Caminhando com teatro pelas ruas de São Paulo

Peça “Barafonda”

Grupos apresentam espetáculos itinerantes nos diversos cantos cimentados da cidade, e engrossam movimento de ocupação das ruas e locais públicos

Por Bruna Bernacchio

Nem só de palcos vive o teatro. Há apresentações que ocorrem na própria rua – como um passeio atento a uma cena, a uma paisagem -, e propõem alguma interação com a mesma. Seja na criação do espetáculo, utilizando o espaço real como cenário, abordando temas oriundos das regiões onde acontecem e relacionando-se com os moradores do entorno; seja na apresentação em si, que, espontaneamente, de improviso, conversa também com a cena real, única do momento em que ocorre aquela singular apresentação.

Neste ano, em São Paulo, pode-se citar algumas que já caminharam por aí. “Barafonda”, da Cia. São Jorge de Variedades, que associava acontecimentos históricos do bairro da Barra Funda a tragédias gregas, passando por locais de comércio até cruzar a linha de trem, costurando um retrato atual do bairro, trazendo os mitos para o presente. Até há pouco se apresentava a peça “Bom Retiro 958 metros”, do Teatro Vertigem, igualmente mergulhando nas memórias do bairro.

Para o mês de outubro, há duas opções em cartaz:

 – Piratas de Galocha

Depois de fazer temporada no Edifício Prestes Maia e na Cracolândia, o Coletivo de Galochas, retorna à região da Estação da Luz para as últimas apresentações. O enredo conta a história de um grupo de piratas que é convidado a participar de um “programa de reinserção” — mas não aceita e sai livre, buscando novos mares para piratear. A partir disso, questiona-se o projeto vigente na região, que valoriza a arquitetura em detrimento do ser humano que ali vive. Os piratas, então, tornam-se representação daquilo que o sistema não permite, por ter características “imorais” — mas que ainda assim existe, embora ignorado pela hipocrisia da sociedade.

Quando: 12 a 21/10; sextas, sábados e domingos, sempre às 20h.

Onde: saída na Praça Julio Prestes, em frente à Sala São Paulo.

 – Origem Destino

Projeto da Cia Auto-Retrato, que acontece na Praça da Sé, busca mostrar as relações nas ruas de modo geral – as interações entre os lugares de passagem e lugares de convivência -, estabelecendo trajetórias no espaço, mas propondo deslocamentos de sentido. A peça investiga, então, a possibilidade de subverter a dinâmica de ocupação desses espaços urbanos, transformando sua lógica de uso, habitualmente centrada em aspectos meramente utilitários. Foi essa companhia que organizou o “Deitaço”, intervenção artística que procurava incitar reflexão quanto aos moradores de rua, sua invisibilidade aos olhos da sociedade e o tratamento por parte da polícia.

Quando: 17 de setembro a 31 de outubro, segunda à quarta-feira, ao meio-dia

Onde: saída na Praça da Sé (levar bilhete único ou R$3 trocado)

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *