Paradigma quântico e transformação do mundo

Se tudo é ao mesmo tempo matéria e energia; e se o olhar do observador altera o objeto, que consequências tirar para a ação política de esquerda?

Por Débora Nunes

As afirmações da física quântica – que trabalha o infinitamente pequeno e o infinitamente grande – parecem à primeira vista não fazer muito sentido quando olhamos o mundo na escala humana. Entretanto, essa nova base paradigmática que vai certamente organizar o entendimento humano sobre o mundo no futuro está se tornando cada vez mais compreensível – e essa é uma excelente notícia. O pensamento de uma esquerda que combina a histórica busca por um mundo mais justo e mais democrático com o respeito à sacralidade da Natureza será grandemente beneficiado por esse novo paradigma e tentarei mostrar por quê.

Uma das bases da física quântica é que tudo é, ao mesmo tempo, matéria e energia. Foi dessa descoberta que nasceram todas as mudanças na física que vêm sacudindo a visão de mundo estabelecida. Até aqui, tanto os historiadores tradicionais, que contaram a história dos vencedores, quanto os historiadores marxistas, que deram espaço aos oprimidos e explicam o mundo pela luta de classes, abordaram a história essencialmente pelo seu aspecto material. Uma história “quântica”, incorporaria a dimensão imaterial, energética, do mundo. Como exemplo, abordaria a influência do inconsciente coletivo nos processos históricos ou a tendência cósmica de equilíbrio Yin – Yang, ou masculino e feminino. Uma história contada pelo ponto de vista das mulheres, ou pelo ponto de vista do inconsciente coletivo, faz inteiramente sentido nessa abordagem. Sendo construída como está, será emancipatória e confortará nossos anseios de esquerda. Continuemos.

Outra base importante da física quântica diz que o olhar do observador define a realidade. Cientistas do porte de Werner Heisenberg, Eugene Wigner, Roger Penrose ou Erwin Schrodinger desenvolveram esse estranho aspecto quântico: O mundo é o que a gente vê. Até aqui a História foi mostrada como se as pessoas comuns tivessem um papel histórico quase irrelevante, e essa afirmação diz que cada pessoa constrói o mundo com seu olhar. Isso quer dizer que as imensas forças econômicas e as estruturas sociais que modelam o mundo não existem? Não, isso quer dizer que as pessoas precisam acreditar nelas para que existam. O dinheiro, esse imenso poder, nada mais é que uma crença, uma convenção, uma verdade intersubjetiva. Se deixarmos coletivamente de acreditar no valor de uma moeda, ela não valerá mais, isso é um fato histórico que aconteceu diversas vezes. Do mesmo modo, um general perverso só consegue afrontar cem recrutas armados porque eles acreditam que o general é poderoso. Eles e os oficiais que punirão os soldados que tentarem algo contra o general. Sim, o modo como olhamos o mundo é poderosíssimo.

Corroborando a importância do Sr. João Ninguém ou da Sra. Maria Ninguém, tão caros ao pensamento da esquerda democrática, está o conceito físico de “salto quântico”. Aqueles mesmos elétrons que são matéria e energia ao mesmo tempo e que se configuram como realidade segundo nosso olhar – ou seja, são matéria no momento em que escolhemos olhá-los assim e são energia quando os vemos assim – eles “saltam” estranhamente. Os elétrons saltam de um orbital para outra quando recebem ou perdem energia. E seu salto pode acontecer com pequenas inserções de energia.

Até aqui a História foi mostrada como se apenas as grandes forças tivessem possibilidade de fazer avançar o mundo – ou fazê-lo retroceder. Eis que a física quântica diz que uma grande mudança de estado não se dá necessariamente por um contínuo acúmulo de forças, mas pode ser uma mudança abrupta, complexa, que depende de muitas variáveis e que pode acontecer sem um “impulso maior”. Isso quer dizer que a qualquer momento eu ou você podemos fazer a diferença em uma mudança capital para o mundo, apenas porque somos “a gota d’água” que faltava pro salto histórico-quântico acontecer.

A essa responsabilidade histórica que cada pessoa tem para mudar o todo Amit Goswami deu o nome de “ativismo quântico”. Esse grande físico indiano radicado nos Estados Unidos nos fala constantemente de outra base conceitual quântica bastante “trivial”. É sobre a existência de universos paralelos. Quando o famoso elétron salta entre um orbital e outro ele simplesmente desaparece. Nenhum instrumento conseguiu localizá-lo até hoje, depois de mais de um século da descoberta desse fato e depois de um desenvolvimento tecnológico abissal. Os físicos comuns e as sumidades pioneiras do tipo Niels Bohr ou Max Plank concordam que o elétron está em outra dimensão, e sabe-se hoje inclusive que essas dimensões imateriais são muitas. Voltando à História, isso quer dizer que ela também está conectada com dimensões ainda não conhecidas, pois se expressa através da matéria, que por sua vez é feita de elétrons que são matéria e energia e que às vezes dão um passeio por outras dimensões. Como iremos contar a influência histórica dessas outras dimensões? O Universo material-energético teria seus desígnios? Quais seriam eles?

Traz-se agora um outro princípio quântico segundo o qual tudo é um. Esse é um fundamento da ecologia e da percepção de que o que fazemos à Terra fazemos a nós mesmos. A realidade, além de interconectada diretamente, é também “não local” para a física quântica, ou seja, a conexão entre tudo que existe não é impedida pela distância. Tudo está, portanto, conectado e o movimento das asas de uma borboleta no Rio de Janeiro pode fazer chover em Pondicherry.

Em termos históricos, Einstein poderia ter dito que todos os processos são globais e que cada indivíduo está conectado e interfere no todo. A construção da realidade inclui a vontade e ação de cada pessoa e um pequeno grupo pode propiciar um salto quântico, se as condições são dadas. Juntando a isso à ideia dos “desígnios do Universo”, pode-se olhar a História de diferentes maneiras e deduzir a direção que ela está tomando. Não seria a de um processo evolutivo espiralado, ou seja, com altos e baixos, em direção a mais igualdade e respeito aos direitos humanos, às minorias particularmente e uma maior liberdade de expressão das características de cada pessoa?

Em tempos de Trump, de Temer e de alguns que querem prolongar o golpe, não parece que estejamos evoluindo, mas a História não pode ser olhada apenas contingencialmente — há que olhá-la a longo prazo. Como Hitler e outros monstros, esses também estão condenados ao limbo da História. O que é interessante é que, se a História seria influenciada pelos desígnios do Universo, o livre arbítrio humano e a imaturidade da nossa espécie dentro da história cósmica pode nos levar sempre a retrocessos. Em física quântica nada é certo, tudo são probabilidades e viver na incerteza é a arte dos físicos e deveria ser a de nós todo.a.s., para evoluirmos – mas isso é outra história. Para a física quântica o real é o que acontece quando todas as outras possibilidades colapsam. E o “colapso de possibilidades” de Amit Goswami é construído pelo olhar e pela ação de cada um.a..

Na medida em que esses conhecimentos quânticos sobre a natureza da realidade causem mudanças profundas no olhar humano sobre o mundo, tudo vai mudar. Uma imensa evolução aconteceu no Renascimento quando o racionalismo mecanicista de Decartes e Newton tornou-se a visão do mundo hegemônica. Construímos o conhecimento laico, a democracia representativa, o capitalismo que pagava salários aos trabalhadores, a independências das colônias, os direitos sociais e trabalhistas… Quando isso tudo está se desintegrando, um novo salto é necessário. Os novos marcos conceituais quânticos e seus elementos de criatividade podem abrir nosso imaginário sobre a interpretação da História, ajudando-nos a construí-la. Eles nos mostram que ela é uma construção coletiva na qual nossos pensamentos, sentimentos e ações cotidianas serão tão importantes quanto as velhas grandes forças históricas, que continuam agindo.

Dois grandes pensadores de esquerda que já se foram tinham um pensamento “quântico”, cada um a seu modo. Se “futuro é uma astronave que tentamos pilotar”, como diz Toquinho, precisamos de mapas, mas também saber onde queremos ir. Eduardo Galeano falava de ter clareza da Utopia que buscamos, que será cada vez mais aperfeiçoada e, portanto, distante, mas será sempre nossa guia. Antonio Gramsci nos dizia que para prever o futuro necessitamos olhar a realidade de forma objetiva e ter, ao mesmo tempo, um projeto que queremos ver triunfar (se não estaríamos levando em consideração apenas o projeto dos poderosos desse mundo).

Por fim, Edgar Morin, o grande pensador atual da complexidade, do terceiro incluído (a onda-partícula quântica), diz que não podemos desprezar os movimentos periféricos, aqueles que acontecem nos subterrâneos da sociedade, e considerar apenas as grandes forças, pois o improvável aconteceu muitas vezes e o que era marginal tornou-se inúmeras vezes triunfante. Improváveis saltos quânticos em direção a mais democracia, ecologia e justiça são prováveis, sobretudo se pensarmos que estamos indo em direção a uma civilização mais amorosa. E que “a história é um carro alegre, cheio de um povo contente, que atropela indiferente, todo aquele que a negue”, como já dizia Milton Nascimento.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

62 comentários para "Paradigma quântico e transformação do mundo"

  1. Luiz disse:

    Quando uma nova época nasce as pessoas ainda não tem noção disso, estão presas as velhas ideias, mas existem aqueles que conseguem ter uma visão mais clara da realidade e são essas pessoas que possuem a responsabilidade de abir os olhos das demais.

    • Adolfo disse:

      Pois é, mas o que parece aqui é que são cegos guiando cegos! Essa matéria é uma sucessão de bobagens alarmante!

      • Diego Trombetta Trombetta disse:

        Concordo, neste texto:falta conhecimento sobre sociologia, falta conhecimento sobre economia, falta conhecimento sobre política, mas principalmente falta entendimento da essência humana expressa no momento em que vivemos. Muita esperança, pouca realidade

  2. Eduarda Frabasile disse:

    Meu Deus!!!! Quanta bobagem quântica…nem saberia por onde começar a enumerá-las. Não entendo como um veículo sério como Outra Palavras pode ter publicado tamanho descalabro!!!

  3. ralfo bolsonaro bueno penteado disse:

    Toda dualidade impõe `a mente o terceiro polo. Nem esquerda e nem direita.

  4. Gadelha disse:

    Louve-se a sagacidade da esquerda infiltrando-se agora na área da física quântica ao criar justificativas para estabelecer seu projeto totalitário. Tenho que tirar o chapéu para a inteligência da articulista, infelizmente.

    • Adolfo disse:

      Por isso precisamos melhorar a educação básica com foco nas ciências exatas e não na doutrinação política, qlqr um com uma educação razoável saberia identificar e ridicularizar essa matéria tamanho o desconhecimento da física quântica!

    • SOL disse:

      Impressionante mesmo, usar os conceitos de grandes físicos para justificar o injustificável esquerdismo!

    • Fabiano disse:

      Também não estou acreditando nisto , a inteligência para a conwuista do puder vai alémdo que podemos imaginar, estes são os verdadeiros crocodilos quânticos, iludem os guinus como se fossem amiguinhos e vítimas aí quando você abaixa a guarda , virou comida de réptil . Chegam a falar em golpe como se fossem vítimas, que Deus possa iluminar este caminho que tentam nos enganar a todo momento, e que traga a clareza da direção certa a todas as mentes que ama a justiça e os caminhos de Deus

  5. Levi disse:

    Acho que eu nem deveria comentar, pois parei de ler no final do primeiro parágrafo quando a autora sublimou o pensamento da esquerda e a sua busca por um mundo mais justo e democrático. Acorda aí moça, você está no Brasil, lugar onde a esquerda é corrupta e despótica.

  6. Adriana disse:

    Atraímos o que sentimos no coração . O coração colapsa. Amo a física quântica, e tudo tem sentido quando vc entende . A fenda dupla confirmar isto. Não é apenas Opiniões é comprovação. Te tudo isto fosse ensinado nas escolas, teríamos uma nova geração mais consoante. Tudo o que vc foca se espante. Precisamos analisar isto tudo é implantar a todos. E sabe o que é melhor de tudo isto!!! Podemos começar de onde estamos . Então quem já sabe, começa . A lei da atração, ou Matriz divina…. funciona .

  7. Viviane disse:

    No dia em que VOCÊS que comentaram tantas “palavras e atitudes” sem fé, tiveram o prazer de poder tentar fazer um teste, verás o quanto tudo isso é verídico. Mas, posso tambem lhe afirmar que, nada vem para aqueles que pensam como voces 😉
    Recebemos do universo aquilo que até mesmo desejando sem saber que estariamos desejando
    #cuidado

    • Adolfo disse:

      Curioso falar de testes, pois é meu trabalho, faço testes com mecânica quântica todos os dias nós últimos 15 anos e posso confirmar que esse texto é uma interpretação errada da mecânica quântica… Quer ter fé, td bem, mas não distorcam a realidade física!

  8. Ilza disse:

    Novos Tempos esta Quântica nos traz…ACREDITO e Confio neste AGORA com as mudanças de Paradigmas, faz parte do Processo Evolução/Ascensão!!

  9. Mike Rafael Matsushima disse:

    Se o desejo da .maioria se tornar realidade, e já está se tornando, o socialismo comunista logo deixará de existir: pessoas fugindo da Venezuela, fugindo de Cuba e fugindo da Korea do norte… A China se considera um país socialista, mas em pouco tempo ultrapassará os EUA na bolsa de valores, pesquisa científica comercial e transações comerciais…que são valores e situações totalmente capitalista. Infelizmente o socialismo não funcionou e devemos andar para a frente. O capitalismo não é o melhor, mas por enquanto e o menos pior. Uma rápida pesquisa consegue levantar o número de pessoas que morreram nos países socialistas nas mãos do próprio governo. Apenas na China morreram mais de 65 milhões de pessoas…. Apenas na China.

  10. Mike Rafael Matsushima disse:

    Se o desejo da maioria for atendido seguindo esta lógica, o socialismo comunista em breve deixará de existir. Venezuela, Cuba e Korea do norte São alguns exemplos de como as pessoas literalmente fogem desse sistema. No passado URSS, Alemanha oriental, Vietnã, países do leste europeu entre outros da África que deixaram o sistema devido ao genocídio silencioso (pois o mesmo sistema controla as mídias) mataram mais de 100 milhões. Basta pesquisar e a verdade vem a tona.

  11. LEONARDO GUIDI FASSARELLA disse:

    Está entre as maiores bobagens que já li,,, não sei por onde começar, mas tem talento, consegue unir o comunisno à física quântica. A Escola de Frankfurt foi genial.

  12. Amanda disse:

    Seria até bonitinho se fizesse sentido, mas isso não é física quântica nem de longe, é misticismo temperado com interpretação ridiculamente errada da física quântica

  13. Adolfo disse:

    Nossa, sou físico e estou desesperado com tamanha desinformação científica contida nessa matéria! Não ajuda nada na divulgação do assunto e no esclarecimento das pessoas! É totalmente distorcido, por favor, entre em contato comigo para esclarecimentos! Se é que a esquerda tem boa vontade para isso… Já que parece que a natureza que precisa se adequar a esquerda de tão autoritária que ela é…

  14. Rubens Raymundo Ferreira disse:

    Eh minha gente, somos aquilo que acreditamos ser. Quanto as suas “realidades ” uns acreditam que há uma seriedade, outros em bobagens e vai porai a fora de acordo com o freguês.
    Fazendo um paralelo entre o personagem Neo de Matrix e Platão em “o mito da caverna “.
    Vivemos numa matrix!
    Ou numa caverna !
    Estamos sonhando ou acordados?
    Qual a pílula que decide tomar? Azul ou vermelha?

  15. Wanderson Silva disse:

    Não entendo como a mecânica quântica, poderia ser usada de alguma forma para explicar uma posição política e econômica que nada tem haver com o tema, além disso a mecânica quântica trata de dualidade, o que no mínimo poderia ser usado como uma metáfora que relaciona essa dualidade a dualidade política entre direita e esquerda, o que de maneira nenhuma seria algo científico.

  16. JOSÉ EDEGAR ALONSO disse:

    Asneiras quânticas, igualadas somente às ‘ANTICES’ QUÂNTICAS de Dilma e sua linguagem metafísica.

  17. WALDEMAR GREGORI disse:

    Apesar desse sincretismo quântico, é bom divulgar a física quântica. Falta no texto um dado que é essencial: a matergia (matéria+energia) tem ou segue um molde tri-uno como no átomo e como nas partículas elementares apresentadas por Murray Gell-Mann: os quarks como triplets(trigêmeos). Se esse princípio ou modelo tri-uno fosse adotado nas ciências sociais, poderíamos sair desse atoleiro direita-esquerda e sonhar com uma visão pós-capitalista e pós-socialista. Haja esperança!

  18. Sonia Scala Padalino disse:

    as referências quânticas estão completamente equivocadas. Dá vergonha alheia de ler. “Outras Palavras” só publica coisa boa. Como é que publicou um absurdo desses?

  19. Dan F. Silva disse:

    Curioso essa discussão não emergir de um profissional da área dessa ciência. Ou uma discussão melhor associado a esses profissionais que trabalham com os fundamentos da física quântica. Só não curti a maneira em que esse texto foi criticado. Pois, creio que exista espaço para filósofos e outros profissionais realizarem suas contribuições sobre esse assunto.

  20. Philippe Leboeuf disse:

    Uma sugestão ao editorial; sei que esta página não tem pretensão de ser periódico científico, mas seria demonstração de boa vontade, se os artigos que fazem referência a termos científicos passassem por revisão técnica.
    O que esta autora atribui à física quântica não passa de analogias pobres, confusas, e muitas vezes sem sentido, com aparente intensão de dar ares de cientificidade aos seus argumentos, mas ela não deixa claro ao leitor que estas são apenas analogias. A física quântica não trata de fenômenos sociais. Trata do mundo material na escala microscópica. A física quântica não é ideologia de esquerda nem de direita, e nem serve de base científica para estas ideologias.

  21. Crazyseawolf disse:

    Depois de ler tanta besteira, vou rasgar meu diploma de Física, pois percebi que tudo o que eu aprendi sobre Mecânica Quantica estava errado. O Brasil odeia mesmo a Ciência…

  22. Anucha disse:

    Um texto sobre responsabilidade social e ação individual sobre a própria realidade! Desafia a lógica de mundo que estamos acostumados, nos tirando da zona de conforto de críticos do nosso entorno, nos obrigando a pensar nas nossas colaborações para que tudo esteja como está. Incomoda, mexe com os egos, mas empodera a partir do momento que nos reconhecemos deusas e deuses das nossas vidas.
    Os novos paradigmas são sempre raivosamente combatidos, Galileu Galilei que o diga! Coragem mulher, é disso que estamos precisando!

  23. Acho que o texto despertou tanta polêmica justamente porque aponta uma grande mudança paradigmática, a qual na minha modesta opinião já está em curso; como Dra. Débora Nunes não é física, não devemos esperar que detenha um conhecimento profundo no tema específico de mecânica quântica, mas entendo perfeitamente o que ela quis expressar, metaforicamente, como também acho que o texto tocou em tantas formas novas de enxergar a história da humanidade, que precisariamos de textos complementares para explicar melhor a sua visão

  24. JOSE AMBROSIO GUIMARAES disse:

    Parabenizando pelas informações prestadas, recomendamos uma prática leve em Educação Sistêmica, visto serem estas o futuro da sociedade. Nem direita nem esquerda mas centrada no Sistema Fenomenológico demonstrado pelos Campos Morfogeneticos de Rupert Sheldrek.

  25. Anucha disse:

    Um texto sobre responsabilidade social e ação individual sobre a própria realidade! Desafia a lógica de mundo que estamos acostumados, nos tirando da zona de conforto de críticos do nosso entorno, nos obrigando a pensar nas nossas colaborações para que tudo esteja como está. Incomoda, mexe com os egos, mas empodera a partir do momento que nos reconhecemos deusas e deuses das nossas vidas.
    Os novos paradigmas são sempre raivosamente combatidos, Galileu Galilei que o diga! Coragem mulher, é disso que estamos precisando!

  26. josé mário ferraz disse:

    Como disse o velho Marx, que sabia das coisas, menos que não dá para botar fé no proletariado (povo), os filósofos se preocupam em interpretar o mundo quando o melhor a fazer é modificá-lo.

  27. Vivina Machado disse:

    A matéria nos instiga a ampliarmos a percepção sobre mudanças, transformações e, para isso inclui algumas noções que a física quântica nos traz. Ela avança ao nos convidar a rever nossa capacidade para participar e modificar aquilo que desejamos – individual e coletivamente. Propõe um diálogo. O que percebo é a necessidade de tomarmos gosto pela troca, pela conversa. Parece que, se discordo de algo, de alguém, de uma ideia eu preciso destruí-la imediatamente! O espaço para escuta está empobrecido. Entendo que Débora deseja ampliar o diálogo, e isto é animador, nesses tempos de intolerância a existência do outro, do diferente, do que me incomoda, daquilo que “pré-concebo” daquilo ao qual me agarro e tenho medo que possa mexer, alterar, modificar algo -em mim – que, com tanto esforço, quero rigidamente e a qualquer custo, manter. Quero ler mais matérias suas Débora Nunes e, oxalá, possamos nos enriquecer abrindo diálogos que pressupõem respeito às diferenças, aos diferentes.

  28. Kauan Manzato disse:

    Desculpe-me, mas sua hipótese está cheia de furos. O maior dos erros é a falta de compreensão da Teoria Quântica. Não a culpo, ninguém entende a Física Quântica por inteiro, por isso ainda há inúmeros estudos sobre. Se alguém disser que compreende a teoria por inteiro, está mentindo. Listarei alguns erros.
    1. A Física Quântica compreende o estudo de partículas subatômicas. Não há como usar a Física Quântica para objetos maiores. Aliás, a unificação dos campos da física (física quântica, clássica e teoria da relatividade) é um dos maiores problemas da física. Então, se você fala que sabe os efeitos da física quântica no mundo e na história, está mentindo para os leitores.
    2. A Física Quântica não estuda o “infinitamente grande”. Quem estuda isso é a teoria da relatividade.
    3. A energia descrita na Física não é espiritual, é a capacidade de realizar trabalho.
    4. O observador realmente altera a realidade, mas a realidade subatômica. E o observador aqui, não é humano. O observador é quando você mede as propriedades da partícula.
    5. Amit Goswami é um parapsicólogo, ou seja, estuda uma pseudociência.
    Há outros erros no seu texto que derivam do erro 1. e por isso não preciso explicitá-los aqui. Não use uma teoria se você não compreende nem os seus princípios.

  29. Welington Souzs disse:

    Não o dá para saber ao certo se títulos realmente deixam alguém melhor. Lançar mão das ciências para justificar tendência ou projeto político não acende luz nenhuma sobre o QI de alguém, principalmente porque cada um cria a teoria que melhor lhe servir. Esquerda ou direita são ideologias de grupos de interesse, não passa pela energia quântica, a não ser para os que acreditam em qualquer coisa!

  30. heloisa helena gonçalves disse:

    Excelente analise, esperançosa, nos lembra nosso poder latente

  31. Marco Aurélio de Freitas Ribeiro. disse:

    Charlatanismo informa.
    Blábláblá

  32. Gisleno silva nogueira disse:

    Gosto muito de física quântica mais misturar com a esquerda corrupta do brasil e o movimento revolucionário no mundo que matou milhões e deixa outros milhões no cativeiro à exemplo ( cuba e Venezuela), não foi uma boa ideia.

  33. Edgar Rocha disse:

    Que surra dos conservadores, hein, professora! Estou rindo sozinho. De felicidade. Há tempos não vejo um texto tão incômodo. E eles esperneiam, desqualificam, chamam de bobagem… Só posso lhe dizer uma coisa: meus parabéns! A senhora chamou minha atenção, definitivamente.
    Mas, uma coisinha: se é bobagem, pra que tanto medo??? A resposta, talvez esteja no potencial de mudança. E acredito que gente muito graúda não deve chamar isto de bobagem, não! Ao contrário, já levam em consideração estas proposições. Falo isto pensando na enorme sofisticação dos mecanismos de controle social da informação. Se o risco está em querer mudar, é melhor dizermos a todos o que devem querer e que direção seguir. Esta é a maior prova da credibilidade do raciocínio acima.
    Só bolsominiom pra recusar.

  34. Fernando Henrique Moreira de Abreu disse:

    Noup. São apenas explanações que espanaram toda teoria da relatividade geral, e todo sentido quântico do escasso conhecimento físico que adquirimos. Não me espanto de uma Sra Arquiteta misturar todos estes estudos complexos (que vão além de sua grade acadêmica) em conceitos gramscistas, como se a própria tragédia da vida deste, não bastasse como cautela.

  35. Cris Macedo disse:

    Grandes pensadores de esquerda colapsaram bem a função de onda. Entraram no inconsciente coletivo é resultado é o que vemos… fome e miséria!

  36. Luciana Xavier disse:

    Parabéns, Débora, os comentários contra e a favor do seu texto mostram a força do mesmo. Não entendo em profundidade sobre física quântica, então respeitosamente me abstenho a debater tal assunto tecnicamente, mas percebemos a força do seu texto exatamente pelas reações muitas vezes apaixonadas dos comentários. Conhecendo em profundidade a consistências dos seus estudos e sua luta limpa por melhores tempos, me alegra que seja você a porta voz de discussão tão calorosa. É esperançoso ver um texto seu sendo plataforma de um debate; afinal, estamos cansados de discussões vazias. Eliminando um ou outro comentário raivoso e raso, fica claro que seu texto propôs uma discussão sobre novos caminhos, e ter pessoas com a sua integridade e conhecimento humano à frente deste debate, renova as minhas esperanças. Força e coragem, propostas fora do comum de reflexões sempre mexem com os paradigmas e a reação, sabemos, é imediata, sair do conforto das nossas “verdades absolutas” é sempre dolorido. Mas necessário. Por mais Professoras Doutoras Déboras para nos proporem profundas reflexões. Agradeço imensamente.

  37. Márcio disse:

    Não importa qual seja a crença. Se creres errado, manifestarás o errado, tal como o marxismo, que fora romanticamente citado no texto. E para exemplificar, por que a autora não citou a lavagem cerebral que a esquerda faz com os militantes, que hoje promovem um verdadeiro circo de horrores no campo social e cultural do Brasil? Só faltou dizer que Karl Marx e Antônio Gramsci mereceriam um prêmio Nobel postumo de Física por definirem ” um mundo quânticamente justo”. Justiça não é de esquerda, nem de direita, nem de cima ou de baixo. Justiça é equilíbrio. Justiça é justiça. Neste caso, precisaremos validar nossas crenças antes de manifesta-las, pois nós colhemos tudo aquilo que plantamos. Um texto com meias verdades, temperado com verbalismos em niveis quânticos.

  38. Ciro 12 disse:

    A física quaquânt já fez sua escolha: é Ciro 12, por um projeto quântico de desenvolvimento nacional!

  39. Elias Nazareno disse:

    Muito bom , Débora!
    Na Universidade Federal de Goiás – UFG temos um curso de educação intercultural indígena no qual a interculturalidade crítica e a transdisciplinaridade são seus princípios básicos.
    O curso conta com a participação de 25 povos indígenas da etnoregião Araguaia-Tocantins. Cada um dos povos indígenas possui epistemologias próprias e, consequentemente, formas distintas de conhecer e entender o mundo.
    Quando quiser, venha nos fazer uma visita.
    Visite nosso site https://intercultural.letras.ufg.br

  40. Arthur disse:

    É interessante como alguns chamam a esquerda brasileira de despótica e autoritária. é claro que existem vários defeitos, mas, ceramente esses que fazem tal tipo de crítica certamente são aqueles “democratas” que votarão naquela figura execrável que defende os preconceitos raciais, o machismo, a repressão violenta a qualquer tipo de manifestação, bem como a liberação do uso de armas. BANDO DE IMBECIS.

  41. Marcelo disse:

    Comparar algo com física quântica virou modinha. Já vi muitas bobagens por aí a respeito relacionando física quântica com espiritualidade, com horóscopo e finalmente alguém sacou a modinha e resolveu aplicar a mesma em preferências políticas, sem mesmo entender o que é física quântica. As analogias se comparam a de uma criança de três anos de idade tentando entender como funciona o firmamento……. (noite/dia). Sabe porque uma biblioteca organiza seus livros em prateleiras separadas por títulos? Porque certos assuntos não se misturam. E esta matéria é um exemplo. Sem mais…….

  42. LEO UMBERTO SEVERO GONCALVES disse:

    Só extremas direitas comentam?
    Aí fica difícil interagir.
    Os caras não conseguem nem sentir as definições, imagina entende-las.
    Parabéns Débora Nunes. É obrigado

  43. Ciro Sales disse:

    O afeto me trouxe até este artigo. O texto me chamou a atenção pela engenhosidade das imagens e conexões que provoca, muitas delas não elaboraria sozinho sem esta leitura. Me tocou o fato de que uma publicação simples, ao nos trazer a perspectiva de que o nosso olhar define a realidade e de que os rumos da história podem ser guiados pela ação de cada um – notadamente daqueles apartados das narrativas tradicionais – consiga acionar ainda mais afeto, por empatia, empoderamento e sensibilidade. E a autora conquista isso, a meu ver, pois não se pretende especialista, apenas facilitadora de uma compreensão interconectada.
    Ao ler alguns comentários aqui registrados, constato o que todos já sabemos. É tão mais fácil, corrente e difundida a prática de rejeitar o novo e o diferente que acabamos perdendo excelentes oportunidades de debater e crescermos no debate. Preferimos apequenarmo-nos no embate. Nos interessam mais as dicotomias e polarizações que os caminhos do meio e conciliações. Tenho certeza – e falo com propriedade – de que a autora responderia e debateria com afeto muitos dos questionamentos levantados por todos estes leitores aqui tão interessados no seu artigo. Mas a pretensão e a arrogância expressas em alguns já deixa claro não haver caminho saudável, então melhor aguardar o próximo salto quântico que nos levará a uma dimensão mais conciliadora, amorosa e congregadora do indivíduo.
    Esse otimista aqui acredita que chegaremos lá. E somos muitos sorrindo por aí.

  44. Alguem disse:

    Não me leve a mal, mas usar a física, ciência objetiva e concreta, para uma análise subjetiva do mundo é ignorancia.

  45. MARCOS RODRIGUES disse:

    Parabéns à Débora Nunes por escrever, parabéns ao Outras Palavras por publicar, sem entrar no mérito cientifico do artigo, por si só fez o que teria de fazer “provoca as mentes”, sanas e insanas.
    Outras Palavras deve estar num bom caminho, pelas respostas nota-se que atinge públicos diversos, não tinha ideia que tantos conservadores (mal informados ou mau intencionados ou ambos) os lessem..
    Falando apenas de “olhares” se fosse apenas pelo olhar da maioria que comentou o artigo ainda estaríamos na fase de afirmar com toda convicção que a terra era plana e os reis eram escolha divina.

  46. Carmen Rangel da Silva disse:

    Parabéns Dra Débora! Li seu artigo e todos os comentários. O artigo instiga o pensar, a possibilidade de começar a se desinstalar de zonas de conforto, de certezas cristalizadas no pensamento raso do paradigma ainda hegemônico que sequer entende o que seja um pensar transdiciplinar! Sem um pensar transgressivo não teríamos Marx, Einstein e tantos outros pesquisadores que romperam certezas em suas áreas e, verdadeiramente, oxigenaram mentes e alavancaram novas possibilidades nas ciências e no fazer humano. Há os que se prendem a procurar eventuais inconsistências textuais ou teóricas para, do alto de suas certezas, se agarrarem ao pensar consagrado. Há os que ousam começar a pensar porque têm, de fato, mentes aguçadas, a curiosidade tão determinada ao ponto de começar a olhar o que transita entre macros e micros universos sem medo do que possam encontrar. Com a ousadia e a humildade necessárias para admitir que nós, cérebros tão brilhantes, usamos apenas 10% de nossa capacidade de entender a ‘realidade’. Parabéns por sua ousadia ao conseguir incomodar tanto o pensar que provém do senso comum como o que se ancora nas certezas academicistas.

  47. MARIA CIBELE MOREIRA PINTO disse:

    Muito bom o artigo. Se o infinitamente grande é sustentado pelo infinitamente pequeno, como alguém pode deduzir que a ação atômica não está em tudo e interfere em tudo? Estamos vivendo um momento de mudanças de paradigmas muito forte e isso assusta a quem está acomodado na zona da critica, do desacreditar aquele que traz uma ideia nova. Sempre foi assim. Tem que ser forte para se expor a trazer ideias que possam expandir a consciência global. Parabéns por fazer parte da minoria que transforma.

  48. ricardo seixas disse:

    Aqui, neste texto, se apresentam conceitos significativos de física quântica, que mereciam melhor explicação, misturados com ideologia de esquerda, o que não dá sentido nenhum ao texto….foi uma forçada de barra esta mistura, como óleo e água….

  49. crisprn Ian disse:

    a mecanica quantica nem da a vontade de ler em um artigo pois que da sono

  50. Graziele Trindade disse:

    Muito bom texto. Precisamos nos compreender mais do ponto de vista Universal. Somos ‘um’ individualizados somente pela nossa humanidade. Enquanto matéria pendemos para este olhar que nos aparta de tudo que é maravilhoso e bom. Nos tornamos parte de um sistema ou estamos totalmente excluídos dele. Por isso, até mesmo por ignorar a física quântica dos relacionamentos, é que temos tantos suicídios hoje. Seu texto muito me ajudou. Pretendo em breve auxiliar este grupo cujas tendências suicidas já estão inclusas em um campo magnético que precisa ser entrecortado para que os casos diminuam. Eu já fui suicida em outra vida, nesta eu vim para vencer e para ajudar. Mil beijos amada! Obrigada.

  51. João disse:

    Arquiteta ou Coaching Quântico?
    Acho que ela se formou em outro curso.

  52. Rubens jordao disse:

    Esquerda busca mundo mais justo e democrático??? Onde??? Só se for em algum outro universo. Senão vide Cuba, coreia do norte, chinavenezuela etc…

  53. Raquel disse:

    Parabéns pelo texto. Incrível. Pena que nem todos os olhos estão preparados para ler, e desconhecem completamente os conceitos que tanto criticam.

  54. Marta disse:

    É Deborah querida… trazer o novo a público não é simples, a ignorância é tamanha! E se expressam com uma veemência!! Mas eu adorei o seu artigo, te parabenizo e solidarizo! Quando as consciências expandirem, entenderão. Nós acreditamos nisso, oramos por isso e já conseguimos ver tudo isso acontecendo! 🙂

  55. Rhenan disse:

    Desculpe, mas você está cometendo o mesmo erro de muitos espiritualistas que se empossaram da Física Quântica para tratar de temas comportamentais humanos com foco em fé e espiritualidade.
    Sua definição de física quântica no segundo parágrafo e em todas as outras relações que são feitas está totalmente equivocada, isso prejudica o entendimento correto por parte das pessoas leigas. Cabe a nós comunicadores ir fundo na pesquisa para não comunicar pseudo informações com cara de verdade cientifica.
    Recomendo a você e a todos as pessoas que acreditam nas teorias quânticas como algo espiritual que leiam o livro Pura Picaretagem de Daniel Bezerra e Carlos Orsi.
    Eu também já fui um crente nessa área até descobrir, depois de muita desconfiança, que eu estava sendo enganado. Não digo que você e todos que estão pregando na mesma linha são picaretas ou que estão tentando enganar os outros, digo que algumas pessoas pensaram nisso propositalmente para fins lucrativos e disseminaram um falso conhecimento que hoje vem sendo adotado por pessoas como você, como eu já fui, e muitas outras que não foram a fundo no que de fato é a física quântica.
    Fique a vontade para deletar meu comentário, não quero ser indelicado, até porque eu também acredito nos efeitos “místicos” energéticos, só não acho justo relacioná-los a uma ciência como a física quântica que nos serve tecnologicamente para tantos fins como: notebook, smartphone, transistores, transistores, laser, semicondutores, aparelhos eletrônicos, aparelhos de ressonância magnética, chip, estudos de Engenharia Genética… e por ai vai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *