Emoções e política, na visão de três filósofos

Hobbes, Locke e Rousseau articularam algumas de suas ideias em torno de sentimentos como medo, ganância e empatia. Curso online articula seus pensamentos sobre a organização das sociedades e os discursos políticos relacionados

Mini-curso: As emoções e a política, com Rafael Azzi
Aos leitores de Outras Palavras, o autor do curso abriu uma possibilidade de contribuição consciente com três faixas de preço: integral, 30% e 70% você paga de acordo com o que pode. Os códigos são promocionais são TRINTA e SETENTA, representando a porcentagem do desconto.
Inscreva-se aqui

Você já se questionou sobre quais emoções estão por trás de cada posicionamento político? Extrema-direita, direita, esquerda, cada um desses posicionamentos revela não só uma visão de mundo diferente, mas também partem de estados emocionais muito distintos.

A proposta de organização da sociedade de cada uma dessas perspectivas tem como base uma emoção humana diferente. E isso vai refletir no modo como é construído o discurso político de cada posição, cada um procurando enfatizar e estimular a emoção específica no seu público.   

O minicurso As emoções e a política consiste em três aulas de cerca de dez minutos. Cada aula explora uma emoção: medo, ganância e a empatia. Vamos observar como cada uma dessas emoções podem influenciar nossa percepção de mundo e nossos posicionamentos políticos. O embasamento teórico é fundamentado em filósofos políticos clássicos: Hobbes, Locke e Rousseau, procurando destacar como esses pensadores utilizam-se das emoções para constituir suas teorias, e como essas teorias dão suporte às posições políticas contemporâneas.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: