Giap, o homem que humilhou dois Impérios

Morre no Vietnã, aos 102 anos, gênio militar responsável por arrasar “mito da invencível superioridade dos Estados Unidos”

131004-Vietnã

Por Xavier Monthéard, no Le Monde Diplomatique | Tradução: Antonio Martins

Do nada, ele fez um exército; de um enfrentamento local, um símbolo da resistência à iniquidade. Ele venceu os franceses da batalha de Diên Biên Phu, em 1954, e depois arrasou os norte-americanos, com a Ofensiva do Tet, em 1968. Um David que triunfou sobre diversos Golias: assim se inscreve o general Vo Nguyen Giap na história do Vietnã.

Giap nasceu em 25 de agosto de 1911, em Annan, protetorado da Indochina francesa. Foi criado por sua família numa atmosfera de orgulho pela dominação estrangeira. No colégio de Hue, a leitura do Processo da Colonização Francesa, de Ho Chi Mihn, transtorna-o. A ganância dos colonizadores, seu desprezo pela população local e sua brutalidade provocam, em 1930, um vasto levante, duramente reprimido. Instruído pela prisão, Giap terá, a partir de então, vida dupla.

Forma-se em 1934, torna-se professor, casa-se. Ao mesmo tempo, ingressa no Partido Comunista, clandestino. As bases do Vietminh, uma estrutura operária e camponsesa ligada à Internacional Comunista, estão superadas. Na China, Giap recebe, em 1940, orientação de formar um exército de libertação. Tem trinta anos, seu futuro transforma-se. A partir de então, três décadas de combate – pela independência, em setembro de 1945; contra o ocupação francesa da Indochina, até 1954; contra os invasores norte-americanos, expulsos em 1975 – serão marcadas por seu gênio militar.

De volta a Dien Bien Phu, quarenta anos após vencer os franceses. Abnegação dos soldados e unidade profunda com camponeses eram conceitos-chave para Gia

De volta a Diên Biên Phu, em 1994, quarenta anos após vencer os franceses. Abnegação dos soldados e unidade profunda com camponeses eram conceitos-chave para Giap

Sem formação militar acadêmica, Giap refina o conceito de “guerra popular prolongada”: um exército de camponeses firmemente apoiado na população. Suas tropas souberam ser respeitadas nos vilarejos por sua abnegação, que contrastava com a arrogância francesa e norte-americana. Em contrapartida, os civis ajudavam os soldados e tornaram possíveis proezas logísticas. Basta vislumbrar as dificuldades do cerco de Diên Biên Phu: durante 55 dias, jangadas e bicicletas, que se esgueiravam pelas trilhas da floresta, abasteceram de alimentos e munições um exército sob chuva de bombas e napalm.

Para Giap, a guerra revolucionária comportava três fases: a defesa estratégica, a guerrilha e a contra-ofensiva. Ele foi insuperável nas duas primeiras, mas se mostrava às vezes impaciente, nas operações de grande amplitude. Soube, porém, transformar uma derrota tática, como a de Têt, numa vitória política: a opinião pública norte-americana tremeu, quando descobriu a onipresença dos “Vietcongs”.

Afrontado por uma lógica de aniquilação, Giap desenvolveu uma estratégia que fez voar em pedaços o que ele chamava de “mito da insuperável potência das tropas norte-americanas”. Segundo um de seus biógrafos, Cecil B. Currey, Giap foi “talvez o único gênio militar do século 20 e um dos maiores de todos os tempos” – porque “desencadeou uma batalha contra seus inimigos a partir de uma situação de grande fraqueza, começando quase sem tropas, porém capaz de vencer sucessivamente os vestígios do império japonês, os exércitos da França (à época segundo império colonial) e os Estados Unidos, então uma das duas superpotências do mundo”

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

12 comentários para "Giap, o homem que humilhou dois Impérios"

  1. cuatash disse:

    tinha q ser do colégio de Hue

  2. Gatoso disse:

    “Foi criado por sua família numa atmosfera de orgulho pela dominação estrangeira. No colégio de Hue”
    Ele venceu, por que foi ensinado que a zoeira never ends.
    HUEHUE BR BR

  3. ALBERTO CARDENAS disse:

    OK EL ES EL ARTIFISE DE LAS VICTORIAS CONTRA FRANCIA Y ESTADOS UNIDOS,PERO SI NO FUERA POR LOS MILES QUE MURIERON BAJO SUS ORDENES NO SE PODRIA HABER LOGRADO NADA.

  4. Salvemos a memória de GIAP. Ele é um de meus heróis. Temos que aprender com ele, porque os EUA vão desencadear um guerra contra o Brasil para tomar a maior reserva de xisto do mundo, em São Gabirel da Cachoeria, AM e Rondônia.. Fiquemos atentos, cocidadãos! E preparemo-nos de todas as maneiras, inclusive fazendo hortas perenes em todo local ocioso e estudando terapias com plantas etc.
    Áurea de Andrade

  5. Vilmar Nicolau disse:

    O herói Giap deveria ser ensinado para toda a juventude por sua capacidade de motivação e superação. Ele nos ensina que com simplicidade, dedicação e perseverança nada é impossível. Seus ensinamentos contrastam com a ideia atual de que dependemos totalmente de tecnologias importadas, complexas e caras. Infelizmente não temos um Giap, um líder capaz de ir além dos lugares comuns e idiotas que perseguimos com tanto fervor.

  6. Julio disse:

    FRUTO MAIS DE UMA ÉPOCA QUE OS EUA NÃO PODIAM SUBIR ACIMA DO PARALELO 17 – OS GENERAIS AMERICANOS DECLARARAM REITERADAMENTE NUNCA TEREM ORDENS DE SUBIR ALÉM DESTE LIMITE-
    Se fosse o contrário, os sul-vietnamitas a fazer guerra em túneis, o comunismo rápidamente os anularia com gases tóxicos, coisa proibida a nós ocidentais-

  7. Paulo Roberto Oliveira disse:

    Creio que Glap tenha sido o mentor da famosa “trilhas de Ho Chi Minh” que encurralavam soldados americanos nas matas vietnamitas.

  8. Ghassan El-Kadri disse:

    SEMPRE tive pavor de militares. Afinal, sou brasileiro…De Vo Nguyen Giap, NUNCA! Tinha 16 anos quando se deu a famosíssima Ofensiva do Tet – perfeitamente descrita como ‘derrota tática’, transformada em ‘vitória política’. Lembro-me, ainda hoje, sexagenário, de como essas ferozes batalhas me fizeram vibrar pelo povo vietnamita! Daí nasceu minha admiração por esse grande estrategista que conhecia TODAS as batalhas de um outro francês: Napoleão. Morreu o homem Giap, mas seu espírito, que encarnou a gloriosa determinação de um povo: vencer ou morrer!, continuará brilhando enquanto durarem as trevas do capitalismo.

  9. Temos que aprender com os altos oficiais do Exército Brasileiro que foram orientar-se com o herói GIAP, antes de ele morrer aos 102 anos, lúcido e atuante.
    Porque os EUA planejam um guerra para tomar de nós São Gabriel da Cachoeiria, a maior cidade (geográfica) do Brasil, e com a maior fonte de xisto do mundo. Os EUA, maior consumidor de xisto, só tem 3% dessas reservas – querem roubar a que nós temos…
    Áurea de Andrade

  10. joao francisco da silva filho disse:

    O Giap grande contribuiçao deu ao seu PAÍS vendendo 2 potencias mundiais, também nos deixou uma liçao de encorajamento pra enfrentar os golias qe aparecer em nossas vidas.
    joao de ronda

  11. José Marcio disse:

    Muito entregou sua vida pelo seu país sem ter nada em troca ,se fosse hoje o congresso ainda estava analisando seus interesses próprios e os salários vergonhosos,grande general,gostaria de estar aonde ele passou ,vietinan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *