Leitura: mulheres e tecnologia

Grace Hopper, considerada a mãe da programação de computadores

 

Num livro revelador, algo hoje oculto: o papel feminino no desenvolvimento dos computadores e da internet.

Por Antonio Martins

Se o mundo das Tecnologias de Informação parece muito masculino, ele nem sempre foi assim. Vale ler, a respeito Broad Band: the untold story of Women who Made the Internet. Escrita pela norte-americana Claire Evans e disponível online (U$ 16,74), a obra conta a histórias de mulheres que desempenharam papeis essenciais no desenvolvimento dos computadores e, em especial, da internet. Duas observações da autora destacam-se. Primeiro, o ocultamento atual do papel decisivo que as mulheres (em especial, as muito jovens) tiveram no início da programação. Em certo período, conta Evans, a potência das máquinas não era definida usando como base os mega-hertz – mas os kilogirls, uma unidade equivalente a mil horas de trabalho feminino usadas em seu desenvolvimento. Outro foco do livro: a ação crucial das mulheres na construção das primeiras comunidades de desenvolvimento – um tipo de estrutura colaborativa de trabalho que marca o mundo da Tecnologia de Informação ainda hoje.

TEXTO-FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *