Agenda: Golpes e Mídia em debate em Florianópolis

Nilson Lage e Bernardo Joffily dialogam sobre a relação entre o poder autoritário das elites e a tentativa de naturalizá-lo

Por João Victor, do Círculo de Tradutores de Outras Palavras

Cada vez mais o debate público tem se aproximado das teses que identificam o golpe de 64 a um tipo de golpe “branco” jurídico-parlamentar em 2016 que depôs a presidente eleita, Dilma Rousseff, de seu mandato. Nessa conjuntura, vozes e perspectivas analíticas destoam do coro dominante apontando caminhos interpretativos diversos que permitem ampliar a reflexão do longo período autoritário no Brasil, a sua abertura democrática, e o seu espirito do tempo atual. Dado o papel central dos meios de comunicação em suas novas fronteiras tecnológicas, é imprescindível retomar o debate a partir das experiências jornalísticas que participaram destes eventos históricos no século passado.

Nesse sentido, O Instituto Ignacio Rangel (IIR) em parceria com o Laboratório de Estudos Urbanos e Regionais (LABEUR) e o Núcleo de Estudos Asiáticos (NEAS) da Universidade Federal de Santa Catarina convida o público para o DEBATE no dia 07/06  na Universidade Federal de Santa Catarina, – AUDITÓRIO ANEXO “E” Centro de Filosofia e Ciências Humanas – CFH/UFSC:

“O GOLPE DE 64, A DITADURA MILITAR E O BRASIL HOJE”
com a presença dos ilustres jornalistas Nilson Lage e Bernardo Joffily, e do geógrafo Armen Mamigonian.

 

PALESTRANTES:

Nilson Lage,

jornalista, nascido em 1936, mestre em Comunicação, doutor em Linguística e Filologia. Foi professor da UFRJ e do Departamento de Jornalismo da UFSC. Como jornalista trabalhou no Jornal do Brasil, Última Hora, TV Educativa do Rio de Janeiro, entre outros veículos de comunicação. Colabora, atualmente, com o blog Tijolaço.

Bernardo Joffily,

jornalista, nascido em 1950, participou da resistência à ditadura, tendo sido vice-presidente da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) entre 1968-1970. Filiou-se ao PCdoB em 1973, sendo eleito para o Comitê Central deste partido em 2005.

DEBATEDOR:

Armen Mamigonian,

geógrafo, nascido em 1935, com doutorado na França e livre docência na USP.

TEXTO-FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *