Pokemon, os espiões agora em sua casa

Como o jogo dos inocentes monstrinhos devassa novo território da intimidade e mapeia os ambientes em que você vive e trabalha. Por que o Google, proprietário, transmite os dados a “anunciantes e agências do governo”

Por Sergey Kolyasnikov, no Diário Liberdade

13614946_875267169244068_312505414574718792_n

Como o jogo dos inocentes monstrinhos devassa novo território da intimidade e mapeia os ambientes em que você vive e trabalha. Por que o Google, proprietário, transmite os dados a “anunciantes e agências do governo”

Por Sergey Kolyasnikov, no Diário Liberdade | Imagem: Vini Oliveira

Pode falar-me do “Pokemon Go”?

Já dei três entrevistas sobre isso, de modo que agora tenho de me aprofundar nas fontes primárias.

Programador do jogo: Niantic Labs. É uma start-up da Google. Os laços da Google com o Big Brother são bem conhecidos, mas irei um pouco mais fundo.

A Niantic foi fundada por John Hanke, o qual fundou a Keyhole, Inc. – um projecto de mapeamento de superfícies cujos direitos foram comprados pela mesma Google e utilizados para criar o Google-Maps, o Google-Earth e o Google Streets.

E agora, atenção, observe as mãos! A Keyhole, Inc. foi patrocinada por uma empresa de capital de risco chamada In-Q-Tel , que é uma fundação oficialmente da CIA estabelecida em 1999.

As aplicações mencionadas acima resolvem desafios importantes:

Atualização do mapeamento da superfície do planeta, incluindo estradas, bases [militares] e assim por diante. Outrora tais mapas eram considerados estratégicos e confidenciais. Os mapas civis continham erros propositais.

Robôs nos veículos da Google Streets olhavam tudo por toda a parte, mapeando nossas cidades, carros, caras…

Mas havia um problema. Como espiar dentro dos nossos lares, porões, avenidas com árvores, quartéis, gabinetes do governo e assim por diante?

Como resolver isso? O mesmo estabelecimento, Niantic Labs, divulgou um brinquedo genial que se propagou como um vírus, com a mais recente tecnologia da realidade virtual.

Uma vez descarregada a aplicação, e dadas as permissões adequadas (para acessar a câmara, microfone, giroscópio, GPS, dispositivos conectados, incluindo USB, etc), o seu telefone vibra de imediato, informando acerca da presença dos três primeiros pokemons! (Os três primeiros aparecem sempre de imediato e nas proximidades).

O jogo exige que você dispare para todos os lados, atribuindo-lhe prmios pelo êxito e ao mesmo tempo obtendo uma foto da sala onde está localizado, incluindo as coordenadas e o ângulo do telefone.

Parabéns! Acaba de registar imagens do seu apartamento! Preciso explicar mais?

A propósito: ao instalar o jogo você concorda com os termos do mesmo. E não é coisa pouca. A Niantic adverte-o oficialmente: “Nós cooperamos com agências do governo e companhias privadas. Podemos revelar qualquer informação a seu respeito ou dos seus filhos…”. Mas quem é que lê isso?

E há o parágrafo 6: “Nosso programa não permite a opção “Do not track (Não me espie) do seu navegador”. Por outras palavras – eles o espiam e o espiarão.

Assim, além do mapeamento alegre e voluntário de tudo, outras oportunidades divertidas se apresentam.

Por exemplo: se alguém quiser saber o que está sendo feito no edifício, digamos, do Parlamento? Telefones de dúzias de deputados, pessoal da limpeza, jornalistas vibram: “Pikachu está próximo!!!” E cidadãos felizes agarrarão seus smartphones, ativarão câmeras, microfones, GPSs, giroscópios… circulando no lugar, olhando a tela e enviando o vídeo através de ondas online…

Bingo! O mundo mudou outra vez, o mundo está diferente.

Bem vindo a uma nova era.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

26 comentários para "Pokemon, os espiões agora em sua casa"

  1. Sanreg disse:

    Fora Pokemon, fora Pikachu, fora Temer….

  2. josé mário ferraz disse:

    Tudo isso faz parte da luta entre alienação e esclarecimento, luta que algum dia será vencida pelo esclarecimento porque a alienação, a cada dia, vai sendo corroída pelo esclarecimento. Haja vista que governante já foi considerado Deus e hoje é considerado Satanás.

  3. Thiago disse:

    Vamos ser razoáveis aqui?
    Primeiramente, e mais importante: o uso de dados do aplicativo é pífio, ou seja, ele não está enviando imagens (ou vídeos) para nenhum database central. O consumo total durante mais de seis horas de jogo (com direito à MUITA captura de pokémons, obrigado) não passou dos 60 Mb. Qualquer um com um mínimo de familiaridade com computadores sabe que arquivos de imagem são pesados. Uma foto, que seja, tirada pelo meu celular costuma pesar uma média de 3 Mb. Ou seja, eu preencheria essa cota com míseras 20 fotos.
    Se isso não é prova que o aplicativo não manda imagens, não sei o que será.
    Sobre a politica de privacidade da Niantic: você está redondamente enganado. Leia aqui, em inglês: https://www.nianticlabs.com/privacy/pokemongo/en. Destaco as seguintes passagens, que traduzirei:
    “Our Services do not have the capability to respond to ‘Do Not Track’ signals received from various web browsers”, ou “Nossos serviços não possuem a capacidade de responder à sinais ‘Do Not Track’ de web browsers diversos”. Não é “não permite”, é “não tem capacidade”. BEM diferente.
    Depois: “We will not share any of your PII [Player Identifying Information] that we have collected from or regarding you except as described below”, ou “Não compartilharemos nenhuma das suas Informações Identificatórias (que, por sinal, se resumem à seu email e os dados necessários para os diferentes tipos de conta existente, como google play ou facebook) que coletamos ou que lhe concerne exceto nas situações abaixo”.
    A lista é: caso você informe da existência de um bug de programação; para que os provedores de serviço (os server hosts) possam de fato prover o serviço, e, sob contrato, não podem divulgar os dados; informações para fins estatísticos e demográficos, sem divulgar os nomes ou e-mails; em transações financeiras; e em caso de obrigatoriedade judicial.
    Agora, quanto à praticidade da “espionagem”: vamos começar com o fato que a função “câmera” pode ser desativada e que ele em momento o jogo capta audio (visto que o aplicativo não pede acesso ao microfone), sem mencionar que, como dito antes, o aplicativo não envia nenhuma imagem. Depois, a posição dos pokémons quando a função câmera esta ativa é tal que o aparelho deve ser posicionado de cima para baixo, olhando para o chão próximo.
    Junte esses dois fatos e a hipótese de que o jogo teria como função espionar cai por terra.
    E nem vamos discutir a ideia ridícula que os governos querem saber como é o interior das casas.

    • Amigo, olha onde você está?
      Não tente ser sensato aqui. Isso é obviamente um antro de teoristas da conspiração.

    • Teresa disse:

      Enfim alguém sensato . Cansei de falar isso é ninguém me deu crédito. Pura teoria da conspiração

    • Claudecir disse:

      As fotos podem serem transmitida quando você estiver conectado via wi fi

    • Priscila disse:

      Melhor resposta! Esclarecedora e LÚCIDA!

    • Charles disse:

      Thiago, primeiramente para ser razoável é extremamente importante ter conhecimento suficiente para afirmar as coisas no teor que afirma. Uma foto JPEG comprimida e com qualidade para ser exibida em telas de computadores pode ocupar 30kb. Sim, é perfeitamente possível que fotos estejam sendo transmitidas dentro destes 60MB.
      A empresa desenvolvedora do jogo pode não ter interesse em dados dos usuários para fins políticos, de vigilância e/ou ilícitos, mas não seja ingênuo em dizer que governos não têm interesse nestas informações. Talvez você nunca ouviu falar do programa de vigilância PRISM da NSA, agência de segurança do governo americano, que contou com a colaboração (voluntária ou não) de 9 grandes empresas de tecnologia, incluindo Google, Facebook e Microsoft. Isso para citar um só exemplo.

    • Charles disse:

      Sim, é. É perfeitamente possível reduzir uma foto de 3MB (2560×1920 pixels em alta definição) para 30KB (640×480 pixels em baixa definição) com pouca perda de qualidade para ser notada ao olho nu em uma tela de computador. É ainda possível reduzir ainda mais este tamanho, com perdas bem visíveis, mas que ainda dê para identificar e determinar espaço, cor, profundidade, pessoas e objetos.
      O algoritmo de compreensão JPEG, assim como o do MP3, é um algoritmo que prevê perdas de qualidade mas de maneira que é pouco perceptível ao olho nu ou à audição – no caso do MP3 por exemplo, a perda de qualidade é bem visível em um volume alto geralmente reproduzida em grandes caixas de som.
      Textos, binários e outros formatos, por exemplo, não pode ter perda ou o arquivo se corrompe (impossível decifrar). Neste caso, os algoritmos de compreensão para este tipo de informação não permitem perda.

  4. Rodrigo disse:

    Ok, ok, agora me explica porque esse Streaming não parece no cel? Já que todas as fotos são enviadas deveria consumir uma banda enorme, e isso não acontece. Só muito trouxa pra acreditar em mais uma teoria da conspiração.

  5. Henrique disse:

    Cara, se vc entender um pouco de programação, e olhar a quantidade de dados transmitidos por pokémon go, vc vai ver q o app não envia imagnes a lugar nenhum. Ele envia a sua localização, mas ele funciona assim, mas “inclinação do celular e imagens da sua sala” não, isso fica só no cel mesmo. Então esse perigo todo não existe

  6. hebert disse:

    fora pokemongo, fora pikachu e fora Dilma, Prisão pro LULA !

  7. Marcelo F. disse:

    Polianas…

  8. osssman disse:

    Fica picachu, fora Temer!

  9. Janderson Cardoso disse:

    Difícil afirmar que é verdade ou não aquilo que foi afirmado no texto, porém de todo modo… se alguém quiser, pagar e tiver benefício, sabemos que tudo é possível!. Exemplo disso é, uma foto retirada com a câmera do celular simplesmente usando o aplicativo de fotografia realmente fica com 3Mb, mas conhecendo pouca programação e usando os recursos corretos ela ficará bem menor e se comprimida com algoritmos corretos ficaria minúscula e seu envio incluindo a posição geográfica e outros dados seria quase que imperceptível no consumo de dados. Pode até ser uma teoria da conspiração, mas que existem recursos para possibilitar isso existem.

    • Thiago disse:

      Janderson, o lance é que nenhum sistema de compressão é eficiente o suficiente pra reduzir uma foto para meros kbs. E, mesmo se fosse, continuaria não sendo imperceptível pela simples quantidade de fotos que seriam supostamente tiradas e enviadas.

  10. Flavia disse:

    Tanto mimimi…pessoal… Cada um tem seu smartfone e faz o que quer …uns mandam fotos dd nudes para os amigos, outros amantes pelo zap…e alguns caçam pokemon…parem de olhar vida alheia ! Pokechatos!

  11. Perina disse:

    Vai estudar cara :/ e não escreve asneira.
    Como o colega ali em baixo disse, a quantidade de dados que o jogo transmite é ridiculamente pequena. O próprio facebook utiliza muito mais.

  12. Fábio Fraga disse:

    Niantics Labs não é uma start-up da Google. Google comprou Niantics Labs que posteriormente Niantics ficou independente do Google. Hoje são empresas diferentes.

  13. Amanda disse:

    Se fosse assim qualquer app que usa a câmera poderia fazer isso, Instagram, Snapchat, todos os editores de fotos, nos permitimos que todos tenham acesso a câmera e muitos ao gps também…

  14. GPS disse:

    Blz… Mas porque fotos dentro de casa se eu posso desligar câmera durante o jogo, (fora o fato de que a proposta do jogo é SAIR DE CASA!)

  15. Saulo Toledo disse:

    Um bando de gente metida a programador aqui kkk. É perfeitamente possível comprimir uma foto de 3MB para 30KB, reduzindo a resolução e utilizando uma compressão bem agressiva no JPEG. Assim, 100 fotos dariam em média 3MB. As fotos seriam para espionar, não para estampar um outdoor, com 30KB é possível guardar uma quantidade enorme de informação. Isso se não for utilizado outro método mais agressivo de compressão da imagem. Se o outro lá em cima falou que em seis horas foram consumidos 60MB, é perfeitamente possível que imagens sejam enviadas sem que o usuário perceba. Agora, se envia ou não, aí é muita teoria da conspiração pra cabeça…

  16. Zandor disse:

    Porque enviar continuamente um volume absurdo que ocupará HD para ser guardado se podem obter a imagem e ou som quando quiserem? Quanto a câmera dos notebooks e celulares, por exemplo. Você acha que o led que avisa que a sua câmera está ligada, acionado por algoritimo de programação, não pode ser igualmente acionada pelos criadores do windows sem acender com uso de uma senha previamente inserida no código fonte do windows? Você acha quem um país detentor do windows não faria uso do próprio windows para espionar todo o mundo, não apenas por interesses escusos mas até para proteger seu povo?
    Você acredita que o que se escreve em um contrato será cumprido inexoravelmente? Não sejamos tão inocentes?

  17. Eduardo disse:

    Quanta baboseira li de uma só vez …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *