Ler ou copiar um texto?, por Walter Benjamin

Um contraponto à era do “touch”: para o grande filósofo e critico literário, a transcrição — mais do que a simples leitura — era a forma de perscrutar a alma de uma obra literária

Curadoria e narração: Alexandre Machado

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

2 comentários para "Ler ou copiar um texto?, por Walter Benjamin"

  1. Rejane Luthemaier disse:

    hmmm… amei ouvir isso, justo agora que abri o meu atual caderninho de anotações das letrinhas lindas;
    confesso, tenho vários cadernos de transcrições, e sempre me achei esquisita por conta disso…
    quando gosto de um texto, sinto a necessidade de copiá-lo para dele me apossar, para que o texto se integre ao silêncio da folha branca e eu ouça os acordes da música que ele ressoa…
    abraços!

  2. azucena geymonat de oberdiek disse:

    MUIIIIITO BOM ter encontrdo
    esta manhã
    “Otra Manhã”
    Obrigada Alexandre por essa oportunidade
    que veio alegrar a minha manhã
    enquanto o sol vai invadindo a sala
    e iluminando
    nossas paisagens
    interiores…da casa
    e da alma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *