Seminário aproxima fronteiras entre Brasil e Palestina

Ministra da Autoridade Nacional Palestina visita São Paulo e participa de encontro na Escola Nacional Florestan Fernandes

Por Fabrízio Glória

Nesta quarta-feira (24), uma das principais representantes do gabinete ministerial da Autoridade Nacional do Governo da Palestina desembarcou em São Paulo. Abla Rimawi Sa’dat é coordenadora da Campanha pela Libertação dos Presos Políticos Palestinos. Esta é sua principal missão no Brasil. Na tribuna da Câmara Municipal de São Paulo, acompanhada pelo vereador Jamil Murad (PCdoB), ela explanou sua luta pelo povo palestino.

“Há uma grande motivação da luta palestina. Essas pessoas foram presas lutando pela libertação do nosso povo. Agora, nossa luta está mais complicada. A nossa luta para a soltura dos presos políticos é a luta para a libertação do Estado da Palestina”.

Abla Rimawi Sa’dat calcula que cinco mil palestinos presos políticos estejam em cárceres israelenses. Um deles é seu marido, o Secretário-Geral da Frente Popular para a Libertação da Palestina,Ahmad Sa’dat, detido em 2002. “Nessa campanha de soltura do Ahmad Sa’dat e dos outros presos políticos, nós pedimos que seja respeitada a vida digna de todas as pessoas que estejam lá”.

De hoje (25) até o dia 27 de novembro, Abla Rimawi Sa’dat, participa do I Encontro Nacional de Solidariedade ao Povo Palestino, na cidade de Guararema, interior paulista, na Escola Nacional Florestan Fernandes.

Abla Rimawi se diz “gratificada” por ter recebido o convite de vir ao Brasil contar sua história e também a do povo palestino. “É um grande prazer e honra pra mim, estar no meio desse povo humano e digno que sempre apoiou o povo palestino na sua luta pela libertação”.

Fora do mapa 

Numa pesquisa rápida no Google Earth é impossível encontrar no mapa do nosso planeta o Estado da Palestina. Utilizando a ferramenta com a coordenada Palestine, encontramos Jerusalém localizada no Estado de Israel.

A Google não é a única que nega a reconhecer o território palestino. Em nossa rápida viagem pelo mundo virtual, porém, encontrar a definição do Estado da Palestina já não é tão difícil. No Wikipedia está a descrição: “Organização política reconhecida parcialmente como um Estado soberano no Oriente Médio”. O texto segue dizendo que “O estado palestiniano controla algumas funções da administração pública no território”. E seguem as definições:

“O Estado da Palestina foi proclamado no dia 15 de Novembro de 1988 em Argel, Argélia, pelo Conselho Nacional Palestiniano (organismo legislativo da Organização para a Libertação da Palestina, OLP) através de uma votação com 253 votos a favor, 46 votos contra e 10 abstenções. A Palestina é administrada, desde 1994, pela Autoridade Autoridade Nacional Palestiniana, e reconhecida como um Estado soberano por 109 países”. O Brasil é um deles.

PROGRAMAÇÂO

SEXTA-FEIRA, 25 DE NOVEMBRO

MANHÃ – Encontro Ecumênico de Solidariedade à Palestina, com a presença de lideranças religiosas e demais dirigentes inscritos para o encontro

TARDE – Análise de conjuntura política, de luta de libertação nacional e da luta de classes na Palestina com a participação de diversas organizações políticas e sociais palestinas

NOITE – Atividade cultural com a colaboração do Instituto Jerusalém e de grupos culturais palestinos no Mato Grosso do Sul

SÁBADO, 26 DE NOVEMBRO

MANHÃ – Campanha BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções contra Israel) com Jamal Juma, e Stop The Wall, Situação das Mulheres (União dos Comitês de Mulheres Palestinas – UPWC), Operá[email protected] (General Union of Palestinian Workers – GUPW/ Palestinian General Federation of Trade Union – PGFTU/ Coalition of Independent Democratic Unions – CIDU)

TARDE – Camponeses/as (União dos Comitês de Trabalho Agrícola – UAWC), Estudantes (União Geral de Estudantes Palestinos- GUPS0, [email protected] Polí[email protected] (Ministério Palestino de Assuntos dos Presos) e Refugiados, Mundubat

NOITE – Jornada Cultural de Homenagem aos Mártires da Luta Palestina

DOMINGO, 27 DE NOVEMBRO

MANHÃ – Debate com o governo brasileiro, Ministério das Relações Exteriores, Assessoria Internacional de Combate à Fome do MINREX, Secretaria Especial de Mulheres, Secretaria Especial de Direitos Humanos, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério dos Esportes, Conselho Nacional dos Refugiados (CONARE)

TARDE –Debate sobre ações conjuntas e prioritárias para o próximo período, como fortalecer a solidariedade brasileira com o povo palestino, encaminhamentos e divisão de tarefas

NOITE – Em homenagem ao Dia Internacional e Solidariedade ao Povo Palestino

SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO

Ato político massivo e de encerramento do encontro na Assembleia Legislativa de São Paulo

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Seminário aproxima fronteiras entre Brasil e Palestina"

  1. Reginaldo disse:

    muitos dos prisioneiros palestinos ja mataram inocentes em israel e todos são ligados ao fathar ou ao hamas então não ha muito oque defender…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *