Dinheiro, uma urgente questão filosófica

Ele ocupa o centro de nossas vidas. Governos e empresas o apontam como único caminho para o progresso. Mas nem sempre fomos medidos por “fazer dinheiro”. Curso gratuito de filosofia investiga como ele se tornou o motor da sociedade

Por Rafael Azzi | Imagem: Mark Wagner

Dinheiro: uma perspectiva filosófica
Curso online e gratuito, ministrado por Rafael Azzi. Inscreva-se aqui e tenha acesso às aulas. Veja também: Mini-curso: As emoções e a política, com descontos especiais para leitores de Outras Palavras.

O dinheiro tem um papel absolutamente central na sociedade de hoje. Pessoalmente, nos movemos em busca dos nossos objetivos financeiros, muitas vezes sacrificando muito das nossas vidas pessoais. Coletivamente, de um lado as empresas estão sempre em busca da maximização de seus lucros a todo custo, e, de outro, o sucesso de um governo é medido quase que exclusivamente em termos de crescimento do PIB.

Isso nos parece hoje perfeitamente natural e a única alternativa viável para o progresso, mas historicamente a centralidade do dinheiro na sociedade e na vida das pessoas é algo inédito. Nenhuma outra sociedade humana antes colocou o “fazer dinheiro” como o mais claro e eminente dos seus objetivos.

A filosofia tem o papel de questionar acerca de todo e qualquer elemento da cultura humana. Sendo o dinheiro um elemento central da nossa cultura moderna, nada mais relevante hoje do que direcionar as lentes da filosofia para investigar o tema.

O curso Dinheiro: uma perspectiva filosófica consiste de duas aulas. A primeira investiga sobre a natureza e a função do dinheiro. A segunda questiona o papel do dinheiro como o principal motor social.

E o melhor de tudo: o curso sobre dinheiro é gratuito.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: