Profissão de fé

“Jornalistas não são isentos. Tenho a convicção de agir como quem não disfarça a opressão, nem se presta a esconder causas da desigualdade e injustiças sociais”

150922-JornalismoB

Por Celso Vicenzi | Imagem: Andriolli Costa

Declaro a quem interessar possa e para todos os fins que, instado a posicionar-me sobre o tipo de jornalismo que procuro praticar, em contraponto às críticas que, às vezes, faço àquilo que convencionou-se chamar de “golpismo midiático”, tenho a dizer o seguinte, na esperança de que serei, pelo menos, compreendido: não há nenhum problema em trabalhar em grandes empresas de comunicação, mesmo que, momentaneamente, algumas delas, tenham assumido um papel escandalosamente golpista e manipulador dos fatos. Afinal, nem todos os jornalistas se prestam a esse serviço, mesmo atuando nessas empresas. Basta exercer a profissão de acordo com o Código de Ética e levar em conta os valores expressos, sobretudo, na Declaração Universal dos Direitos Humanos. É um bom norte. Quando, por alguma razão, isso não for possível, melhor buscar outros espaços para trabalhar.

Não estou mais na imprensa diária fazendo reportagem ou editando. Fora dela faço assessoria de imprensa e, sem remuneração, virei articulista em vários blogs e portais. Portanto, assino opinião, como qualquer comentarista da mídia. A essência do que escrevo é baseada principalmente em informações e dados que procuro buscar em fontes fidedignas, e que são contextualizados à luz de outros conhecimentos, estudos e muitas leituras, sob pena de pouco compreender, pois o que parece nem sempre é, e, assim, estaria eu mais a desinformar do que a informar.

Escrevo menos do que gostaria. Meus artigos estão aí, espalhados por vários blogs e portais, para quem quiser ler e comentar (concordar, discordar, acrescentar…). E no meu próprio blog, claro!

Jornalismo e jornalistas não são isentos – nunca foram e nunca serão, como qualquer ser humano, aliás -, só não podem omitir fatos, distorcer ou manipular com o propósito de defender determinado segmento, seja político, econômico, religioso etc. Muito menos favorecer o ponto de vista de seus patrões ou, em casos mais graves, usar informação como moeda de troca e obter vantagens econômicas para si.

De resto, cada um escreve a sua biografia – por menos importante que seja – e coloca a sua vida na defesa de ideias e valores que considera relevantes. Meus ideais e princípios são aqueles que traduzem, na essência, a busca cotidiana por um país e um planeta mais justo e solidário. Sei que não estive, não estou, nem estarei imune a cometer erros e eventuais exageros, mas tenho convicção que procuro fazer um jornalismo honesto e qualificado, que não disfarça a opressão e nem se presta a dourar a pílula da desinformação para manter a população alienada sobre as causas da desigualdade e das injustiças sociais. Ou seja, se errar, que seja ao menos em favor dos que mais sofrem e dos que menos têm. Já me serve de algum consolo.

Eu, Celso Vicenzi, jornalista, lavrei, conferi, subscrevo, dou fé e assino em público e raso.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

3 comentários para "Profissão de fé"

  1. Arnaldo. kogut disse:

    Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados, já disse o filósofo Millor.

  2. marcio ramos disse:

    … pode falar, escrever o que quiser mas este povo que trabalha nestas empresas racistas, preconceituosas e assassinas – Igreja, PIG, etc…. – não tem moral pra p…. nenhuma…

  3. AGORA, OS IDOLATRAS JÁ NAO PODERAO CONTINUAR AFASTANDO A ALMA HUMANA DO ESPÍRITO DE DEUS IMPUNIMENTE; PORQUE JÁ SÃO PECADORES CONSCIENTES: JÁ NAO PODERÃO CONTINUAR PERPETUANDO A IGNORÂNCIA NA TERRA, CAUSANDO O SOFRIMENTO E A DESTRUIÇÃO DO PLANETA; PORQUE A MENTIRA JÁ NÃO PODE PREVALECER CONTRA A VERDADE ETERNA DOS MEUS TESTEMUNHOS, ASSIM SINTETIZADA:
    ENCARNAÇÃO DO ESPÍRITO DA VERDADE
    Paz à todos!
    Este tópico tem a finalidade de reunir algumas referências a respeito da encarnação do Espírito da Verdade para o período atual de transição planetária. Não serão mostradas as mensagens na íntegra, mas serão mencionadas as obras das quais os trechos foram extraídos, para quem quiser conferir posteriormente. Muitos estudiosos espíritas, para não dizer todos, fazem uma vista grossa para este magno acontecimento. Sendo assim, fazendo menção à parábola evangélica As Dez Virgens, perguntamos: estamos nos assemelhando às virgens loucas ou às virgens prudentes, quando o Noivo divino já está chegando? O real preparo está sendo realizado para receber Ensinamentos de ordem mais elevada, pelo novo Enviado de Deus à face da Terra? Quando uma nova luz iluminar o entendimento humano a respeito da Verdade Eterna através do Espírito da Verdade encarnado, estaremos preparados para recebê-la, ainda mais se estiver fora das nossas expectativas? Receberemos o Enviado mesmo se ele não estiver vinculado diretamente e atuante no Espiritismo? É, no mínimo, para refletir sobre o assunto.
    1 – “Vimos preparar os caminhos para que as profecias se cumpram. Quando o Senhor vos der uma manifestação mais retumbante da sua clemência, que o enviado celeste já vos encontre formando uma grande família; que os vossos corações, mansos e humildes, sejam dignos de ouvir a palavra divina que Ele vos vem trazer; que ao eleito somente se deparem em seu caminho as palmas que aí tenhais deposto, volvendo ao bem, à caridade, à fraternidade.” (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. VII, Instruções do Espíritos, mensagem O Orgulho e a Humildade, 12º parágrafo, pelo espírito Lacordaire)
    2. – “(…) mas há outros [seres] cuja missão é agir sobre a Humanidade inteira, que não aparecem senão nas épocas mais raras, que marcam a era das transformações gerais.
    Jesus-Cristo foi um destes enviados excepcionais; do mesmo modo tereis, para os tempos chegados, um Espírito superior que dirigirá o movimento de conjunto e dará uma coesão poderosa às forças esparsas do Espiritismo. (…) Limito-me a dizer-vos: Esperai e orai., porque o tempo é chegado e o novo Messias não vos faltará: Deus saberá designá-lo a seu tempo. E, aliás, é por suas obras que ele se afirmará.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 3ª mensagem, Os Messias do Espiritismo, pelo espírito Baluze)
    3 – “(…) Não fiqueis, pois, admirados de todas as comunicações que vos anunciam a vinda de um Espírito poderoso sob o nome do Cristo; (…) Se o Messias de que falam essas comunicações não é a personalidade de Jesus, é o mesmo pensamento. É aquele que Jesus anunciou, quando disse: ‘Eu vos enviarei oEspírito de Verdade, que deve restabelecer todas as coisas’, isto é, reconduzir os homens à sã interpretação de seus ensinamentos, porque ele previa que os homens se desviariam do caminho que lhes havia traçado. (…) Quando todas as bases estiverem postas, então virá o Messias, que deve coroar o edifício e presidir à reorganização, auxiliado pelos elementos que tiverem sido preparados” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 4ª mensagem, Os Messias do Espiritismo, pelo espírito Lacordaire)
    4 – “(…) Esse glorioso futuro que vos anunciamos será realizado pela vinda de um Espírito superior, que resumirá, na essência de sua perfeição, todas as doutrinas antigas e novas, e que, pela autoridade de sua palavra, ligará os homens às crenças novas. (…) Perguntais se esse novo Messias é a pessoa mesma de Jesus de Nazaré? Que vos importa, se é o mesmo pensamento que os anima a ambos? (…) Espíritas! Compreendei a gravidade de vossas missão; estremecei de alegria, porque não está longe a hora em que o divino enviado alegrará o mundo. (…) A ignorância e a perturbação ainda vos ocultam uma parte da verdade que só o celeste Mensageiro vos pode revelar inteiramente.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 6ª mensagem, Os Espíritos Marcados, pelo espírito São Luís)
    5 – “(…) Sim, meus filhos, o povo se comprimirá sobre os passos do novo mensageiro anunciado pelo próprio Cristo, e todos virão escutar essa divina palavra, porque nela reconhecerão a linguagem da verdade e o caminho da salvação.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 7ª mensagem, Os Espíritos Marcados, pelo espírito Lamennais)
    6 – “(…) Novas raças saídas das altas esferas vêm rodopiar em torno de vós, esperando a hora de sua encarnação messiânica (…). Estamos e ficaremos convosco, sob a égide do Espírito de Verdade, meu e vosso mestre.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 8ª mensagem, Futuro do Espiritismo, pelo espírito Erasto)
    7 – “(…) as virtudes dos céus já se abalam e as estrelas caem de sua abóbada, mas transformadas em Espíritos puros, que vêm, como anuncia a Escritura em linguagem figurada, proclamar sobre as ruínas do velho mundo, o advento do Filho do Homem.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 10ª mensagem, As Estrelas Cairão do Céu, pelo espírito Dupuch)
    8. – “Povos, escutai!… Uma voz se faz ouvir de um extremo ao outro do mundo: é a do precursor anunciando a vinda do Espírito de Verdade, que vem endireitar os caminhos tortuosos por onde o espírito humano se desgarrava em falsos sofismas. (…) O Espiritismo é essa voz poderosa que já repercute até os confins da Terra; todos a ouvirão.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Fevereiro, Instruções do Espíritos, 11ª mensagem, Os Mortos Sairão de Seus Túmulos, pelo espírito João Evangelista)
    9 – “(…) A vinda do Messias, como fato geral, está anunciada, porque era útil que dela se estivesse prevenido; é uma garantia do futuro e um motivo de tranquilidade, mas as individualidades não devem revelar-se senão por seus atos. (…)” (Revista Espírita, ano 1868, mês Março, Comentários Sobre os Messias do Espiritismo, 4º tópico, 8º parágrafo, por Allan Kardec)
    10 – “(…) Moisés é o tempo passado; o Cristo, o tempo presente; o Messias a vir, que é o amanhã, ainda não apareceu… Moisés tinha que combater a idolatria; o Cristo, os fariseus; o Messias a vir terá também os seus adversários: a incredulidade, o cepticismo, o materialismo, o ateísmo e todos os vícios que acabrunham o gênero humano… (…) Mas esse Messias que deve vir é o próprio Cristo? questão difícil de compreender no tempo presente, e que amanhã será esclarecida. (…) É o Espiritismo que deve remover as grandes pedras que poderiam dificultar a passagem daquele que deve vir. Esse homem será poderoso e forte, e numerosos Espíritos estão na Terra para aplanar o caminho e fazer cumprir o que foi predito. (…) Esse novo Messias será chamado o Cristo? É uma pergunta que não posso responder; esperai o amanhã. (…) trabalhai sobre vós mesmos para vos regenerardes, a fim de que o Mestre vos encontre preparados.” (Revista Espírita, ano 1868, mês Maio, Dissertação dos Espíritos, mensagem Ontem, Hoje e Amanhã, pelo Espírito da Fé)
    11. – – “(…) Todos somos chamados ao grande labor e o nosso mais sublime dever é responder aos apelos do Escolhido. (A Caminho da Luz, cap. XXV, O Evangelho e o Futuro, 24ª parágrafo, pelo espírito Emmanuel)
    Setembro/2015
    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/encarnacao-do-espirito-da-verdade/#ixzz3mTdR8eBO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *