Kiko Dinucci, sobre escolas ocupadas em SP: "Estas crianças já são vitoriosas"

151113-Ocupas3

“Imagem dos policiais conferindo revistas parecia cena do “Fahrenheit 451. Mas pela primeira vez, estes garotos e garotas sentiram: é deles a escola que governador quer fechar”

Por Kiko Dinucci, em sua página no facebook

“Dei uma passada na ocupação da escola estadual Fernão Dias. Porque não faz sentido ver pela imprensa ou facebook o que está na rua ao nosso lado.

Alunos, professores e apoiadores estão do lado de fora.

Muita polícia também está presente, cercando as crianças que estão no interior da escola, essas crianças homens e mulheres que tomaram a escola que o governador de SP quer fechar entre outras 100 escolas do estado.

Uma amiga, Graziela, entregou aos alunos exemplares de sua revista Urbania, destinada ao pensamento sobre educação.

Como as pessoas da calçada são impedidas de ter contato direto com os “internos” da escola, as revistas passaram pelos policiais, foram conferidas para ver se não tinha nada perigoso dentro (e tinha, né?) para então eles passarem para os alunos através da cerca.

151113-Ocupas2

A imagem dos policiais conferindo as revistas parecia uma cena do Fahrenheit 451. Fiquei pensando que fechar escolas pode ser tão cruel quanto nazistas queimando livros. A imagem da polícia alojada em grande quantidade em volta da escola, cercando os jovens, parecia também uma ficção científica absurda. Ao pegarem as revistas das mãos dos guardas, dois garotos saíram folheando curiosos as páginas.

Fiquei observando aqueles jovens politizados do interior da escola e fiquei pensando que esses dias de ocupação foram a maior escola da vida deles, nenhum curso a partir dessa experiência chegará aos pés desses dias de aula/vida. Talvez pela primeira vez esses garotos e garotas sentiram que a escola é deles. Transformaram a escola em seus lares, fizeram comida lá dentro, estão aprendendo a se ajudarem, estão trocando idéias, ouvindo música, vivendo o espaço como nunca fizeram antes. Ocuparam cada centímetro da escola sem terem que ouvir um adulto cagando regras e normas cretinas.

Mesmo que esses jovens saiam amanhã da escola, já serão vitoriosos, tiveram a maior aula de suas vidas, levarão esses dias pra sempre no peito e essa aula de dignidade humana que promoveram será exemplo pra todos nós.

O mesmo deve estar acontecendo na ocupação de Diadema (prestem atenção nessa ocupação também).”

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Kiko Dinucci, sobre escolas ocupadas em SP: "Estas crianças já são vitoriosas""

  1. PAULO ROBERTO QUINTANA RODRIGUES disse:

    Como professor aposentado, sempre acreditei na rapaziada, como dizia o saudoso Gonzaguinha. O que assisti pela televisão foi uma verdadeira aula de cidadania, alunos bem posicionados, falas fundamentadas, eles criaram uma possibilidade que deve ser seguido por muita gente: fazer protestos com consciência do objeto das reivindicações, organizados, sem badernas, tudo bem organizado. Que tem a ideia de que eles são alienados, a partir desse momento devem mudar as suas concepções. A rapaziada está ligada. Vejo muito claro, mudanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *