Greve de fome mapuche chega a 80º dia

Protesto é contra lei do governo Pinochet, ainda em vigor, que os trata como terroristas

Da Agência Pulsar

Os 34 indígenas mapuche que vêm fazendo greve de fome contra uma lei que os penaliza desproporcionalmente completaram 80 dias sem comer. E anunciaram que o protesto continua, já que consideraram fracassadas as tentativas de diálogo feitas até agora pelo governo e pela igreja católica.Os grevistas exigem que o governo se comprometa a nunca mais aplicar a Lei Antiterrorista em casos de reivindicação de terra. O representante do Poder Executivo disse que não pode prometer pela não aplicação da lei em nome dos outros poderes (Legislativo e Judiciário).

De sua parte, o presidente da Suprema Corte chilena, chefe maior do Poder Judiciário, afirmou que não pode entrar em acordos com grupos da sociedade porque seria inconstitucional.

A Lei Antiterrorista é herança da ditadura de Augusto Pinochet, e permite que os Mapuches que lutem por terra sejam processados duplamente, por tribunais civis e militares. Além disso, estabelece penas aumentadas.

M A I S:

Em Outras Palavras:

Mapuches, os chilenos dos quais não se fala

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Greve de fome mapuche chega a 80º dia"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *