O Brasil no tempo de Oswald

Uma cronologia a partir do ponto de vista do Teatro Oficina, em folheto da peça “O Rei da Vela” (1967)

Centro de São Paulo em 1920 -- pouco antes da Semana de Arte Moderna (1922) e da publicação do Manifesto Pau-Brasil (1924)

Centro de São Paulo em 1920 — pouco antes da Semana de Arte Moderna (1922) e da publicação do Manifesto Pau-Brasil (1924)

Para ele, a História do Brasil teve começo em 1554,

quando da deglutinação do Bispo Sardinha,

invasor estrangeiro devorado pelos índios

1889

15 de novembro: Proclamação da República.

1890

11 de janeiro: nasce, em São Paulo, José Oswald de Souza Andrade.

1894

Floriano Peixoto sufoca revolta armada chefiada por Custódio de Mello.

1896

Revolta de Canudos

1900

Passagem do século — o Brasil tem 17.380.000 habitantes; São Paulo tem 239.820.

1909

É publicado manifesto do futurismo de Marinetti (Manifesto-Fundação). Oswald, jornalista, acompanha o presidente Afonso Penna em excursão ao sul.

1910

Revolta do marinheiro João Cândido (“Assisti, no Rio, à primeira revolução política que o Brasil teve neste século”, afirma Oswald, comparando-a com a revolta do Potemkin, na Rússia).

1911

Oswald auxilia a pregação civilista, apoiado por Washington Luiz, então secretário do governo paulista.

1912

Primeira viagem de Oswald à Europa (onde voltaria mais 14 vezes). Oswald rasga seu primeiro livro de poemas.

Marinetti publica o “Manifesto Técnico”.

1914

Início da I Guerra Mundial.

Emissões desenfreadas no Brasil.

Início de um tímido processo de industrialização do país.

1916

Oswald começa a publicar “uns palminhos de futurismo”.

Oswald começa a elaborar “Memórias Sentimentais de João Miramar” (versão final em 1923).

Oswald Publica seu primeiro livro (com Guilherme de Almeida — duas peças em francês).

1917

Revolução russa.

Primeira greve geral em São Paulo: tomam parte 70 mil operários.

Oswald começa a escrever o romance “Os Condenados”.

1918

Fim da I Guerra Mundial

Brasil: aumenta o choque entre a burguesia industrial e a aristocracia rural (café, monocultura, em crise).

1919

Epitácio Pessoa é eleito (última tentativa de política anti-industrial, pró café).

1920

Crise da produção do café.

1922

25 de março: fundação do Partido Comunista do Brasil.

Oswald publica “Os Condenados”.

Fevereiro: Semana de Arte Moderna, em São Paulo.

Julho: Levante do Forte de Copacabana.

Novembro: Artur Bernardes eleito presidente (desde então o país vive em estado de sítio, sob regime policial).

Mussolini, após a “Marcha sobre Roma”, toma poder na Itália.

1923

Oswald redige versão final de “João Miramar”.

Após eleições, em janeiro, revolta no Rio Grande do Sul.

1924

Oswald publica coletânea de poesia “Pau Brasil”.

Levante militar em São Paulo: coluna paulista (Isidoro Lopes e Miguel Costa).

Início, no Rio Grande do Sul, da marcha da Coluna Prestes.

Oswald começa a preparar “Serafim Ponte Grande” (romance).

Oswald publica o “Manifesto Pau Brasil” (Correio da Manhã).

1925

Oswald publica coletânea de poesia “Pau Brasil”.

1926

Mário de Andrade publica “Macunaíma”

Novembro: posse de Washington Luiz.

Revolução do Rio Grande do Sul.

1927

Oswald publica “Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade”.

A Coluna Prestes termina sua marcha. Seus últimos integrantes se exilam na Bolívia.

Astrojildo Pereira, em nome do PC, procura Prestes.

1929

Organização da Aliança Liberal.

Crise econômica em todo o mundo (exceção da URSS).

1930

Revolução conduz Getúlio Vargas ao poder.

1932

Revolução Constitucionalista em São Paulo, contra Getúlio.

1933

Oswald publica “Serafim Ponte Grande”.

Oswald começa a preparar “Marco Zero” (romance inacabado), cujas duas primeiras partes concluirá em 1945.

Oswald começa a preparar a peça “O Rei da Vela”.

1934

Oswald escreve a peça “O Homem e o Cavalo”.

Getúlio é oficialmente eleito presidente, legalizando sua permanência no poder. (um dia antes é aprovada nova Constituição).

Na Alemanha, Hitler é chanceler.

1935

Novembro: revolta comunista.

1936

Guerra Civil na Espanha contra o fascismo.

1937

Golpe: início do Estado Novo.

Oswald escreve a peça “A Morta” e conclui “O Rei da Vela”.

1938

Fracassa tentativa de golpe integralista.

1939

Início da II Guerra Mundial.

1942

Oswald celebra a resistência de Stalingrado com o poema “Cântico dos Cânticos”.

O Brasil entra na Guerra.

1943

Oswald colabora no “Estado”, “Diário de São Paulo”, “Folha da Manhã”.

1944

A FEB luta na Itália.

1945

Fim da II Guerra Mundial. Bomba atômica em Hiroshima.

Getúlio cai em outubro.

Oswald publica a tese “A Arcádia e a Inconfidência”.

1946

O país tem nova Constituição.

1950

Oswald publica a tese para Concurso de Cadeira de Filosofia da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo: “A Crise da Filosofia Messiânica”.

1951

Getúlio é novamente eleito presidente.

1952

Morte de Stalin. Eisenhower no governo dos Estados Unidos.

1953

Oswald escreve “A Marcha das Utopias”.

1954

Suicídio de Getúlio Vargas (24 de agosto). Morte de Oswald de Andrade (outubro).

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos