Suécia, escola sem séries

Breve nota sobre experiência fascinante. Aulas abertas, estímulo à pesquisa individual e em grupos, professor-orientador, estímulo permanente ao auto-aprendizado

Na Universia

161028-escola

Breve nota sobre experiência fascinante. Aulas abertas, estímulo à pesquisa individual e em grupos, professor-orientador, estímulo permanente ao auto-aprendizado

Na Universia

A educação está em constante e lenta mudança. Será que o próximo passo é o fim da sala de aula e o começo do aprendizado aberto?

A instituição sueca Vittra trabalha com um sistema de ensino diferente daquele conhecido pela educação tradicional. Na Vittra School Telefonplan, na Suécia, as aulas são abertas, e o modelo de sala de aula tradicional foi abandonado. Os alunos são munidos de um laptop e um espaço amplo no qual podem trabalhar sozinhos ou em grupos, e a ideia é que o modelo incentive o aprendizado.

O modelo tradicional, baseado nas escolas da Idade Média, em que as salas de aula são semelhantes a pódios de Igreja com o professor ocupando o papel do padre, foram substituídos por um modelo que incentiva a criatividade dos alunos. Não existem classes, os alunos são agrupados por princípios pedagógicos diferentes da idade. As instruções são dadas pelo professor online, e a experiência de aprendizado conta com um estúdio de animação, música e edição de vídeo.

A arquiteta responsável pelo projeto foi a dinamarquesa Rosan Bosch, que dividiu a escola em cinco áreas: processo de grupo, chance de encontro, experimentação e trabalho prático, concentração individual, e apresentação de trabalhos. O colégio está aberto desde 2011, e educa crianças entre 5 e 13 anos.

 

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *