O ano em que se abriram todos os caminhos

Nos textos de Outras Palavras, um roteiro para compreender 2011 – e examinar os desafios que virão

Da Redação

Foi um ano para não esquecer. Em 2011, as multidões árabes sacudiram ditaduras que duraram décadas. As praças de muitas capitais do Ocidente disseram que é preciso reinventar a democracia. A velha geopolítica, que impunha o domínio da América do Norte e da Europa sobre o resto do mundo, pareceu mais ameaçada que nunca. No Brasil, avançou o movimento de insubmissão das periferias — ainda que, até agora, sem rupturas.

Em contrapartida, adensaram-se algumas nuvens agourentas. A oligarquia financeira mostrou que está disposta a tudo para manter seu poder global — inclusive atropelar direitos sociais e liberdades. Em alguns países, a crise e a frustração convocaram os velhos fantasmas da xenofobia e do fascismo. A humanidade continua incapaz de enfrentar a depredação da natureza e as ameaças de um enorme desastre climático.

Outras Palavras desdobrou-se para oferecer, sobre estes e outros fatos, um olhar de profundidade. Em tempos turbulentos, “não espere outras respostas, senão as suas”, escreveu certa vez Bertolt Brecht. Se está surgindo uma nova cultura política, que fala em transformar o mundo por meio de ações autônomas e cotidianas (ao invés de apenas depositar um voto em urna, de tempos em tempos), então é ainda mais necessário conhecer de fato o mundo e as sociedades. Ninguém fará este esforço por nós: nem a velha mídia, atolada em compromissos com os donos do dinheiro e do poder, nem líderes supostamente iluminados.

O ano revolto recompensou a energia que investimos em compreendê-lo e em compartilhar nossas observações. Em dezembro, segundo o Alexa – o aferidor de audiências comparadas com melhor reputação na internet –, Outras Palavras está entre os 2 mil sites de maior audiência no Brasil. Meses antes, lançamos nosso Blog Coletivo, que será ampliado em 2012. Também criamos Outras Mídias, que republica e divulga textos marcantes publicados na blogosfera brasileira e será ampliado em breve por Mandala, uma das inovações que preparamos para breve.

Nosso último contato com você, em 2011, é uma retrospectiva sobre os últimos doze meses. Apoia-se em textos publicados no próprio site. Desdobra-se em quinze blocos temáticos. Em cada um, breve introdução, seguida por cinco a dez indicações de leitura.

Em tempos de trabalho intenso e lazer raro, os últimos dias do ano são uma oportunidade para celebrar, descansar e refletir. Aproveite. Tudo indica que 2012 trará novas surpresas, riscos e, em especial, esperanças. Será um prazer identificá-los em diálogo com você. Entraremos em recesso até a primeira semana de janeiro. Depois, voltaremos com tudo.

Boa leitura,

Equipe Outras Palavras

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

2 comentários para "O ano em que se abriram todos os caminhos"

  1. Edna de Jesus Matos disse:

    Parabenizo Outras Palavras por proporcionar a leitura de artigos que propõe a reflexão de fatos que estão ocorrendo em tempo no mundo. Desejo um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de inspirações para os escritores dos artigos deste site informativo. Abraços. Edna de Jesus Matos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *