Em SP, novos protestos contra falta de água

Primeiras manifestações ocorreram segunda-feira 22/9), em Itu. Agora, sem-teto afirmam: cortes de abastecimento decididos pelo governo atingem periferia e poupam bairros "nobres"

Primeiras manifestações ocorreram segunda-feira (22/9), em Itu. Agora, sem-teto afirmam: cortes de abastecimento decididos pelo governo atingem periferia e poupam bairros “nobres”

MTST convoca população a reagir, denuncia lógica mercantil que levou abastecimento ao caos e parece disposto a firmar-se como movimento social cada vez mais destacado. Ação começa hoje, às 15

Pelo MTST-SP

Desde dezembro de 2013, a população assiste calada, anúncio atrás de anúncio, às sucessivas quedas nos níveis dos reservatórios no Sistema Cantareira e Alto do Tietê.

Inicialmente queriam que acreditássemos que o único culpado era o clima. São Paulo enfrentava uma das piores estiagens de sua história e isso prejudicava diretamente nosso principal reservatório. Somado a isso vivíamos um dos verões mais quentes, com temperaturas acima de 30ºC, o que levava a um aumento no consumo de água.

Com o tempo, percebemos que a escassez de água não podia ser obra só de uma variação climática. Aí as notícias começaram a aparecer. Vimos que, em sua renovação da concessão de uso das represas, a Sabesp, empresa estadual de abastecimento, havia se comprometido em reduzir sua dependência do Cantareira e que, mais de 10 anos depois, nada havia sido feito.

Notamos também que já existiam previsões de que poderíamos enfrentar uma falta de água e o governo do estado demorou para agir.

Agora o governador Geraldo Alckmin vem até a televisão dizer que não teremos racionamento. Nessa história, não vamos acreditar.

Nós, moradores da periferia já enfrentamos um péssimo serviço de fornecimento de água, cortes e contas abusivas, são constantes em nossas casas. A água, que deveria ser de todos, tornou-se um bem privado e muito lucrativo. Agora temos uma situação ainda pior! O racionamento já começou! E começou na periferia. Estamos enfrentando dias sem água. E quando a água chega é com uma cor estranha, gosto e cheiro ruins!

Essa é a gota d’água! Não vamos ficar parados, com nossas torneiras vazias e com nossos filhos doentes pela água de má qualidade, enquanto o governo administra de maneira irresponsável essa situação.

Por isso hoje, 25 de setembro, partindo do Largo do Batata às 15 horas, vamos tomar as ruas de São Paulo gritando: Queremos água e água de qualidade!

– Contra os cortes de água!

– Contra os interesses privados na administração da água!

– Por mais investimentos em captação, tratamento e distribuição de água!

– Por água de qualidade para as comunidades!

– Por mais investimentos em captação, tratamento de esgoto e despoluição dos rios!

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Em SP, novos protestos contra falta de água"

  1. MARTA vITÓRIA DE ALENCAR disse:

    DEMOROU. DEVE TER UMA MANIFESTAÇÃO POR DIA. PREFERENCIALMENTE NA PORTA DA REDE GLOBO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *