No Rio, tragédia anunciada: 100 mil litros de chorume ameaçam aquífero

seropedica

Foto de divulgação do CTR Seropédica

Caso chama a atenção por ter sido previsto na época da construção do aterro e pelo nome dos acionistas da empresa responsável, como Santander e Bradesco

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

Cem mil litros de chorume ameaçam o Aquífero Piranema, o maior do Rio. Eles vazaram do  Centro de Tratamento de Resíduos (CTR) de Seropédica. A Embrapa diz que o tamanho do reservatório é incompatível com o volume. Dois dos maiores bancos no Brasil, o Bradesco e o Santander, estão entre os controladores da empresa responsável pelo aterro.

É para o CTR de Seropédica, na Baixada Fluminense, que vai o lixo domiciliar produzido no Rio, a capital. A ponto de aparecer no material de divulgação da Cidade Olímpica como “o mais moderno centro de tratamento da América latina”, por obedecer “normas internacionais de respeito ao meio ambiente”.

O aterro foi inaugurado em 2011. Sob protestos de moradores e ambientalistas, exatamente pelo risco que havia de o chorume atingir o aquífero, ainda hoje utilizado por pequenos agricultores. Este vídeo de 2011, produzido pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, chamava o projeto do CTR de “bomba de Seropédica”:

Apesar dos avisos, a Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio (Comlurb) promoveu a concessão, adquirida pela empresa Saneamento e Energia Renovável do Brasil (Serb), mais conhecida pelo nome fantasia, Ciclus. O tratamento do chorume demorou a começar e, em 2013, motivou uma multa de R$ 252 mil para a empresa. Depois disso o tratamento foi iniciado. Mas terá sido da maneira correta?

O transbordamento de sábado (20 de fevereiro) foi considerado inevitável pela agrônoma Rosângela Straliotto, pesquisadora da Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa). Em entrevista ao site Vozerio, ela disse que o reservatório para o chorume é pequeno demais: “A área é conhecida por apresentar chuvas fortes, então a capacidade de armazenamento deve ser pensada para segurar esse acréscimo no volume. Se não for feito o devido reparo, a repetição do episódio parece inevitável”.

CULPA DA CHUVA

A Ciclus nega que o chorume possa atingir o aquífero. Segundo a empresa, a região estava sem energia e o gerador instalado no CTR foi atingido por um raio. O vazamento teria atingido área impermeabilizada, da própria empresa, “e o início do Canal da Vila que foi totalmente limpo”. “O aquífero Piranema não foi atingido pelos efluentes e não corre risco de contaminação”, diz a Ciclus, em nota. O site da empresa ignorou o transbordamento.

O secretário de Ambiente e Agronegócio (uma combinação, em si, curiosa) de Seropédica, Ademar Quintella, conta que, após saber do vazamento, teve sua entrada na Ciclus barrada por quase meia hora. Ele relatou que foram encontrados cachorros e marcas de pata de gado dentro da área da empresa, que afirma estar cooperando com as autoridades. E informou que a Ciclus será autuada e multada.

Curiosamente, a empresa que criou a Ciclus, a Haztec, surgiu em 1999, um ano após a Lei de Crimes Ambientais, justamente para diminuir a dívida de empresas. Percebeu que havia um nicho de mercado para a consultoria a empresas multadas por crimes ambientais. Somente em 2003 ela seria vendida ao grupo Synthesis, de Paulo Tupynambá, e a fundos de investimento. O Synthesis, por sinal, classifica os CTRs como investimentos “de risco”.

QUEM CONTROLA O ATERRO?

Essa empresa responsável pelo aterro localizado em cima de um aquífero, a Ciclus, é controlada por dois grupos, que têm cada um 50% da empresa. Um deles é o grupo de transportes Julio Simões, responsável pela logística. O outro é a empresa Haztec, que se apresenta como “líder em soluções ambientais no Brasil”. É esta segunda parte a que mais nos interessa.

Os sócios da Haztec na época da concessão eram o Bradesco, o Santander e  Tupynambá. Em 2013 a Haztec Tecnologia e Planejamento Ambiental se fundiu com a Foxx Holding. Ambas formam a Haztec Investimentos e Participações. A Foxx Holding quase foi parar nas mãos do investidor mexicano George Soros, mas na última hora ele desistiu. Os donos da Foxx, Milton Pilão Jr e Ismar Assaly, aceitaram, então, o investimento da FKG Capital, de Daniel Goldberg, ex-presidente do banco Morgan Stanley.

Uma das duas pontas do grupo, a Haztec Ambiental ainda orbita em torno de Tupynambá e dos investidores controlados por Santander (fundo InfraBrazil) e Bradesco. O fundo de investimentos em participações InfraBrazil, por sua vez, tem como investidores os principais fundos de pensão do país, como o Funcef (Caixa Econômica Federal), o Petros (Petrobras), a Previ (Banco do Brasil) e a Banesprev (Banespa), além do BNDES.

A Haztec Investimentos e Participações possui uma dívida de R$ 440 milhões, com debêntures emitidas pelos dois bancos. O total de ativos do grupo é de R$ 642 milhões, conforme um relatório publicado no ano passado. O grupo teve uma receita de R$ 174 milhões, em 2014, com lucro de R$ 26 milhões.

É, portanto, o capital financeiro que, em boa parte, move (cada vez mais com essas bifurcações rocambolescas) a Haztec. A empresa é dona também de 100% dos aterros sanitários de Nova Iguaçu, Barra Mansa e Alcântara (São Gonçalo).

Em 2014, a Haztec Ambiental doou R$ 630 mil para campanhas eleitorais. Desse total, R$ 280 mil para a direção nacional do PT; R$ 150 mil para a direção nacional do PSDB; e R$ 150 mil para a direção estadual do PMDB do Rio.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

6 comentários para "No Rio, tragédia anunciada: 100 mil litros de chorume ameaçam aquífero"

  1. Prezado Alceu castilho, fico feliz por essa denúncia mas, já estou acostumado com tanta corrupção da MÁFIA DO LIXO que deixa de ser uma novidade, apenas será mais uma tragédia. Você sabe muito bem que no Brasil não existe aterro sanitário controlado (inerte) conforme lei 12.305 do Ministério das Cidades. Não vou entrar em detalhes da lei porque também sei que você é conhecedor.
    Quero aproveitar este espaço para DENUNCIAR todos os consórcios da MÁFIA DO LIXO que pagam propinas poupudas para PREFEITOS ( estes que são responsáveis pelo lixo) e outros em geral. Ninguém dá nada para ninguém , dinheiro de campanha retorna 300% do seu valor documentado. Eu fico cada dia mais indignado porque tenho SOLUÇÃO PARA O LIXO DOMÉSTICO E HOSPITALAR E INDUSTRIAL………..RSU-RSI-RSH. USINA ALTERNATIVA DE ENERGIA ELÉTRICA E RECUPERAÇÃO DE 60% DA ÁGUA DE REUSO. Poluição ZERO, produzimos com o lixo o bio combustível e fazemos a pré seleção dos reciclados, do plásticos fazemos a madeira ecológica e se necessário também podemos receber o LODO (esgoto). Os prefeitos sabem que terão quatro punições : improbabilidade administrativa, ilegitimidade para a próxima eleição, multas, corte do repasse de verbas do governo federal, e uma agravante: 2 anos de prisão ( já estão ilegais desde Agosto de 2014 quando terminou o prazo para acabar com lixão) porém como neste país tudo é possível, não acredito nas punições assim como o DULCÍDIO DO AMARAL está livre para atuar no congresso nacional ( ladrão de primeira grandeza mas, quanto mais se rouba nesse país, mais mérito tem o ladrão). Desculpa meu desabafo no seu blog é que me enoja, como está MARIANA hoje, amanhã teremos muitas para lamentar. Caso algum interessado em se manifestar a favor de acabar com aterros sanitários e lixões no Brasil, basta entrar em contato comigo. As palavras que coloquei neste comentário é de minha inteira responsabilidade. Caso você seja um político que tenha família, filhos ou netos, medite que é um lixão, pesquise que é o chorume. Domingos Benigno Sassini – e-mail : [email protected]………….FONE (19) 3631.6834 -(19) 98170.2607 não estou fazendo propaganda neste espaço, estou me identificando para quem estiver interessado em solucionar o MEIO AMBIENTE e fim dos lixões e aterros sanitários, como disse : Não consegui ainda porque não dou propina para vagabundos , políticos e atravessadores administrativos…..FALEI.

  2. Prezado Alceu castilho, fico feliz por essa denúncia mas, já estou acostumado com tanta corrupção da MÁFIA DO LIXO que deixa de ser uma novidade, apenas será mais uma tragédia. Você sabe muito bem que no Brasil não existe aterro sanitário controlado (inerte) conforme lei 12.305 do Ministério das Cidades. Não vou entrar em detalhes da lei porque também sei que você é conhecedor.
    Quero aproveitar este espaço para DENUNCIAR todos os consórcios da MÁFIA DO LIXO que pagam propinas poupudas para PREFEITOS ( estes que são responsáveis pelo lixo) e outros em geral. Ninguém dá nada para ninguém , dinheiro de campanha retorna 300% do seu valor documentado. Eu fico cada dia mais indignado porque tenho SOLUÇÃO PARA O LIXO DOMÉSTICO E HOSPITALAR E INDUSTRIAL………..RSU-RSI-RSH. USINA ALTERNATIVA DE ENERGIA ELÉTRICA E RECUPERAÇÃO DE 60% DA ÁGUA DE REUSO. Poluição ZERO, produzimos com o lixo o bio combustível e fazemos a pré seleção dos reciclados, do plásticos fazemos a madeira ecológica e se necessário também podemos receber o LODO (esgoto). Os prefeitos sabem que terão quatro punições : improbabilidade administrativa, ilegitimidade para a próxima eleição, multas, corte do repasse de verbas do governo federal, e uma agravante: 2 anos de prisão ( já estão ilegais desde Agosto de 2014 quando terminou o prazo para acabar com lixão) porém como neste país tudo é possível, não acredito nas punições assim como o DULCÍDIO DO AMARAL está livre para atuar no congresso nacional ( ladrão de primeira grandeza mas, quanto mais se rouba nesse país, mais mérito tem o ladrão). Desculpa meu desabafo no seu blog é que me enoja, como está MARIANA hoje, amanhã teremos muitas para lamentar. Caso algum interessado em se manifestar a favor de acabar com aterros sanitários e lixões no Brasil, basta entrar em contato comigo. As palavras que coloquei neste comentário é de minha inteira responsabilidade. Caso você seja um político que tenha família, filhos ou netos, medite que é um lixão, pesquise que é o chorume. Domingos Benigno Sassini – e-mail : [email protected]………….FONE (19) 3631.6834 -(19) 98170.2607 não estou fazendo propaganda neste espaço, estou me identificando para quem estiver interessado em solucionar o MEIO AMBIENTE e fim dos lixões e aterros sanitários, como disse : Não consegui ainda porque não dou propina para vagabundos , políticos e atravessadores administrativos…..FALEI.

  3. Ramiro Frieiro disse:

    Saudações,
    No ano de 2009, quando ainda se discutia o quanto e para quem iria o que, em relação a construção do que seria conhecido como “Bomba de Seropédica”.
    Escrevi uma monografia para um curso de especialização. E esta versava exatamente sobre o Aquífero Pitranema e o que seria feito com o mesmo, ou sobre o mesmo.
    Cheguei a algumas conclusões, algumas outras nem tanto.
    Se alguém quiser investigar algum nome, comece por Julio Lopes, aquele que não se responsabiliza pelo desastre dos bondes de Santa Teresa.

  4. Ramiro Frieiro disse:

    Saudações,
    No ano de 2009, quando ainda se discutia o quanto e para quem iria o que, em relação a construção do que seria conhecido como “Bomba de Seropédica”.
    Escrevi uma monografia para um curso de especialização. E esta versava exatamente sobre o Aquífero Pitranema e o que seria feito com o mesmo, ou sobre o mesmo.
    Cheguei a algumas conclusões, algumas outras nem tanto.
    Se alguém quiser investigar algum nome, comece por Julio Lopes, aquele que não se responsabiliza pelo desastre dos bondes de Santa Teresa.

  5. Ana Paula disse:

    À época, esse licenciamento foi feito às pressas e no tranco pelo INEA/Secretaria do Ambiente. Aliás, qualquer coisa da Haztec era licenciada rapidamente. E agora, será que a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente do Governo do Estado vai mostrar que serve para algo mais além de prender gente que vende passarinhos na feira? E o MPRJ, vai se coçar? Sim, porque da Secretaria de Estado do Ambiente não se deve esperar NA-DA!

  6. Ana Paula disse:

    À época, esse licenciamento foi feito às pressas e no tranco pelo INEA/Secretaria do Ambiente. Aliás, qualquer coisa da Haztec era licenciada rapidamente. E agora, será que a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente do Governo do Estado vai mostrar que serve para algo mais além de prender gente que vende passarinhos na feira? E o MPRJ, vai se coçar? Sim, porque da Secretaria de Estado do Ambiente não se deve esperar NA-DA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *