A lição de liberdade dos “escravos” cubanos

Dois repórteres do “Zero Hora” gaúcho produzem uma video-reportagem honesta sobre os médicos que mídia normalmente hostiliza — e sua relação com pacientes

Por Fernando Brito, no Tijolaço

Dois repórteres do “Zero Hora” gaúcho produzem uma video-reportagem honesta sobre os médicos que mídia normalmente hostiliza — e sua relação com pacientes

Por Fernando Brito, no Tijolaço

A reportagem em vídeo no topo deste post não é de um site esquerdista.

É o trabalho honesto de dois repórteres da gaúcha Zero Hora – Itamar Melo e Larissa Roso -que, simplesmente, deixam os médicos cubanos falarem livremente e dá camera e microfone para alguns de seus pacientes.

E os cubanos, pessoas visivelmente simples, explicam como vivem e porque sabem que seu país ganha dinheiro com o seu trabalho.

Uma lição de liberdade, que não é um valor meramente individual, mas a sensação de pertencer e ser útil a uma coletividade.

E uma triste lição de como nos tornamos escravos de uma vida que não tem valores senão o dinheiro e o status.

Assista. Mande para seus amigos.

É mais convincente e emocionante que qualquer discurso.

Por que é simples, tão simples que poucos acreditam que possa existir.

Mas existe.

E isso não há ódio que possa desmentir.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

10 comentários para "A lição de liberdade dos “escravos” cubanos"

  1. Cara, é o seguinte, se vc viu em algum lugar um medico brasileiro hostilizando ou falando mal de algum medico cubano pode ter certeza que esse medico nem mesmo sabe o que quer da vida… agora se ele fala dos hospitais, dos gerentes dos hospitais das condições de trabalho esse sim sabe do que reclamar pois o problema no brasil não é a falta de medicos e sim a estrutura suficiente pra ele trabalhar… aposto que se os hospitais brasileiros fossem bem estruturados com certeza jamais iriamos necessitar de “mais medicos” pois medicos no brasil é o que não falta. Esse programa é mais um jogo politico mesmo, um tapa buraco. os medicos em si são iguais a qualquer pessoa mas o programa é uma farsa…

  2. jlasev disse:

    Sou medico não quero dinheiro ou status, apenas quero valorização pelas horas de estudo e dedicação. Também quero manter minha liberdade de expressão. Não temos certeza da sinceridade destas pessoas pela simples razão de que ao contrário não podem se pronunciar sob o risco de sofrerem retaliações do partido único!!

  3. Regina vieira disse:

    criticar a iniciativa do pragrama é um desrespeito aos desassistidos pela saúde no interior do país. Fato é que, graças a presença médica dos estrangeiros as condições estruturais de trabalho vem aumentando nestes locais.

  4. Vitor Fernandes disse:

    O Fernando diz que o problema é estrutural. Ok..eis um problema a ser resolvido a longo prazo. E o que fazer neste exato momento, a curto prazo, para cuidar dos desassistidos? Rezar para que a cura venha por um milagre?
    jlasev diz que quer valorização pelas horas de estudo e dedicação. Creio que, se vc estudou em Universidade pública, a maior valorização seria ver vc trabalhando no SUS, cuidando dos mais vulneráveis, para retribuir o dinheiro público investido em sua formação. Mas a maior parte dos médicos quer ganhar mais dentro do seu consultório particular…o que, na lógica em que vivemos, é de se entender.

  5. jiancorrea disse:

    Victor,
    Não existe universidade publica!!!! Não existe comida grátis!!!
    Alguém paga por isso!
    Não sou médico e o nosso amigo jlasev tem toda a razão,
    É Mérito dele receber pelo tempo de dedicado ao estudo, tudo deve ser monetizado.
    E Alertando ao video, quando a senhora diz que os cubanos ainda não se amigaram aos brasileiros eu os digo: NEM VÃO!!! Eles não podem se comunicar com os Brasileiros, eles vieram para serem escravos o Brasil!

  6. Marcelo Augusto disse:

    Desculpe aos jornalistas envolvidos mas a entrevista é sim falsa… Façam a mesma entrevista, GARANTINDO E ASSEGURANDO o total sigilo dos cubanos entrevistados, sem imagens de seus rostos e distorcendo a voz para não serem reconhecidos… TENHO CERTEZA EU IRÃO MOSTRAR A REALIDADE DA ESCRAVIDÃO QUE VIVEM… Se não é escravidão o Brasil pagar 10 mil pra CUBA e eles só ficarem com R$700,00…

  7. Sandra K disse:

    Nenhuma dessas declarações são verdadeiras!!!! E não me venham com mimimi,tenho família “bolchevique” em Cuba que se desespera cada vez q a minha mesada gorda atrasa…
    ” o comunismo é ótimo até acabar o dinheiro do outro”””
    Médico cubano se falar algo quem paga duro é sua família q ficou!!!!

  8. Orlando Bloom disse:

    E a liberdade de escolha, como fica?

  9. Alexandre disse:

    Incrível como pessoas teoricamente cultas se deixam enganar por questões de defesa ideológica. E claro que mentem. São monitorados e seus familiares são reféns em cuba! Gente se Cuba e tão bom mudem p lá. E só se filiar a um partido brasileiro mostrar a carteirinha q serão bem vindos. Chrga de estória da carochinha.

  10. jose disse:

    vai pra cuba !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *