Uma rasteira n’A Terra é Redonda

Para seu novo podcast, revista Piauí apropria-se indevidamente do nome de site crítico ao sistema, e que reúne a produção de importantes intelectuais e ativistas. Recusa-se a trocá-lo, mesmo após pedidos e protestos…

Pela equipe do site A Terra é Redonda

O site A Terra é Redonda vem a público protestar contra uma anunciada tentativa de apropriação indevida de seu nome.

A revista Piauí, conforme notícia veiculada no Twitter no dia 03 de março de 2020, afirma que pretende lançar um canal de podscasts com nome idêntico ao do site, a ser apresentado pelo jornalista Bernardo Esteves.

A Terra é Redonda é um site sem fins lucrativos, mantido por meio de trabalho voluntário. Constitui um espaço para a intervenção pública de intelectuais, acadêmicos e ativistas de movimentos sociais. Os artigos postados se inserem na linhagem da reflexão crítica sobre as múltiplas dimensões da sociedade capitalista, em defesa do processo civilizatório contra os avanços da barbárie.

A Terra é Redonda conta entre seus colunistas com nomes expressivos da intelectualidade brasileira. Os artigos ali publicados têm sido reproduzidos – com a devida menção, como é praxe na imprensa democrática – por dezenas de sites, numa lista que inclui alguns dos mais acessados na blogosfera

Antes de redigir esta nota, a equipe responsável pelo site entrou em contato com a revista Piauí, solicitando gentilmente a mudança do nome do anunciado podcast, entre outros motivos porque já foram postados no spotify e em outras plataformas os podscasts do A Terra é Redonda, como se pode conferir no Spotify.

A recusa da referida revista em alterar o nome explicita o comportamento tendencial de certa imprensa – não toda – financiada por banqueiros. Além de despejarem milhões para combater a esquerda, não hesitam na hora de decidirem se apropriar de suas ideias.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: