Financiamento colaborativo para transformar agricultura no Brasil

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida abre projeto no Catarse para realizar uma grande ação de educação na sociedade e ampliação da agroecologia

Por Bruna Bernacchio

Vocês sabem o que vocês comem? Vocês sabem o que tem no que vocês comem? É o que pergunta o vídeo da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, que, através do site de financiamento colaborativo (“crowdfunding”) Catarse, está levantando recursos (R$ 18 mil), junto à sociedade que contribua, para multiplicar seu trabalho.

Com este valor modesto, será possível realizar um conjunto de ações: seminários para formar multiplicadores da causa; sessões de cine-debates;  palestras e cursos em comunidades, escolas e ONGs; formulação de propostas de lei e ações juntos ao poder público; apoio a criação e manutenção de hortas orgânicas comunitárias, da Campanha; produção de um vídeo curta-metragem; criação, impressão e distribuição gratuita de cartilhas, cartazes e panfletos; manutenção de um canal de comunicação constante com a sociedade.

Criada em abril de 2011 e composta por movimentos e organizações sociais, a campanha tem como objetivo sensibilizar a população brasileira para a questão dos agrotóxicos, através da divulgação de estudos que comprovam os malefícios que esses venenos acarretam para a saúde da população e do meio ambiente; pressionar o governo a tomar medidas para frear seu uso no Brasil; e lutar para a consolidação de um novo modelo de agricultura, a agroecologia, que se apresenta como uma opção saudável, que valoriza a diversidade e já prova ter uma produtividade igual ou melhor que a convencional.

Em post publicado aqui no blog mês passado, o leitor pode conhecer alguns pontos levantados em dossiê científico, produzido pela Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco) e baseado em dados da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Chamamos atenção para uma petição da Campanha, que exige a proibição nacional de 14 substâncias já banidas em dezenas de outros países pelo mundo.

É possível colaborar com quantias a partir de apenas R$ 15. Como em toda iniciativa inscrita no Catarse, as pessoas que contribuírem financeiramente recebem em troca recompensas, que variam conforme o valor doado. Restam 29 dias para o projeto atingir sua meta – que precisa ser totalmente alcançada para que ele seja financiado. Vamos lá!

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

8 comentários para "Financiamento colaborativo para transformar agricultura no Brasil"

  1. Clóvis Otto Hertel disse:

    Ah… se todos lessem, pelo menos uma vez, a “Primavera Silenciosa” de Rachel Carson, teriam uma noção bem clara do que é uma contaminação perene por agrotóxicos liberados por esses incompetentes tecnocratas de prancheta! … o mundo não tem que ser assim …ativem-se!

  2. Paulo Machado disse:

    Colabore… sua saúde agradecerá….

  3. vamos lá, quero meus netos comendo comida verdadeira! e não ver, como agora, o leite materno já envenenado!!!!

  4. Biblioteca Comunitária de Itu disse:

    Contribua e diminua suas chances de ter cancêr :/

  5. necessario…imprescindivel

  6. Nós da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida agradecemos a divulgação e os apoios manifestados aqui nesse espaço. Seguimos numa grande mobilização e para viabilizar o projeto e conquistar os recursos para as ações descritas acima, que já estão sendo feitas com muita dificuldade com recursos do bolso dos próprios integrantes da campanha. Peço a todos que continuem nos ajudando nessa caminhada e aproveito para convidá-los para o arraiá agroecológico que faremos em SpP nesse domingo, teremos muita troca de informação, arte, oficinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *