O cheiro do bolo e o clima de paz

Mércia adaptou o apartamento que une cozinha e lavanderia (Foto: Centro Ocupado)

Mércia adaptou o apartamento que une cozinha e lavanderia (Foto: Centro Ocupado)

Guia de turismo, Mércia veio de Brasília a São Paulo para cuidar da saúde e acabou em ocupação de prédio, com filha e netos…

Por Rafael Rojas, do Centro Ocupado

Em meio a máquinas de lavar roupas e um cheiro de bolo recém-saído do forno, Mércia nos recebe em seu apartamento na ocupação da Rua Sete de Abril. Aos 54 anos, Mércia Gonçalves Brito fala de modo tímido sua trajetória até a moradia no centro de São Paulo, onde está há 10 meses.

De Brasília, onde trabalhava como guia de turismo, Mércia decidiu conhecer São Paulo e se acostumou ao clima da cidade, mais úmido que a região central do País. “Vim passear, devido a ter pressão alta e diabetes. Me senti muito bem aqui. Minha filha só tem três meses com os meninos. Acabei ficando”.

Ao chegar à cidade, conheceu um rapaz no hotel onde estava hospedada que a indicou o local da ocupação. A mulher que atualmente lava roupas para alguns moradores dos prédios e preparas bolos e pães não conhecia nada do movimento de moradia e tinha um pouco de medo. “Aqui é bem tranquilo. É bem família aqui. Eles são muito exigentes e caso eles precisem, eles tiram fora. É bem calmo. Os gestores são bem severos. Só ficam quem precisa, quer trabalhar e ajudar o movimento”, comenta Mércia em meio ao barulho das brincadeiras dos netos que às vezes fazem uma visita ao apartamento.

A matriarca de uma família que ainda tem raízes no Distrito Federal comenta que ainda não se adaptou a viver num lugar pequeno, mas que apesar do pouco espaço consegue fazer muita coisa.

O clima de São Paulo cativa

Com apenas uma filha ao seu lado em São Paulo (as outras ainda moram em Brasília), Mércia comenta que a saudade aperta, mas não pensa em morar no DF novamente. “Eu vou pra lá de vez em quando. Vou e volto. Me adaptei muito bem aqui. Lá eu teria que tomar muito remédio e aqui nem tomo. Em Brasília, é frio só de manhã. Passou das dez horas é quente e seco. Quando fico lá é só hospital, hospital. Aqui eu não preciso”. Outro ponto ponderado pela mãe de três mulheres é o exercício físico: “Lá não fazia nada, acompanhava só algumas excursões. Aqui eu procuro ocupar meu tempo”.

A multiprofissional (doceira, lavadeira e guia) não pensa em voltar para o Distrito Federal. “Vou ficar por aqui, apesar de ter duas filhas lá. Uma terminou a faculdade e a outra está acabando. Ambas são casadas, mas nem pensam vir para cá”, lembra Mércia das filhas que ainda moram em Brasília.

E relação a filha e aos netos que moram com ela no local, Mércia diz: “Vamos ficar por aqui por um tempo. Não sabemos quanto tempo. Se aparecer essa oportunidade de conseguir uma casa, aí a gente vai ver o que fazer”. Além da parte saudável, pensa que São Paulo também pode ser bem mais fácil para buscar trabalho. “Isso serve tanto pros meus filhos, como pra mim. Minha filha via continuar os estudos aqui. Ficou mais fácil. Ela vai começar avida aqui. O campo de trabalho é mais fácil”, compara a moradora da ocupação a relação entre São Paulo e Brasília.

dsc_0034

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *