1964: o artigo que O Globo recusou-se a publicar

140414-Censura

Jornal encomenda, e depois veta, texto que expunha aspecto pouco conhecido do golpe: a repressão aos trabalhadores e sindicatos

Por Paulo Fontes

[Outras Palavras publica, aqui, o texto de Paulo Fontes censurado por “O Globo”]

Sou professor da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/FGV) e historiador especializado em história social do trabalho. Em meados de março, fui procurado pela assistente da direção da instituição na qual trabalho, questionando se eu teria interesse em publicar um artigo sobre o golpe de 64 para O Globo. Como em outros momentos de aniversário de eventos históricos, o jornal solicitava então aos pesquisadores do CPDOC artigos de avaliação e opinativos. Apesar de mergulhado em outras atividades, concordei em fazer um curto artigo sobre o papel dos trabalhadores no golpe e na ditadura, por julgar ser este um tema de grande relevância acadêmica, política e social. Acredito que o texto  aborda a questão por um ângulo bem pouco explorado nas análises que estão sendo publicadas nos vários órgãos de imprensa.

Entreguei o artigo em 20 de março. Para minha surpresa, ele não foi publicado. Segundo informou o jornal, a não publicação baseia-se em uma série de decisões editoriais que dizem respeito a espaço, a prioridades temáticas com o surgimento de novas notícias ou contribuições não previstas etc.

Obviamente, O Globo não tem obrigação de publicar texto algum, apesar da indelicadeza de solicitar um artigo e não publicá-lo. No entanto, causa estranheza o fato de que outros artigos de colegas do CPDOC /FGV encomendados sobre a mesma temática, tenham sido publicados e o meu não. Difícil não pensar que um parágrafo inicial  crítico ao já famoso editorial onde O Globo reconhece seu erro (de maneira tímida e defensiva, por sinal) no apoio ao golpe de 64  não tenha tido algum papel na decisão editorial de não publicar o artigo. Além disso, parece que discussões sobre movimento sindical e os mundos do trabalho não são muito bem vistas pelo jornal. No mínimo paradoxal para quem diz defender tanto a liberdade de expressão.

Paulo Fontes é professor da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (CPDOC/FGV) onde coordena o Laboratório de Estudos dos Mundos do Trabalho e Movimentos Sociais. No momento, é Visiting Fellow no Instituto Re:work da Humboldt University em Berlim.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

2 comentários para "1964: o artigo que O Globo recusou-se a publicar"

  1. Alberto de Lima disse:

    Olá, Paulo!
    Parabéns pela denúncia. Os editoriais do O Globo mais recentes, criminalizando os movimentos sociais (dentre eles, os sindicatos), demonstram de que lado este jornal está. Certamente, não está ao lado das lutas sociais da população brasileira.
    Fiquei curioso para ler o texto não publicado.
    Abraços,
    Alberto
    Professor (CEFET/RJ)

  2. Rubens disse:

    Paulo a aproximadamente dois meses deixei o curso de direito por não acreditar que se eu fosse até o fim curso e tendo em mãos meu canudo de Bacharel em Direito somado a minhas convicções sociais eu realmente conseguiria fazer alguma diferença nos corredores do judiciário…Sabemos que não espaço para liberdade de expressão e luta pelas minorias ou ainda pelo que é certo. Então escrevo e vou postando tudo que acho éticamente lícito e proveitoso para a sociedade em que vivo dentro de um Estado falido….Peço-lhe que publique seu texto pois, tenho certeza que ele irá contribuir para clarear ainda mais “os que conseguem enxergar o óbvio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *