SP: queda de Serra e o estranho fenômeno Russomano

Ascensão de candidato “outsider” pode revelar empatia de parte dos eleitores paulistanos com candidato conservador e individualista

Por Rudá Ricci, em seu blog

Todos apostam que a propaganda eleitoral de TV, que começa hoje, deve alterar todo cenário de intenção de votos nas grandes cidades, em especial, em São Paulo. O que teríamos no momento é algo próximo de uma pesquisa com resposta espontânea e, com a TV, algo próximo de uma pesquisa estimulada (quando o pesquisador apresenta uma cartela com o nome dos candidatos). Assim, as pesquisas do momento indicam o grau de conhecimento e empatia natural dos candidatos. E aí, Russomanno está dando um show, o que interessa sobremaneira aos cientistas políticos, que procuram entender as fontes de legitimação das lideranças sociais e políticas. Russomanno capta uma lógica espelhada do eleitor paulistano, conservador, individualista, cioso de seus direitos como consumidor.

As pesquisas podem efetivamente se alterar a partir de hoje. Mas Russomanno já se revelou um fenômeno que merece atenção e análise, por ser o reflexo do eleitor paulistano, sem exposição à carga de informações, marketing e falas de padrinhos.

A seguir, os dados do Datafolha:

Pesquisa Datafolha realizada ontem mostra Russomanno com 31% das intenções de voto, 4 pontos a mais que Serra. Como a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos para cima ou para baixo, eles continuam tecnicamente empatados.

Em relação ao levantamento anterior, de 19 e 20 de julho, Russomanno cresceu 5 pontos. No mesmo período, Serra caiu 3.

Esta é a última pesquisa de intenção de voto para prefeito de São Paulo antes do início do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV, que começa hoje.

Na disputa pela terceira colocação há quatro candidatos tecnicamente empatados. O petista Fernando Haddad tem 8% das intenções de voto; Gabriel Chalita (PMDB) tem 6%; Soninha Francine (PPS), 5%; e Paulinho da Força (PDT), 4%.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

3 comentários para "SP: queda de Serra e o estranho fenômeno Russomano"

  1. egle e siquera disse:

    Apenas Serra representa o candidato de sempre. E Haddad não é o novo, pois lança-se pelo PT. E Chalita é pouquissimo conhecido.
    O eleitorado de SP n é conservador. Já votou em mulheres, negros, nordestinos, progressistas ou não, e candidatos de esquerda inclusive.
    Como estão profundamente decepcionados procuram um novo nome, sem saber da historia politica, e sem acompanhar a trajetória de quem esta se lançando. Compreensível, já q quem tem q batalhar pelo arroz, e feijão tem pouquíssimo tempo p outras coisas. O sistema agradece imensamente.
    Abrs,
    Egle.

  2. Iolanda Nogueira disse:

    Serra na minha opinião não ganha, Haddad não tem carisma político, Russomano convence, vamos ver…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *