A delegacia que sumiu

Delegacia que deveria investigar acidentes de trabalho ocorridos nos trilhos da CPTM, em São Paulo, foi extinta após a morte de ferroviários

Por Rogério Centofanti, do São Paulo Trem Jeito

Após os acidentes recentemente ocorridos na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o Sindicato dos Ferroviários da Sorocabana foi informado de que a Delegacia de Investigação de Infrações do Ambiente de Trabalho — que estava apurando o ocorrido — foi extinta um dia depois do segundo acidente.

Em busca da veracidade, estivemos na 3ª Delegacia Seccional no setor de investigações gerais de Osasco, na Grande São Paulo, à procura de informações sobre o delegado Archimedes Cassão Veras Junior, até então responsável pelo inquérito que vitimou os três trabalhadores do primeiro acidente.

De acordo com informações de funcionários do local, não seria possível encontrar o delegado, pois não sabiam para onde ele teria sido transferido. Sua seção (Investigação de Infrações do Ambiente de Trabalho) havia sido extinta. Também fomos informados de que, devido à extinção da seção, o delegado está em férias enquanto aguarda a definição de seu novo posto de trabalho.

O Sindicato continua em busca do delegado Archimedes para obter maiores informações, com o objetivo de esclarecer os fatos informados. As investigações, que deveriam estar aos cuidados de uma delegacia especializada, agora estão sob a responsabilidade da Delegacia de Polícia do Metropolitano, na Estação Palmeiras-Barra Funda.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "A delegacia que sumiu"

  1. Pois é. Sabemos agora quer foi extinta por um decreto do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no dia 29 de novembro, dois dias depois do acidente da Companhia Paulista de Trans Metropolitanos (CPTM) que matou três trabalhadores da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *