"Deitaço" em São Paulo: arte contra segregação social

Coletivo de teatro convoca, para esta quinta-feira, protesto poético na Praça da Sé. Polícia reprimirá quem deitar sobre papelões, estando “elegantemente trajado”?

Por Bruna Bernacchio

A situação é comum desde o início da política segregacionista do prefeito Kassab, mas quem a testemunhou não foi qualquer: um grupo de teatro de cerca de 15 artistas, a Cia Autoretrato, que passou a frequentar o centro de São Paulo com mais intensidade, ensaiando uma peça de “criação urbana”, a ser apresentada na própria rua, no dia 12 de abril – a artista Ana Cris lembra bem desta data-, viram agentes da Guarda Civil Metropolitana, arrancando pertecences de moradores de rua – papelão, cobertores, e até bolsas com documentos. O coletivo até gravou vídeo, disponível no youtube.

No mesmo dia, foram até a Defensoria Pública, com o objetivo de realizar uma ação civil pública de denúncia. Tiveram uma reunião com advogados e descobriram que não eram os primeiros a fazer a mesma denúncia, de atitudes agressivas por parte de funcionários públicas. Desde então, estão dialogando com o órgão, exigindo que a instituição seja realmente denunciada e fiscalizada.

Mas a sociedade não é atendida assim tão prontamente, ou ao menos não é possível atender. O tempo passava e eles novamente testemunhavam, e ouviam depoimentos similares de outras pessoas, presenciando atitudes de agentes da subprefeitura violentando moradores, jogando spray de pimenta, jato de água, acordando os que estão dormindo e obrigando-os a “circular”.

Por esse motivo, a companhia, criada dentro da USP, resolveu agir também de outra forma, mais deles, artística de ser. Junto com outros atores e amigos, convida a sociedade a participar de uma intervenção O Deitaço”-, na Praça da Sé, amanhã, dia 26 de julho, quinta-feira, das 14h às 16h, que promete tirar qualquer transeunte do seu conforto rotineiro. Por algumas horas, o grupo pretende “estar” no chão praça, naturalmente, “elegantemente trajadas”, mas tendo junto de si “cobertores velhos” e “pedaços de feltro”. Objetivo é fazer um “teste”, para ver se o tratamento da polícia será o mesmo com eles, e chamar atenção da sociedade para essa questão.

As orientações completas, para quem vai atuar, descritas em carta convite espalhada pela internet são:

A AÇÃO ARTÍSTICA CONSISTE EM MUITAS PESSOAS ELEGANTEMENTE TRAJADAS TRAZEREM UM COBERTOR VELHO, OU PEDAÇO DE FELTRO, E ESTENDÊ-LOS PARA SIMPLESMENTE “ESTAR”, DEITAR, DESCANÇAR.

-CHEGAREMOS SOZINHOS, EM SILÊNCIO, E ASSIM PERMANECEREMOS AO LONGO DA AÇÃO.

-É IMPORTANTE A PONTUALIDADE PARA QUE A AÇÃO TENHA SENTIDO;

-AO SOAR DE UM GONGO, TODOS OS PARTICIPANTES DEVERÃO SE DISPERSAR;

-EM CASO DE ABORDAGEM DA GUARDA CIVIL, SUGERIMOS QUE VOCÊ CONTE LITERALMENTE O QUE ESTÁ FAZENDO: LENDO, DESCANSANDO, PENTEANDO O CABELO, ESCREVENDO, ETC. CASO INSISTAM NA SUA RETIRADA, QUE VOCÊ SAIA E SE POSICIONE EM OUTRO PONTO DA PRAÇA.”

Para o esclarecimento de dúvidas e confirmar presença no evento, o e-mail da ação é [email protected]. Até agora, no facebook, 72 pessoas confirmaram.

Local: Praça da Sé

Dia: 26 de julho de 2012

Horário: das 14h às 16h.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

3 comentários para ""Deitaço" em São Paulo: arte contra segregação social"

  1. Parabéns pela iniciativa!!!!!!! é a Arte contribuindo com a inclusão social!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *