mas também Cue, reQall, Donna, Tempo AI, MindMeld e Evernote — estão desenvolvendo aplicativos que cruzam seus dados, adivinham seus desejos e fazem ofertas. É parte da “inteligência artificial”, um passo tecnológico que estava associado aos computadores corporais (como o Google Glass), mas que entrou em teste desde já. Se você usa um celular, Android ou Iphone, experimente, por exemplo, testar o Google Now.

Pensou em culpar a tecnologia? Não seria, provavelmente, uma boa pista. A inteligência artificial deriva de passos muito importantes e recentes, na programação de máquinas (leia nosso texto a respeito). Por meio de processos como deep learning, é possível torná-las capazes de agir como o cérebro humano — e reconhecer padrões e conceitos, ao invés de simplesmente processar imensas quantidades de dados. Sistemas como o Google Now apenas arranham as novas possibilidades abertas.

Se sua finalidade principal é, hoje, alimentar o consumo, isso não se deve à técnica, mas às próprias lógicas sociais. Numa sociedade que valorize o compartilhamento, a garantia dos direitos e a transparência, inteligência artificial será um recurso valiosíssimo para articular redes de colaboração, democracia direta via web, acesso a dados.

Mas a construção destes sistemas não pode esperar pelas grandes mudanças da política. Precisa começar já. Por isso, é tão importante conhecer o estado de fenômenos sociais como as redes de software livre — uma das novidades sociais mais importantes, neste início de século. Continuam a se desenvolver e a criar projetos autônomos? Foram absorvidas pelos gigantes da informática, como o Google? Outras Palavras tem enorme interesse em acompanhar o tema. [email protected] em segui-lo e em publicar informações a respeito podem escrever para [email protected]

 

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

3 comentários para "Você enxerga o mundo na internet? Ou ela pesquisa você?"

  1. Dinio disse:

    Aproveito este artigo, para denunciar um abuso que vem ocorrendo por parte das empresas que anunciam no Google, no meu caso, e ou
    não sei se em outro brausers. Quando estou numa página, como esta agora, páginas de empresas anunciantes instalam-se atrás do ícone do brouser, que no meu caso é google chrome,
    na barra de tarefas, interferindo de maneira abusiva na máquina e na navegação, atrapalhando o processamento da transmissão de dados e forçando que se tenha que parar o que estamos fazendo, clicar no ícone destas empresas, para fechar a página. Isto vem ocorrendo a cerca de 10 dias. Uma coisa é você entrar num site e o anúncio estar ali, é um direito do patrocinado e do patrocinador, e o usuário fica ali ou sai, como quiser. Outra é a empresa “anunciante” invadir tua máquina, sem tua permissão, pesar tua navegação, te atrapalhar, e ainda te forçar ao trabalho de fechar a página. No meu ver, isto se caracteriza explicitamente de abuso e invasão dos nossos direitos.Eu estou anotando todas as empresas que estão praticando este abuso, na minha máquina, para que nós prejudicados, unidos, tenhamos como nos defender e evitar estes abusos de poder. Segue abaixo a lista :
    – NETSHOES;
    – WALMART;
    – KANUI -Artigos Esportivos;
    – Template.Buscapé/dynatemplate/msnplus;
    – CIPELA.COM.BR

  2. Raoni disse:

    Recomendo esse site como referência de alternativas tecnológicas: https://prism-break.org/

  3. Dinio disse:

    Raoni obrigado pela dica; já conferi e vou pesquisar, até porque estou aprendendo programação. Mas é complicado quem não conhece -meu caso- alterar configurações, numa máquina, como meu not, que já vem com w8, e muitos programas e aplicativos, ele dificulta a interação, até para voce ficar preso ao mercantilismo mercenário da microsoft. Claro que tentamos fugir disto, mas a tônica da questão que levando é ampla, pois trata de invasão de direito do consumidor. Como disse no post anterior, é abusivo uma empresa entrar com seu anúncio na tua máquina, sem ser na página que voce abriu, entendeu, Raoni. Por que isto é um “NOVIDADE DE
    INTERFERÊNCIA ABUSIVA”, para mim. Nunca tinha visto. E se acontece comigo, está obviamente acontendo com milhões de Internautas, inclusive dentro das empresas, mundo afora.
    Veja o abuso – “VOCE ESTÁ TRABALHANDO E TEM QUE INTERROMPER, PARA FECHAR A PÁGINA DE UM ANUNCIANTE MERCENÁRIO E DESRESPEITADOR, QUE PRATICA ESTE ATO.
    Uma atitude que eu adoto e espalho, para que mais usuários façam, é simplesmente NÃO COMPRAR PRODUTOS NESTES SITES, que ao meu ver -e eu trabalho há anos com vendas-
    as empresas que praticam estes abusos, através, de seus “geniais marketeiros e programadores”, estão dando um “tiro no pé”, pois ao invés de te venderem produtos, te geram revolta e repulsa em relação à elas. Ah, a “FAST shop”, é mais uma que age assim.
    Raoni, se conheces algum aplicativo que impeça este abuso, te agradeço, se não existe ainda, então acho que este abuso deve ser denunciado rede afora, para barrarmos esta prática, porque se ficar como está, daqui a dias teremos…dezenas, centenas, de sites de empresas, invadindo nossa navegação, e ai, meu amigo, ao invés de navegar, vamos ficar fechando páginas. Este é o grande absurdo, porque vai contra o que se propõe a INTERNET, que é tu buscar aquilo, que te interessa!
    “QUEM QUER COMER UMA TORTA, VAI EM BUSCA E COMPRA! NÃO QUE LHE ATIREM UMA TORTA NA CARA!”
    Abraço Raoni.
    abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *