Conhecimento Livre e novo Direito Autoral

Como assegurar a circulação da Cultura e, ao mesmo tempo, remunerar os criadores?

Roda de conversa com Sérgio Amadeu, Marcel Leonardi e Coletivo Lavoura 

12.12.12 | 19h00 às 21h30 – evento | 21h30 às 23h – bate papo com cerveja

Em São Paulo, na Matilha Cultural | Via web, em www.postv.org


MAIS, em Outras Palavras: 

A Ruptura, por Ladislau Dowbor
Novas relações sociais começam a superar consumismo, devastação ambiental e desigualdade. Mas velho poder resiste. Será possível esperar transição tranquila?  

TEXTO-MEIO

O mundo contemporâneo gira em torno de ideias. O caldeirão da globalização, do desenvolvimento da tecnologia da informação somados à organicidade das conexões virtuais, desloca o eixo central da geração de valor do conteúdo material para o conhecimento. Surgem, a partir daí, novas e inéditas tensões sociopolíticas.

Uma delas é a batalha ideológica e econômica em torno do direito de acesso ao conhecimento. Para muitos, o acesso livre e quase gratuito ao conhecimento e à cultura, que as novas tecnologias permitem, é um vetor fundamental de redução dos desequilíbrios sociais e da generalização das tecnologias necessárias à proteção ambiental do planeta. Mas, se restringir o acesso ao conhecimento e criminalizar os que dele fazem uso tornou-se uma afronta, como remunerar os criadores?

O último debate da série Primaveras em 2012 convida a [email protected] para debater, no dia 12 de dezembro, na Matilha Cultural, as novas regras do jogo contemporâneo dos direitos autorais. À partir das 19h30, com transmissão ao vivo via postv e mediação de Ines Castilho, o Grupo Lavoura, Ronaldo Lemos, Sérgio Amadeu debaterão Conhecimento Livre e novo Direito Autoral: como assegurar a circulação da Cultura e, ao mesmo tempo, remunerar o autor? O diálogo ocorrerá na Matilha Cultural: Rua Rego Freitas, 542 – República (mapa).

E para fechar em alto estilo o ano de 2012, Primaveras soma-se à agenda do Preliminares, em um esforço colaborativo para pensarmos juntos, em metrópoles como São Paulo, mídia independente, mapeamento sociocultural, ativismo e estratégias de ocupação para 2013. A ideia permitir que os coletivos envolvidos na transformação da cidade e do mundo se conheçam mais e melhor. Venha. Confira todas as atividades aqui.

TEXTO-FIM
The following two tabs change content below.