Para examinar melhor reajuste dos servidores públicos

160603-Desigualdade

Medida de Temer tenta cooptar alta burocracia estatal; mas também repõe perdas salariais de anos, do funcionalismo. Velha mídia confunde os dois aspectos, com motivos óbvios

Por Tatiana Roque

Gente, não faz sentido criticar em bloco o aumento concedido pelo Congresso aos servidores públicos! Isso não é medida do Temer, nem da Dilma, é medida de qualquer governo para repor perdas salariais.

O impacto de 58 bilhões que está sendo divulgado é em 3 ou 4 anos. Este ano será de uns 8 bilhões apenas.

Mas o mais importante é que se trata também de um aumento para os servidores e as servidoras do Executivo e do Judiciário. O absurdo do pacote está em aumentar na mesma proporção o salário de quem já ganha muito, ou seja, dos altos cargos do Executivo e do Judiciário, como juízes e ministros do STF.

Não vamos colocar tudo no mesmo saco porque nesse pacote há aumentos para uma infinidade de servidores que ganham em torno de 4.000 ou 5.000 reais. Como são muitos no Brasil inteiro, há um impacto, previsto no orçamento inclusive.

As notícias da grande mídia desqualificando este aumento em bloco, como um pacote, fazem parte dos argumentos daqueles que defendem o enxugamento da máquina pública e a privatização. Não vamos cair nessa!

Do lado de quem está preocupado com a justiça social e a redução das desigualdades, temos que defender que o aumento maior seja dos que ganham menos, pois quem já ganha muito acima do razoável não precisa de aumento nenhum, ainda mais proporcional, o que significa um valor absoluto gigantesco.

Pensem: o que é aumento de 10% pra quem ganha 4.000? E pra quem ganha 30.000? Pois é.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

6 comentários para "Para examinar melhor reajuste dos servidores públicos"

  1. tony disse:

    “Não vamos colocar tudo no mesmo saco porque nesse pacote há aumentos para uma infinidade de servidores que ganham em torno de 4.000 ou 5.000 reais.”
    Num país no qual a massa quase absoluta das pessoas ganha no máximo 2 salários mínimos vocês querem justificar aumento para quem ganha 5 paus? Numa crise?
    A autora do texto encontra-se entre essa turma? É isso???
    é isso
    No fundo essa “esquerda” classe média é sempre a mesma coisa.

  2. Mylene Goudet disse:

    Será mesmo que essa reposição salarial veio em um pacote de reconhecimento que das perdas?
    E será que os tempos são de reajustes?
    No conjunto com as outras medidas tomadas pelo interino, o que parece estar acontecendo é a tentativa de acalmar sindicatos, e tentar conter a drenagem de tão pífia popularidade.

  3. pepe disse:

    Mr.Moro…………..77.000 ?

  4. Laura disse:

    velha midia não, os blogs de esquerda todos estão comprando um pacote da alegria.

  5. Laura disse:

    Há um aumento abaixo da inflação para os docentes federais,por exemplo. 5%, com inflação a 11% ao ano. Atrasado, era para março. Há uma reorganização da carreira também, com 10% em tres anos. Então, pé um aumento que diminui salario,mas melhora um poucoa situação desesperadora em que estamos. Esta é a primeira noticia que timdamente separa alhos de bugalhos. Não tem informações objetivas sobre setores do funcionalismo e quais reajustes comparados a inflação. Ms já é um pontopositivo, esta é a unica materia que vi, não acatando o discurso do trem da alegria( que parece que há, nas carreiras juridicas) e a falacia neoliberal contra o estado.

  6. Regine Bandler disse:

    Muito obrigada pela explicação, porque até agora, nao tinha entendido porque este aumento foi negociado durante o governo Dilma. A presidenta deveria também explicar os alhos e os bugalhos quando discursa publicamente, e dizer que o justo seria que os que vão ganhar agora R$39 mil e algo mais – uma miséria – , deveria ter um aumento menor – senao negativo ( diminuição da desigualdade com redistribuiçao das riquezas). A pergunta que nao cala como no film EduKators é: Porque querem ganhar tanto ? Tem tempo para gastar ? Nao dá pra continuar a ter tanta disparidades de renda no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *