Narrativas indígenas, chave para outras subjetividades

Em SP, um curso sobre as histórias tradicionais dos xavantes, karajás, mehinakus e paiters. Fora do cânone literário, são baseadas na vivência oral e nas afirmações de identidade e revelam as cosmovisões dos povos originários

Curso Palavra Criadora – narrativas tradicionais dos povos indígenas
21 e 22 de janeiro, das 14h às 17h, na Escrevedora Centro Literário (Rua Isabel de Castela, 141, Vila Madalena, SP)
Mais informações aqui.

Nos dias 21 e 22 de janeiro, das 14h às 17h, Angela Pappiani reúne as pessoas interessadas em romper barreiras e enxergar novas possibilidades de estar no mundo num encontro com as narrativas tradicionais indígenas no espaço Escrevedora Centro Literário.

Conhecer narrativas de fora do cânone literário habitual é uma maneira de penetrar outras subjetividades, mas também um modo privilegiado de podermos enxergar a nós mesmos de perspectivas diversas e de refletir sobre a convivência com a diferença. 

Partindo dessas constatações, a proposta do curso Palavra Criadora – narrativas tradicionais dos povos indígenas é uma leitura acompanhada de narrativas tradicionais de povos indígenas, entrando em contato com a força das palavras nas culturas Xavante, Karajá, Mehinaku e Paiter Suruí, que valorizam, na vivência da oralidade, as afirmações de identidade, os direitos e as cosmovisões integradoras sobre origens e sobre concepções de futuro, trabalhadas no pensamento desses povos.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: